https://www.poetris.com/
 
Homenagens : 

Mãe

 
Dentro de ti,
Como foi que aconteceu?

Conta-me para eu saber o que dizer,
Quando o teu neto nascer,

A primeira visão a mais bela,
A minha mãe cinderela,
Olhaste-me em lágrimas num sorriso,
Quando tinhas o cabelo comprido e liso,

Tanto eu como tu,
Éramos jovens,

A tua mão criou-me,
E olhas-me de orgulho,
Mesmo sabendo das asneiras,
Crises passageiras,

Tanto passaste,
Como aguentaste?

As birras, de criança e adulto,
Sangue do mesmo sangue,
Perdão divino,

A doçura do teu olhar permanece,
O que na infância me esquece,

E ao deitar o teu aconchego
Para uma boa noite de sono,
Sem papão,

Amor em cada refeição,
Jamais esquecerei,

Como foi que aconteceu?, perguntei

Deste-me tanto,
E o que te dei eu?

Já não nos resta muito,
Vamos aproveitar,
Sou tão egoista em pensar
Que estaremos cá para sempre...

Quando fores,
Leva-me no teu ventre,
Que sem ti não sou,

E um poema é tão pouco,
Quanto mais o mundo,
Não há palavras, mas há sentimentos,
Fortes, como tu.

Adoro-te.


Obrigado a tudo o que me inspira.

 
Autor
Ruben
Autor
 
Texto
Data
Leituras
747
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 11/04/2007 19:28  Atualizado: 11/04/2007 19:28
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14964
 Re: Mãe p/ Ruben
Olá poeta

Mãe alento da alma
capricho no fazer
acarinhar quando
a tem junto a si
fazer tudo quanto
se possa para que
se tenha tempo e ao
seu lado amanhecer...
Lindo seu poema...

Beijinhos n'alma

Enviado por Tópico
goretidias
Publicado: 14/04/2007 22:21  Atualizado: 14/04/2007 22:21
Colaborador
Usuário desde: 08/04/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 1237
 Re: Mãe
Por norma, damos conta do valor da nossa mãe tarde demais! Um beijo

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/04/2007 11:12  Atualizado: 25/04/2007 11:12
 Re: Mãe
MÃE... é sempre o poema mais lindo.
Beijos