https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de marcelooso

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de marcelooso

***************************
Sou amigo e companheiro, preservo as boas amizades e a sinceridade.

A Barata e o Cascudo

 
A Barata e o cascudo

Do nojo impregnado
Na barata descascada
Vem o cascudo
A perguntar.

Na sua vida desvairada
Sua casca descolada
Tens utilidade?

A barata descascada
Retrucou numa sentada
Que seu recalque não tem sentido
Na sua vida desvalida
Tu és cascudo!

Um metido a limpinho
Que recém saiu do ninho
Que o humano ao olhar o cascudinho direitinho
Vê uma batata vestida com linho!

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
 
A Barata e o Cascudo

O Último Pilar

 
O Último Pilar

Festa, música, foliões
Comemoremos seu nascimento
Cheio de emoções,
Um carnaval diferente
Vem mais um membro da gente!

Charles vem unindo multidões
A vida se enche
Todo mundo contente,
A família completa
Em cinco corações.

Em cinco verões
Tudo isso mudou
O carnaval ficou diferente
“Mudaram” até as canções;
Agora com a morte
do nosso ente,
O 24 ficou inconsistente
Numa festa seca
Com ricos, pobres indigentes...

Todos sem noções
Na comemoração momesca
Com tua ausência,
Pobres foliões!

Ruiu o último pilar
Foi a primeira peça
Para tudo implodir
E nada mais restar!

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
O Último Pilar

Abismo

 
Abismo

Mesmo diante do Abismo
Estou seguro diante de Cristo
Sou forte e insisto
Exalando o bem, persisto
Até tudo melhorar.
Chegando ao lar reflito
Somos instrumento a purificar.

O Abismo com fé
Não é nada,
A fé imaculada
Sempre nos faz melhorar,
Numa linguagem feito esperanto
Paz e bem, eu canto,
Homenageando meu Santo
Renascido me faz lutar
No abismo da incompreensão
Seguro forte a sua mão.
Na certeza da vitória
São Lázaro, vou glorificar.
Agradeço na prece de segunda
Contigo sempre irei estar.

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
Abismo

Pena Mortal!

 
Pena Mortal

Nesse final de semana ocorreu a execução do primeiro brasileiro a sofrer essa pena mortal no exterior, ele estava em um ultraleve recheado de cocaína.
O veículo ficou tão pesado quanto sua sentença definitiva, onde a nossa presidenta pediu diversas vezes clemência ao governo da Indonésia.
O falecido, como muitos brasileiros, estão acostumados a viver em um país de bandalheira, onde as leis existem para não serem cumpridas e o choque cultural provocou esse triste incidente, pois se fosse aqui no Brasil, ele muito provavelmente nem estaria atrás das grades, principalmente se for réu primário.
O nosso imenso país chega a ser a terra das oportunidades para o ilícito, pois a criminalidade vem de cima para baixo, ocupando muitas vezes cargos públicos deveras prestigiados, como estamos cansados de ver onde a última bomba está sendo a máfia das próteses, fazendo esquecer o drama da Petrobrás que está afundando no próprio petróleo.
Como é escândalo encima de escândalo, a gente perde até as contas, mas quem é pago e quem deve vigiar essa celeuma, muitas vezes está envolvido.
Assim o drama desce de escalão com os traficantes dominando várias cidades pelo país e para sustentar esse vício, a criminalidade também aumenta, chegando até o ladrão descalço que arrebata seu celular quando você vai tirar aquela linda foto.
O nosso país é cheio de maravilhas naturais, é uma nação muito rica e por isso não percebemos quanto dinheiro escoa pelo ralo e principalmente para as contas de terceiros.
A presidenta Dilma ficou chocada com a Pena Mortal, onde já tem até outro brasileiro na fila, que recheou a prancha de surf de cocaína, ele queria surfar bem alto, terminando também no mesmo corredor da morte, contudo nós também pedimos clemência presidenta, para que vossa excelência veja o drama do nosso país onde a Pena Mortal vigora todos os dias da semana, mas não é só para os bandidos, é principalmente para os cidadãos de bem, aquele trabalhador que acorda no escuro do horário de verão com medo de sair na esquina, onde tem um carrasco esperando para fazer a sua primeira féria do dia.

