https://www.poetris.com/
 
Crónicas : 

Rebento da Meretriz

 
Tags:  mãe    filho    erro    biblia    boa    meretriz    genitora  
 
<a onblur="try {parent.deselectBloggerImageGracefully();} catch(e) {}" href="http://2.bp.blogspot.com/_XRCU_gS6XWg ... triz.png"><img style="float:right; margin:0 0 10px 10px;cursor:pointer; cursor:hand;width: 320px; height: 284px;" src="http://2.bp.blogspot.com/_XRCU_gS6XWg ... c/s320/meretriz.png" border="0" alt="" id="BLOGGER_PHOTO_ID_5291214970016646242" /></a><div style="text-align: justify;"><p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><span style="font-family:Arial;"><span class="Apple-style-span" style="">Tem dias que eu acordo e penso:</span></span></p><p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><span style="font-family:Arial;"><span class="Apple-style-span" style="">_Queria ser um filho da puta!</span></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><span style="font-family:Arial;"><span class="Apple-style-span" style="">Não que não ame minha genitora. Não, pelo contrário, por amá-la demais é que carrego o fardo de ser indiscutivelmente “gente de bem”. Sou obrigado a ser sempre um bom cidadão, coerente, honesto, fiel, confiável. Minha palavra tem peso, minhas promessas têm valor.</span><span class="Apple-style-span" style=""><o:p></o:p></span></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><span style="font-family:Arial;"><span class="Apple-style-span" style="">_Que merda!</span><span class="Apple-style-span" style=""><o:p></o:p></span></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><span style="font-family:Arial;"><span class="Apple-style-span" style="">Esperam tudo de mim, diga-se de passagem: “Tudo de bom”. Quando erro é um carnaval, assunto pra muitas rodadas de chopp. Enredo de muita falta de assunto.</span><span class="Apple-style-span" style=""><o:p></o:p></span></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><span style="font-family:Arial;"><span class="Apple-style-span" style="">Já o filho da puta, esse é feliz, pode errar! É isso que esperam dele afinal, sendo filho de quem é, qualquer coisa que vier é lucro!</span><span class="Apple-style-span" style=""><o:p></o:p></span></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><span style="font-family:Arial;"><span class="Apple-style-span" style="">Filho da puta pode xingar , porque boca suja lhe apetece, pode embromar, ser desleal, trair, mentir e fingir. E ele faz tudo isso com satisfação, porque o momento pede, porque lhe é propício ou apenas porque é de sua natureza cometer tais atos.</span><span class="Apple-style-span" style=""><o:p></o:p></span></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><span style="font-family:Arial;"><span class="Apple-style-span" style="">A sociedade perdoa o filho da puta, quanto ao “homem de bem”, esse não! Esse filho de uma “boa mãe” tem que honrar seu pedigree. A ele cabem as pedras caso venha esmorecer em sua conduta ilibada!</span><span class="Apple-style-span" style=""><o:p></o:p></span></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><span style="font-family:Arial;"><span class="Apple-style-span" style="">O rebento da meretriz carrega sobre si o fardo da mãe, que levou uma vida não tão fácil e isso lhe serve de justificativa para todos os erros que possa cometer.</span><span class="Apple-style-span" style=""><o:p></o:p></span></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><span style="font-family:Arial;"><span class="Apple-style-span" style="">Sobre o filho da boa genitora pesa o fardo de não poder errar...<span class="Apple-style-span" style="font-style: italic;">Jamais</span>! Esse direito lhe fora negado. E pior, até por ele mesmo! Ele priva do direito às quedas</span><span style="mso-spacerun:yes"><span class="Apple-style-span" style=""> </span></span><span class="Apple-style-span" style="">concedido até pela própria Escritura Sagrada onde se pode ler: “O cair é do homem...” O filho da boa mãe não pode ser homem, tem que ser Super-Homem, versão </span><span class="apple-style-span"><span style=""><span class="Apple-style-span" style="">nietzschineana de vida que, <span class="Apple-style-span" style="font-style: italic;">en passant, </span><span class="Apple-style-span" style=" white-space: pre-wrap; -webkit-border-horizontal-spacing: 2px; -webkit-border-vertical-spacing: 2px; font-family:-webkit-monospace;"><span class="Apple-style-span" style=" white-space: normal; -webkit-border-horizontal-spacing: 0px; -webkit-border-vertical-spacing: 0px; font-family:Arial;">não acrescenta nada. Vida sem quedas e aprumos é vida sem vida, sem suspiro, é mais ou menos um existir medíocre.</span></span></span></span></span></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><span class="apple-style-span"><span style=" ;font-family:Arial;"><span class="Apple-style-span" style="">Que minha mãe me perdoe, mas hoje queria mesmo é ser um filho da puta, só pra me livrar das crises de moral inútil e poder viver intensamente todos os prazeres e amanhã... bem, amanhã seria somente mais um dia, isto é, se eu estivesse aqui para vê-lo chegar. </span></span></span><span style="font-family:Arial;"><o:p></o:p></span></p></div>


"Se me esqueceres, so uma coisa, esquece-me bem devagarinho."(Mario Quintana)
Open in new window

 
Autor
kryssfour
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1014
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.