https://www.poetris.com/

DESEJO

 
DESEJO
 
DESEJO

Hoje só quero teu beijo devagar
Terno, pacientemente no sossego de íntimos lábios
Num tempo criado por nós...
Apenas assistido por quietas paredes
Mergulhadas na cumplicidade de uma parca luz

Quero o carinho da tua mão na minha,
O suave entrelaçar dos teus dedos aos meus
Sentir o pulsar do teu coração no meu peito
Num abraço demorado,
Feito eterno neste momento...
Hoje te quero mais um pouco que outros dias,
Num desejo apressado, mas num encontro preguiçoso
Sem demoras em te sentir, em te amar...

Quero junto a ti respirar fragrâncias
Que emanam do fim das madrugadas
O cheiro matinal dos verdes quintais
Que sentimos no abrir das janelas...
Assistir no laço de um abraço os primeiros raios de sol
Que atravessam as gotas de orvalho quais diamantes
Apreciar as últimas flores de verão
Perderem suas efêmeras pétalas num vento displicente
Anunciando assim as tristes folhas de outono

Quero o adormecer de criança
No teu peito abrigo
Ouvir tuas histórias, em sorrisos... Em sussurros...
Ou colher tuas lágrimas da emoção incontida
Quero procrastinar contigo, porque já corremos tanto...

Desejo descansar no teu sono,
Sorver tua paz mesmo no barulho da tempestade
Fazer acontecer o que os sonhos antigos guardavam
Calar pra ouvir teus olhos falarem aos meus.
Atravessando minhas retinas, invadindo minha alma...
Hoje quero todos os amanhãs ao teu lado
E não mais um minuto sequer...
 
DESEJO

Não te direi adeus

 
Não te direi adeus
 
Não te direi adeus

Não te direi adeus,
Nem me dirás adeus.
Mesmo que um dia
Eu tenha que partir,
Ou quem sabe tu
Tenhas que partires.
PARTIREI...
PARTIRÁS...
Mas não te direi adeus,
Nem tu me dirás adeus.
Adeus é uma palavra fria,
Que só traz melancolia
E soa como nunca mais
E, nunca mais é o fim.
Todo final é triste e ruim.
Por isso meu amor!
Não te direi adeus,
E jamais me dirás adeus.
Pois amar como nos amamos
E gostar como nos gostamos
O adeus simplesmente não existe.
Ah, meu amor! Não me deixas triste,
Tampouco tu te ponhas triste;
Pois nunca, nunca te direi adeus!
 
Não te direi adeus

Há coisas que queremos dizer

 
Há coisas que tu queres dizer
E não sabes como
Que eu quero
Mas não sou capaz
Que não dizemos
E tanto dói calar
Quanto o desejo
De falar.
 
Há coisas que queremos dizer

SILÊNCIO

 
Silêncio
Eu vou começar a escrever
Somente pelo prazer
O que sei e o que não sei
Que leiam ou não leiam
Para mim não tem importância
São palavras sem fragrância
Sem a leitura sequer merecer.

Silêncio,
Quero ouvir os queixumes
De todos os meus ciumes
Que não param de me falar.
Quero ouvir palavras do coração
Daquelas que nos embalam
Mas que de perfume exalam
Das pétalas de uma paixão.

Silêncio
Quero ouvir o doce crepitar
Dos meus lábios ao te beijar
Em plena madrugada
Sentir a tua pele acetinada
No meu corpo se deliciar
Saciando nossos desejos
Conjugando o verbo amar

A. da fonseca
 
SILÊNCIO

Lembranças

 
Amei muito!
No começo, um amor bonito, cheio de
encanto e ternura. Quanta emoção
contida! Quantas expectativas de beijos
e afagos! Meu corpo tremia só de te
imaginar. Dormia imaginando-me no teu
abraço, o desejo pulsando quente e mesmo
sem ter-te ali, eu era feliz. Era feliz com tão
pouco que me davas porque me alimentava
da ilusão de que um dia te teria inteiro. Mera
ilusão! Porque fostes apenas isso. Ilusão. Dos
meus olhos cegos pela paixão. Dos meus
sentidos que te buscavam loucamente em meus
devaneios. Dos meus dedos que tateavam no
escuro no afã de tocar-te a pele. Sonhos... que
foram despertando quando vi-te a face na luz
da realidade. E ainda assim amei-te, porque
esse amor já estava em mim. E sofri. Foi maior
o tempo do sofrimento do que da alegria. Porque
precisava escavar a terra dentro de mim e
arrancar-te as raízes. Ficou a dor, o buraco vazio;
e a muda que plantaste um dia em mim, ali do
lado arranacada, secando . Quantas vezes a
olhei sangrando e tantas vezes lhes acariciei as
folhas murchas e por muitas vezes voltei a
regar-lhes na esperança de vê-la de novo brotar,
mas uma planta arrancada não brota. O teu
vazio ainda existe; a ferida ainda dói mas estou
me curando. As raízes, deixarei ao sol pra que
seque e quem sabe um dia farei com elas uma
bela fogueira. E tu, meu amor...tu continuas a
correr ao vento, saciando-te em qualquer fonte
até que a vida dentro de ti escoe, o cansaço te
adormeça e as lembranças te entorpeçam,
porque é só o que terás de mim - lembranças...
Menina do Rio
 