Marcelo de Oliveira Souza, IWA
 
Pena Mortal!

Dia da Consciência

 
Dia da Consciência

Na nossa vida temos várias vertentes
Onde a dificuldade existente
É causa de desunião.
No sofrimento persistente
O negro luta com admiração
Por fora as pessoas são diferentes
Cada um com seu coração
A diferença proeminente
É somente uma questão de visão.

Todos nós somos gente
Com toda beleza contundente,
A raça em nossa cabeça
Motivo de separação,
Não adianta vermos por fora
O negro sofre desde a aurora
Por bobagem de desunião.

Respeitemos a nossa raça
Não tem cor que rechaça
A gente é um só ...
Somos a raça humana
Na Terra presente
Isso não tem discussão.
Nessa vida que passa
A humanidade é a graça
Para nossa eterna perfeição.

Marcelo de Oliveira Souza,.iwa
 
Dia da Consciência

XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

 
XII CONCURSO LITERÁRIO POESIAS SEM FRONTEIRAS

(inscrições de 01 de abril 2016 até quando a cota do livro for preenchida)



Realização dos sites www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net ; http://marceloescritor2.blogspot.com e faceboook.com/psfronteiras
Apoio: Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências /RJ; Academia de Letras de Teófilo Otoni /MG; Clube dos Escritores Piracicaba/SP.
Com o objetivo de estimular poetas de todo o Brasil e de outros países, o concurso premia os melhores trabalhos, comprovando o sucesso com sua 12a edição. Em parceria com o Celeiro dos Escritores, para a publicação da Antologia "POESIAS SEM FRONTEIRAS", onde TODAS as poesias participantes do evento estarão publicadas.
Todos os poetas receberão um exemplar da obra, na residência, sem nenhum ônus além da taxa de inscrição (via correios, registrado).
Os poetas tem que ter idade a partir dos 16 anos e devem enviar uma poesia (máximo 35 linhas ou 1200 caracteres com espaço), tema LIVRE, através da Ficha de Inscrição do site - http://www.celeirodeescritores.org/inscricao.asp opção Concurso Poesias sem Fronteiras

Taxa de inscrição: R$ 45,00 - que corresponde a 01 exemplar da Antologia. (A ser paga através de boleto bancário, que será enviado ao participante pelo Celeiro, para a caixa de e-mail inscrita.)
É permitido participar com mais poesias, observando: Uma poesia para cada inscrição. Exemplificando: 02 poesias = 02 exemplares = R$ 90,00
Escritores residentes, fora do país : 35 dólares/ euros por inscrição/um exemplar.
A Antologia "POESIAS SEM FRONTEIRAS"" será publicada no mês: JULHO/2016
Obs: Inscrições de outros países serão aceitas desde que estejam na língua oficial do concurso é Língua Portuguesa.
Os autores residentes fora do Brasil, devem enviar o valor da taxa de inscrição, via Western Union, se tiverem dificuldade entrar em contato com: Marcelo de Oliveira Souza - através do e-mail marceloosouzasom@hotmail.com .
RESULTADO: No site oficial do concurso: www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net ; http://marceloescritor2.blogspot.com ; faceboook.com/psfronteiras

Premiação:
1°lugar: Troféu personalizado com o nome do autor e colocação + 1 camiseta oficial do concurso-tam G + certificado + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso
2° lugar: Certificado + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso + Dicionário de Autores Contemporâneos da BA
3° lugar: Certificado + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso. + Revista Literária
• Menção Honrosa Internacional: Daremos uma Menção Honrosa Internacional para o melhor autor estrangeiro que não estiver entre os três primeiros lugares, cuja premiação será: certificado + Livro de Crônicas Sobrevivendo + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso.
Obs: O Livro Sobrevivendo é de autoria do Organizador do Concurso, que versa sobre as dificuldades de vida das pessoas nos tempos atuais, entre outros; A Revista Literária é do Clube dos Escritores de Piracicaba/SP; O Dicionário foi organizado pelo escritor Carlos Souza.
Marcelo de Oliveira Souza, IWA
Organizador do Concurso Literário Poesias sem Fronteiras
Contatos: : marceloosouzasom@hotmail.com e celular 71-992510196
 
XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

Ilusões

 
Ilusões

Num mundo de
Ilusões
Arvoramo-nos
Com paixões
Sonhamos
Com belas canções
Sofremos
Com enganações
Grito, choro, erramos...
- Lá vem com sermões!

