https://www.poetris.com/
Contos -> Minimalistas : 

do poder sobre o tempo

 
Tags:  amor  
 
sorrateira, a porta abriu-se e, junto com a luz, adentrastes. nossos olhos se encontraram e todos os relógios emudeceram e, assim, todas as paredes perderam o pulso. as folhas que caíam lá fora paralisaram-se no ar, porque o tempo havia abandonado as mãos.
no encontro dos olhos o restante de nós se determinou a agir; meu lado esquerdo fundiu-se com teu lado esquerdo e nossos lados direitos se agarraram como se dois animais famintos com a mesma potencia de fome. nada mais pulsava além de nós e ruídos externos não ousavam soar porque dos nossos corações, em uníssono, escapava uma melodia célere e ao mesmo tempo compassiva para que o tempo não despertasse da letargia. nossos olhares esculpiram uma cápsula para que ele não pudesse escapar e a eternidade pudesse falar de mim, em ti e de ti, em mim.







 
Autor
MarySSantos
 
Texto
Data
Leituras
115
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ALFA
Publicado: 30/08/2022 15:31  Atualizado: 30/08/2022 15:31
Colaborador
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 1331
 Re: do poder sobre o tempo
Quando o tempo se envolve assim
Deixando-se aferrolhar, sem hora
No ar, apenas essências de jasmim
O tempo acaba esquecido, lá fora!

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 21/09/2022 13:10  Atualizado: 21/09/2022 13:10
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29909
 Re: do poder sobre o tempo
Em ti e em mim, existe aquele algo sentido pelo coração, amor silenciado em doce paixão, onde em momentos ativos se olhamos daquele desejo, dele se molhamos dele loucamente se amamos em toques fulgor, doce e bela, és o meu amor