Lembranças

Amor sem tempo e sem espaço

 
Mesmo que o amanhã nasça nublado será primavera em meu peito.
Doce primavera em que acordo depois de te sonhar a meu lado velando meu sono discreto.
Assim, soltarei sorrisos e cantorias no banho, enquanto te penso cálido lavando meu corpo quente.
Depois secarás com carinho minha pele, e cuidarás de a hidratar com cheiros de ilha deserta, onde o sol nasce posto, odorando tudo em que toca.
Sairei ainda contigo em meu pensamento até ao beijo longo com que me desejarás bom dia de trabalho, antes de entrar no carro de folhas ocre coberto.
À noitinha quando de novo regressar a teus braços, te agradecerei por teres realizado o meu começo de dia a preceito e adormecerei desgastada mas não cansada, em teu ombro bem feito.
E sonharei novamente que ali te mantens até o despontar dos primeiros raios de sol que em nós entrem queimando em desejos de mais, de muito mais do que o passar das estações nos pode oferecer, porque temos algo sem tempo e sem espaço que é só nosso e que só a nós nos cabe entender e dizer. E em ato de egoísmo das palavras amor e carinho tomo posse, brindando com licor de mel a cada nova manhã de inverno tépido e terno que contigo passe.
Ilia Mar
 
Amor sem tempo e sem espaço

Entre o sol brilhante e a lua errante

 
Entre o sol brilhante e a lua errante prolongo esta paixão que me traz em pulgas, e me expõe a cada instante. Entre o nascer e o apagar da luz, arrasto este sentimento que cresce exponencialmente embora em silêncio, abrindo-me um sorriso que ilumina a noite incandescendo. Quando se fará isto que sinto audível em ti, sem sombra de duvida que assuste crianças no escuro, conduzindo teus dedos a meus cabelos rubros, teus lábios a minha pele pintalgada, teu ombro a minha cabeça deitada. Te espero ao amanhecer como quem aguarda o “trem das onze” que o há-de levar a casa. Te aguardo ao anoitecer com a vontade de desarrumar camas e salas, cobrindo-as de peças de roupa soltas, pipocas douradas, e caixas de chocolates recheados acabados. Podes chegar de manhã com um beijo apenas, mas prolonga-o, prolonga-o, prolonga-o. Apenas um, mas que seja longo e goooood.
Ilia Mar
 
Entre o sol brilhante e a lua errante

Porque para mim Tu és muito especial!

 
 
Pensas que passas despercebido,

Mas o teu toque é afectuoso e escaldante,
Olhar nos teus olhos é como observar o universo,
O teu rosto é o mais lindo semblante,
E cada sorriso teu é o mais doce verso!

No teu beijo encontrei a paixão,
Achei o meu lar no teu abraço,
No teu carinho deparei-me com a adoração,
E na tua presença, em felicidade me desfaço!

No teu corpo expludo de desejo,
Qualquer toque teu é puro ato de prazer,
Morro e renasço em cada aperto, em cada beijo,
E quando me possuis sinto-me a rejuvenescer!

A tua companhia faz-me bem,
Fazes-me rir até no momento mais inesperado,
Nada do que faças fica aquém,
E, por tudo isso, resta-me dizer-te: Obrigado!

Pensas que passas despercebido,
Podes achar-te comum ou até mesmo banal.
Tu és único, maravilhosamente exclusivo…
Porque para mim Tu és muito especial!

12/02/2016 (Vânia Brasil)
 
Porque para mim Tu és muito especial!

Desabafo

 
Façamos um trato: se eu contar tudo que estou pensando,
entregar meus segredos, revelar meu desejo de ser rendida,
amordaçada, violada, enganada, calada e submetida,
e se você prometer que amanhã de manhã,
ainda terá apreço em me tratar como sua princesa,
então prometo que serei essa princesa.
Mas não se assuste se, por enquanto, eu só pedir que você me puxe os cabelos,
me vire e me revire, me chame de nomes impronunciáveis,
azeite meu quadril, não se envergonhe de pulsos animais e bata em mim um pouquinho.
Afinal, se eu não revelar meus desejos a você, com quem mais?
Então, você acha que é homem o bastante para me satisfazer sem se desencantar?
 
Desabafo

Se Amar for Assim...

 
Se amar é sentir vontade de chegar voando aí agora onde você dorme, e como se fosse um colibri, pousar em teu peito, sentir o calor do teu corpo, sentir as batidas do coração, sentir teu cheiro, ver você abraçada ao travesseiro...

E de repente, como num passe de mágica, como em um conto de fadas, transformar-me novamente neste que mereceu receber tão linda declaração de amor...

Se amar é depois de ter voltado ao que sou, puder ter o prazer de te acordar com um leve assopro nas faces, um beijo macio nos lábios, um carinho suave nos seios...

Se amar é ter o prazer de sorrir para você neste instante em que te acordo, é ver teu lindo sorriso, receber todo o carinho de teu olhar de ternura infinita...

Se amar é desejar estar agora te olhando bem fundo nos olhos, é acariciar teu rosto, teus cabelos, me embebedar com tua presença...

Se amar é desejar tanto quanto desejo agora aconchegar-me contigo, é deitar-me ao teu lado, te abraçar bem forte, te beijar com sede, acariciar teu corpo, sentir meu corpo se aquecer, minha mente se perder...

Se amar é desejar tanto quanto desejo agora ter o prazer de te despir bem devagarinho enquanto te acaricio e te beijo, é sentir teu corpo também se aquecer, arrepiar...

Se amar é desejar tanto quanto desejo agora ser despido por você enquanto me acaricías e me beijas, é sentir meu corpo fervendo, sentir o calor de tuas mãos, o calor de teus lábios a percorrer-me por inteiro, é tremer de emoção...

Se amar é desejar tanto quanto desejo agora, fazer amor com você. E desde que te descobri, somente com você...

Se amar é sentir o desejo mais belo e profundo de descobrir o prazer de fazer amor de corpo e de alma, fazer amor com alguém conforme sempre sonhei - você...

Se amar é sentir e viver apenas um pouquinho disso tudo, ou, já exagerando, tudo isso..

Então, eu também estou amando muito você.
 
Se Amar for Assim...