Crescemos, a vida segue,
Jogados na “cova
dos leões...”
Nunca é fácil confiar
Muitos, charlatões
A vida num minuto
Outras ilusões...
Tudo é para agora
Mais confusões.

Olhamos para trás
Quantas inquietações!
Mas teve alegrias
A vida ensina
Nos dá lições.
Medo, insegurança...
Egoísmo desde criança
A vida nos dá esperança
Nem tudo é ruim
Lascerações...

Aprendendo
Com as decepções,
Estendendo a mão
Entendendo a vida
Então...
Veremos o que importa
É unir ...
Nossos corações!

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
Ilusões

Dia dos Professores

 
Dia dos Professores

Sempre comentamos com as pessoas que o professor de hoje é um verdadeiro super-herói, tentamos passar adiante o que os profissionais da educação fazem em prol da sociedade, a sua importância no nosso meio.
Em tempos de violência, as pessoas esquecem que a grande base da pirâmide social é a família e igreja, depois dela a escola desponta como alicerce, onde a criança passa a maior parte do seu tempo.
Essa instituição pública é o desembocadouro de todo tipo de pessoas, índoles, religião e tudo que possa miscigenar, cabendo ao professor conciliar todos os problemas que certamente surgirão.
A sociedade está cada vez mais violenta, a falta de respeito e amor ao próximo virou uma constante, muitos sociólogos estudam essa problemática, porém a resposta para essa situação está estampada em nossa frente: Educação.
Em tempos de governantes estrelados, percebemos que a violência aumentou, a droga se disseminou, a educação se dilui, a falta de oportunidades segue atrás.
As promessas dos nossos mandatários é de fortalecer a segurança, mas a falta de oportunidades na educação, vai gerar ciclicamente violência.
Administrar a Educação não é colocar escolas e por seguinte dar nomes bonitos a elas, não é criar projetos pífios que não vão a lugar nenhum, administrar educação não é obrigar professor fazer prova de certificação; gerir educação é nortear alunos e professores para o desenvolvimento de ambos, com propostas que possam tirar o alunado do obscuro, criando mais oportunidades para eles.
Não adianta alardear nos segmentos da valorosa imprensa que a educação vai bem, se ela fosse bem, não existia essa convulsão social onde a falta de oportunidades transformou regiões de favelas em verdadeiros guetos cujo poder paralelo se consolidou.
Nesse dia dos professores vamos glorificá-los, pois a situação não está pior ainda porque os nossos heróis da caneta ainda norteiam muita gente que quer crescer, senão a anarquia geral e irrestrita já estaria dominando a “terra brasilis”.
Grandes profissionais do magistério sigam em frente, sem olhar para trás, pois não existe mal que dure para sempre, pois a vitória de quem pratica o bem é certa!

Marcelo de Oliveira Souza

Dia dos Professores

Sempre comentamos com as pessoas que o professor de hoje é um verdadeiro super-herói, tentamos passar adiante o que os profissionais da educação fazem em prol da sociedade, a sua importância no nosso meio.
Em tempos de violência, as pessoas esquecem que a grande base da pirâmide social é a família e igreja, depois dela a escola desponta como alicerce, onde a criança passa a maior parte do seu tempo.
Essa instituição pública é o desembocadouro de todo tipo de pessoas, índoles, religião e tudo que possa miscigenar, cabendo ao professor conciliar todos os problemas que certamente surgirão.
A sociedade está cada vez mais violenta, a falta de respeito e amor ao próximo virou uma constante, muitos sociólogos estudam essa problemática, porém a resposta para essa situação está estampada em nossa frente: Educação.
Em tempos de governantes estrelados, percebemos que a violência aumentou, a droga se disseminou, a educação se dilui, a falta de oportunidades segue atrás.
As promessas dos nossos mandatários é de fortalecer a segurança, mas a falta de oportunidades na educação, vai gerar ciclicamente violência.
Administrar a Educação não é colocar escolas e por seguinte dar nomes bonitos a elas, não é criar projetos pífios que não vão a lugar nenhum, administrar educação não é obrigar professor fazer prova de certificação; gerir educação é nortear alunos e professores para o desenvolvimento de ambos, com propostas que possam tirar o alunado do obscuro, criando mais oportunidades para eles.
Não adianta alardear nos segmentos da valorosa imprensa que a educação vai bem, se ela fosse bem, não existia essa convulsão social onde a falta de oportunidades transformou regiões de favelas em verdadeiros guetos cujo poder paralelo se consolidou.
Nesse dia dos professores vamos glorificá-los, pois a situação não está pior ainda porque os nossos heróis da caneta ainda norteiam muita gente que quer crescer, senão a anarquia geral e irrestrita já estaria dominando a “terra brasilis”.
Grandes profissionais do magistério sigam em frente, sem olhar para trás, pois não existe mal que dure para sempre, pois a vitória de quem pratica o bem é certa!

