Poemas : 

Calaram-se os lírios

 

calaram-se os Lírios...
chorei lírios na melancolia do dia
e os sentimentos tremeram
na folhagem sonolenta da vida

colhi as raízes dos restos de mim
e os ventos ciclónicos baloiçaram
nas cordas de um violino
aquele que tocava melodias brancas para ti

todos os orvalhos perpetuados nas flores do dia,
perderam a fremência esbatida nos sons da noite
nada mais resta do que esculpir a chuva
em lágrimas agredindo o vento
rasgando o tecido vivo que me cobre de dor

calaram-se os Lírios!

 
Autor
Whaine
Autor
 
Texto
Data
Leituras
175
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
26 pontos
4
3
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 13/05/2024 10:34  Atualizado: 13/05/2024 10:34
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 10591
 Re: Calaram-se os lírios
Maravilhoso! Não se fica indiferente ao passado, saudade o coração sempre sente...poema muito belo e emotivo.
Foi um prazer ler-te

Boa semana
bj.

Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 13/05/2024 14:05  Atualizado: 13/05/2024 14:05
Administrador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 3709
 Re: Calaram-se os lírios /whaine
Olá Whaine
Num poema absolutamente avassala(dor) há cores de sentimentos intensos como se cada verso estivesse próximo de alguma coisa, alguém, talvez um violinho

Bem.vinda

Beijo (azul)

Atenciosamente
HC

Enviado por Tópico
Liliana Jardim
Publicado: 12/06/2024 12:17  Atualizado: 12/06/2024 12:17
Usuário desde: 08/10/2007
Localidade: Caniço-Madeira
Mensagens: 4420
 Re: Calaram-se os lírios
Olá Fatima, vi-te, voltaste.. o luso precisa de ti
calam-se as palavras, os sentires permanecem, nos orvalhos que nos cobrem....

Gostei de te reler.

Beijinhos
Tudo de bom

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 12/06/2024 23:22  Atualizado: 12/06/2024 23:22
Membro de honra
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 18440
 Re: Calaram-se os lírios
Até o céu ficou em silêncio… que beleza rara. Beijos azuis