https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Matemática do Toque

 
Como calcular
a intersecção
de dois corpos
que se fodem?

Como determinar
onde termina e começa
a sua forma geométrica, a área,
o volume?

Na inserção total adiciono braços,
peitos,
pernas,
bocas,

ou os suspiros?

Como?


Sou fiel ao ardor,
amo esta espécie de verão
que de longe me vem morrer às mãos
e juro que ao fazer da palavra
morada do silêncio
não há outra razão.

Eugénio de Andrade

Saibam que agradeço todos os comentários.
Por regra, não respondo.

Tive muitas dúvidas se deveria ou não colocar o aviso de maiores de 18, pelo uso do verbo foder na primeira estrofe.
Preferi deixar assim até que me digam para mudar.

Ah, já agora a última palavra do poema não é do verbo comer...
 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
297
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
4
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 05/03/2023 17:11  Atualizado: 05/03/2023 17:11
Administrador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 3531
 Re: Matemática do Toque
bem que podia ser |como| do verbo |comer| assim como suspiro um doce.

é sempre muito bom ler teus escritos

HC


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 06/03/2023 10:36  Atualizado: 07/03/2023 17:03
 Gramática do "estoque"



Open in new window



Sem excepção em qualquer outra p'arte, a linha é débil e frágil entre a expressão erótica e a má dicção rasa, a gramática "rasca" do estoque, que pode facilmente degenerar num "linguarejar ansioso de digestão quiçá fácil e a obesidade mórbida, flatulenta" em obseda e inoportuna. A habilidade insinuosa, a sinestesia do toque "ao-de-leve", está na dose certa de talento do funâmbulo, do golpe de rins no momento exacto de acordo com a corda bamba e o mau desempenho de "kamikaze", o desequilíbrio do baixo nível obsceno de linguagem para o qual "não havia necessidade", assim como num filme pornográfico pesado, em que, "comer por comer", sem digerir "dá má digestão" não é bonito de ver para quem convive à mesma mesa de jantar, muito obrigado pela "deixa" e pelo teu sempre elegante e eloquente delírio poético …




Jorge Santos ou (O Trashumante)


https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=366051






(operis obligationes, postea ego permanere)

Enviado por Tópico
ZeSilveiraDoBrasil
Publicado: 08/03/2023 02:24  Atualizado: 08/03/2023 02:24
Administrador
Usuário desde: 22/11/2018
Localidade: RIO - Brasil
Mensagens: 1727
 Re: Matemática do Toque
O texto incita e abre uma discussão saudável sobre novas perspectivas da alcova e seus desdobramentos no viés contemporâneo. Talvez há de se precisar d'uma convenção para se entender e avaliar as várias sustentações orais e corporais!
Meu abraço caRIOca!