Marcelo de Oliveira Souza
 
Dia dos Professores

Raio de Sol

 
Raio de Sol

O Raio de Sol desponta
Na concepção...
Tudo fica diferente
Na vida mais emoção,
Menino ou menina
Uma grande dúvida.

Eu só queria meu
Coração...

Com onze dias
Aparece a lindeza
Que alegra a minha vida
Uma menina querida
Que nos transformou
Em pai, mãe e irmão.

O presente divino
Cada dia mais constante
Nos deixou menino
E o pai mais importante
Com esse grande elo vivo
de família e união.

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
 
Raio de Sol

Tríduo de aniversário

 
O Tríduo de Aniversário

Vidas distintas
Um homem e uma mulher
Ele morou fora
Ela nasceu dentro, outra hora.

Cada um no seu tempo
Ele foi pros mares
Ela fincou o pé na terra,
Uma vida atrás da serra.

Pessoas e mentes diferentes
Mas um dia surgiu uma vertente,
Dele saiu outro,
Dela saiu outra
Nesse mundo tem muita gente!

Os peixes do aquário
Sem multiplicaram
Cresceram e se encontraram
Polos opostos que se amam.

Para no dia dos seus nascimentos
Vir um presente de Deus
Conclamando o amor
Com uma cerimonia de casamento.

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
Tríduo de aniversário

Coração de Estudante

 
Coração de Estudante

Hoje é comemorado o Dia do Estudante, onde temos que refletir muito sobre a vida de quem vai dirigir a nossa sociedade produtiva futuramente.
A educação é muito mais abrangente do que imaginamos, desde que nascemos, começamos a aprender, o nosso cérebro é o mais perfeito computador, que registra e apreende a cada segundo, principalmente quando estamos começando a nossa jornada da vida.
Nessa abstração cerebral, temos que dar aos nossos filhos todas as facilidades possíveis para que o crescimento cognitivo da criança flua normalmente, oferecendo carinho, atenção e instrução.
Não importa a classe social, o amor não é medido através do valor financeiro, ele é medido por sentimento, que é a nossa verdadeira herança.
Quando a criança começar a sua vida estudantil, deverá estar pronta para engendrar em outro mundo, acreditando-se que a primeira etapa - a educação que vem de casa – já esteja cumprida.
Não adianta o professor “jogar” um monte de informação para quem não tem a mínima condição emocional ou orgânica de abstraí-la.
Educação é muito mais que isso, assim como educar é muito mais abrangente que o aprendizado na escola.
O Coração de Estudante, muitas vezes já vem fragilizado de casa e não há nenhuma educação que possa instruir um coração fragilizado, precisamos antes disso, recuperar a autoestima do estudante, mostrar a sua importância para a sociedade, que é a maior aula de todos os professores, a partir daí, conseguiremos alcançar algum resultado.

Feliz Dia do Estudante.

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
Coração de Estudante

Bala

 
Bala

A embalagem a abrir
Sabor a aproveitar
Como é gostoso
A bala degustar.
O açúcar na minha alma
Gosto que acalma.
A bala embala,
Numa embalagem
Que declama
Numa embalagem
Que fala!

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
Bala

Que tiro foi esse?

 
Que tiro foi esse?

