https://www.poetris.com/
Poemas : 

Lapa por Chris Fonte

 
Na sombra desta outra cidade
Sou essas vozes cortantes

Elas são como escombros que me atravessam
dividindo-me ao meio

Parto no bonde e canto com boca rasteira
A solidão das horas

Entre um gole e outro, meus olhos se abrem
Minhas pupilas dilatam

E neste bonde, num som passageiro
Escuto um samba na Lapa

Um samba que arde e que chama o
Bêbado, o sóbrio e o ladrão

E as vozes saem dos becos
Das casas e dos casarões

A noite se ergue nos bordéis
E no corpo da fulana que tece sonhos nos arcos

Que busca no ombro, na boca do outro
A água ardente que perdura

Onde o tempo não passa dentro ou fora
Do bonde nas noites vendidas

Dos perdidos e achados, dentro dos bordéis
Que triunfantes brilham seus néons

Feito uma grande boca enorme e impulsiva
Ecoando entre as madrugadas

Na sombra desta outra cidade
Sou também essas vozes cortantes


Por Chris Fonte


Sou Mundos!


Chris

 
Autor
Katz
Autor
 
Texto
Data
Leituras
90
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 28/05/2022 08:15  Atualizado: 28/05/2022 08:15
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29767
 Re: Lapa por Chris Fonte
Linda poesia. Fez um verdadeiro relato das noites ébrias , que si vai pelas madrugadas onde muitas vezes se encontramos nos mais diversos sentidos, que nos rega silenciando a nossa dor ;;; martisns