Poemas : 

tu és pó

 
voltarei a atravessar contigo
uma casa em cinzas
que os lobos me perdoem
perto de ti
nunca deixo de ser criança

Maiúscula e Ponto Final Parágrafo
dizes

mas eu só vejo um ferro
de engomar com brasas
incandescentes de ontem

Tem Pe-Ço-Nha
dizes
Larga

que é que tu queres?
gosto de formas
velhas e calcinadas

desculpa
ensina-me mais sobre essa caverna
sobre sombras e fogo
não volto a ter medo
prometo

porque já perdi o gosto das nuvens
e sei que
hiato de olhos só
o têm bichos como eu que
não sabem deixar pegadas
no carvão

se a toca em que vivo
é a céu aberto
não faz sentido Maldizeres
os predadores
que brincam comigo
antes de me devorarem

 
Autor
Benjamin Pó
 
Texto
Data
Leituras
787
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
4
4
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 28/12/2021 18:14  Atualizado: 28/12/2021 18:14
 Re: tu és pó
.
Adorei, para quem tem sentidos aguçados é prazeroso ler. Tem que ter muita coragem para sair da caverna e encarar os predadores. Mas depois de vencer a batalha é o melhor sentimento que existe, é bom ver o céu. No meu futuro os leões comeram capim.


Enviado por Tópico
Aline Lima
Publicado: 28/03/2023 18:45  Atualizado: 28/03/2023 18:45
Usuário desde: 02/04/2012
Localidade: Brasília- Brasil
Mensagens: 624
 Re: tu és pó
"desculpa
ensina-me mais sobre essa caverna
sobre sombras e fogo
não volto a ter medo
prometo..."
De certa forma este trecho me remeteu a metáfora do dualismo platônico presente no Mito da Caverna de Platão.

Me fez refletir... Bom ler você.