De repente ouve-se um tiro, a pessoa vai no chão, mais um tiro, cai outra pessoa, quando nada, acerta a mesma pessoa, depois aparece uma sequência musical e quem estava prostrado, levanta-se alegremente a dançar.
É assim que parte da sociedade brasileira está lidando com a violência que permeia o nosso país.
Nessa mesma semana houve uma chacina em Fortaleza onde morreu pelo menos uma dezena de pessoas, sem ter nem mesmo muita notícia sobre esse terrível ato.
A nossa sociedade já banalizou a violência há muito tempo, onde existem verdadeiros genocídios nas favelas brasileiras, aqui em Salvador não ficamos atrás, não saímos mais durante a noite, de dia saímos com medo de tudo e todos.
Contudo quando esse assunto é abordado, é feito através de brincadeira, cujo "tiro" feito na música está em sentido figurado, mesmo refletindo intrinsecamente a violência das favelas do Rio, poderia servir para uma reflexão dos tempos terríveis pelo qual passamos.
Ao invés de virar protesto, virou alegria de receber esse "tiro" e dá um "arraso" enquanto isso a criminalidade arrasa famílias, onde a impunidade reina com alegria.

Marcelo de Oliveira Souza IwA
 
Que tiro foi esse?

Escória Ruim

 
Escória Ruim!

Catalunha
Espanha
A gente sonha
Turistas pela cidade
De qualquer idade
Paraíso catalão
A tranquilidade
Sem confusão
Pernas batendo
Em toda a nação!

Dia e noite
Quem está lá,
É comemoração
Uma verdadeira
Realização.
Num súbito grito
Vem um louco
Na direção...
... ziguezagueando
Derruba sonhos,
Em prantos a confusão
Corpos voando,
Largados no chão
E a dor da realidade
Invade a pista em riste
O ceifador não desiste
Dessa loucura triste.

O luto invade
De forma tamanha
Mas o que a gente sonha
Não terminará assim
A vida conclama
E a justiça divina clama!
Um dia vai derrotar
Essa escória ruim,
Onde todo mal tem seu fim.
*
*
*
*

Marcelo de Oliveira Souza,iwa

Homengem Às vítimas do terrorismo na Espanha, 17/08/2017
 
Escória Ruim

O Amigo Ladrão!

 
O amigo Ladrão

Essa brincadeira
Dá a maior confusão,
O presentinho cabe na palma da mão.
Tem o esperto e o bobalhão
Que vai correndo com a numeração
Atrás da compensação.
Todo mundo com a sua tranqueira
E uns poucos com a desejada premiação.

Tem apalpos e urros nessa mobilização
Ainda tem o teimoso que não larga a mão
Da melhor escolha do rateio da reunião.

Dá de tudo nessa convenção
Até a dona da festa larga o pote de vidro
no chão.
O estouro causa comoção,
Os cacos são recolhidos
E o evento continua com atração,
No final todos saem com sua “bandeira”
Com risos e gozação
Um presente pior que o outro
Mas muito amor no coração.

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
 
O Amigo Ladrão!

Escritor carioca radicado na Bahia, ganha mais um prêmio!

 
Escritor carioca radicado na Bahia, ganha mais um prêmio.

O escritor carioca radicado na Bahia, Marcelo de Oliveira Souza, organizador do Concurso Literário Poesias sem Fronteiras e Prêmio Literário escritor Marcelo de Oliveira Souza,iwa; autor dos livros Conto & Reconto; A Sala de Aula; Confissões Poéticas e Sobrevivendo; do Blog maarceloescritor2 e site poesiassemfronteiras; acaba de entrar no Núcleo Acadêmico de Letras e Artes de Lisboa, recebendo uma linda comenda e diploma, onde agradece seus amigos e colaboradores pela honraria.

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
Escritor carioca radicado na Bahia, ganha mais um prêmio!

Nordestino

 
Nordestino

No passado...
Rejeitado, escondido...
O nordeste segregado, esquecido.
O povo unido saiu fortalecido.

Num mapa modificado
Hoje é preferido...
Com sua agricultura
De nível desenvolvido.

Um país dentro do país
Eita nordestino retado!
No seu dia, é alegria,
Sendo devidamente comemorado.

