https://www.poetris.com/
Poemas : 

CiÚme

 

surge no rosto
um veio indelével
carregado de raiva latente
lavada em sal.
a tão previsível
explosão de nada,
erupção de fel
sem racional,
irrompendo inflamada.

no rosto oposto,
indiferente,
bate a palavra absurda
irada e surda
que a pele não sente
e o coração não chora:
apenas ignora
a ignomínia final.

 
Autor
Paulo-Galvão
 
Texto
Data
Leituras
94
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.