No interior sofrido...
A seca o agride com agonia
De forma destacada,
No entanto,
Ele segura forte seu destino,
E a seca virou sua aliada!

A força do nordestino
É persistência desde menino,
A mão e a obra fez-se destino
E hoje tem quem vai
Tem quem vem,
Mas uma coisa temos certeza
Sem o nordestino,
Não somos ninguém!

• Homenagem ao dia do nordestino brasileiro

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
Nordestino

Homenagem ao dia do Trabalho

 
O Rei do Sertão

Não tem Virgulino
Corisco, nem Lampíão!
Segurando a lamparina
Tranquilo, está
o Rei do Sertão!

A seca aumenta
O juízo esquenta
O Rei do Sertão!
Com a enxada na mão!

Derruba uma , duas, três...
Quem disse que não é de uma só vez?
Cada espaço com o seu feijão,
Ninguém o supera...
A chuva esparsa só cai ali
Naquele espaço!

O rei do sertão
Com sua superstição...
Vislumbra a "barra" do vento
Ao relento, ele manda.

O Reinatão ninguém supera
Com a clava forte "debulha",
seca e ensaca,
O Valente Renatão
Das tarefas de Terra
Do milho que encerra
a safra e que conquista
Tudo naquela serra.

Marcelo de Oliveira Souza.IWA
 
Homenagem ao dia do Trabalho

Resultado do XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

 
Resultado do XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

É com muita satisfação que informo os resultados do XII concurso Literário Poesias sem Fronteiras
Tivemos escritores de quase todos os estados do país, inclusive de Portugal e dos Estados Unidos da América, como sempre de todas as idades e segmentos sociais.
Agradecemos a participação de todos e todas e contamos com a participação do nosso próximo evento, agradecemos também as entidades e pessoas que apoiaram e divulgaram o nosso evento, o Clube dos Escritores de Piracicaba, Academia de Letras de Teófilo Otoni e Academia de Ciências e Artes de Arraial do Cabo, bem como a Sociedade Ibero-americana de Escritores.
O Clube dos Escritores de Piracicaba está aceitando novos escritores, seria uma honra dividir o nosso espaço com os participantes desse Evento, ao qual participo do Conselho Acadeâmico, segue e-mail de contato clube.escritores@uol.com.br. Sob minha indicação.
Temos também alguns exemplares do livro de Antologia do XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras, que podemos vender ao preço de R$ 48,00 a unidade, sob encomenda registrada para nossa segurança. Registro por nossa conta!
Aproveito para pedir aos vencedores que ao receberem a premiação, que enviem uma foto sua com o prêmio, junto com ela um depoimento sobre o nosso evento para a divulgação na mídia possível.
Faremos também um painel para colocar no Face e no site oficial do concurso, com todos os vencedores de todos os anos, dos nossos eventos: Poesias sem Fronteiras e Prêmio Escritor Marcelo de Oliveira Souza.

.

Menção Honrosa Internacional:
Silvio Parise – EUA

Terceiro Lugar:
Glaucia Regiane Nunes Polini – São Francisco do Sul – SC

Segundo Lugar:
Gedalva Neres da Paz - Salvador – BA

Primeiro Lugar:
Valéria Pisauro – Campinas - SP

Quem desejar ser avisado do nosso próximo evento, é só enviar uma mensagem para marceloosouzasom@hotmail.com

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Escritor e Organizador do Evento
 
Resultado do XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

Sofrimento sem Água

 
Sofrimento sem Água

Seca, secura
do mal, uma amargura
Corpos Esquálidos
Caídos, Fedidos.

O sertão perdido
Parecendo punido
Da dor, um prurido...
Desejado, belo,
Vira bicho fedido.

Na gosma, vem o alarido
Com o corpo repartido
Vem o alimento da ave carniceira
Onde de repente
O céu se fecha...
Cuja água aplaca o sofrimento
Por um momento...
Para depois tudo recomeçar.

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
Sofrimento sem Água

Marcelo de Oliveira Souza,IWA: Natural do Rio de Janeiro, formado na Universidade Católica do Salvador. Pós-graduado pela Faculdade Visconde de Cairu com convênio com a APLB/UNEB; Embaixador da Poesia, nomeado pela Academia Virtual de Letras Artes e Cult