Poemas, frases e mensagens de marcelooso

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de marcelooso

***************************
Sou amigo e companheiro, preservo as boas amizades e a sinceridade.

A Barata e o Cascudo

 
A Barata e o cascudo

Do nojo impregnado
Na barata descascada
Vem o cascudo
A perguntar.

Na sua vida desvairada
Sua casca descolada
Tens utilidade?

A barata descascada
Retrucou numa sentada
Que seu recalque não tem sentido
Na sua vida desvalida
Tu és cascudo!

Um metido a limpinho
Que recém saiu do ninho
Que o humano ao olhar o cascudinho direitinho
Vê uma batata vestida com linho!

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
 
A Barata e o Cascudo

Pena Mortal!

 
Pena Mortal

Nesse final de semana ocorreu a execução do primeiro brasileiro a sofrer essa pena mortal no exterior, ele estava em um ultraleve recheado de cocaína.
O veículo ficou tão pesado quanto sua sentença definitiva, onde a nossa presidenta pediu diversas vezes clemência ao governo da Indonésia.
O falecido, como muitos brasileiros, estão acostumados a viver em um país de bandalheira, onde as leis existem para não serem cumpridas e o choque cultural provocou esse triste incidente, pois se fosse aqui no Brasil, ele muito provavelmente nem estaria atrás das grades, principalmente se for réu primário.
O nosso imenso país chega a ser a terra das oportunidades para o ilícito, pois a criminalidade vem de cima para baixo, ocupando muitas vezes cargos públicos deveras prestigiados, como estamos cansados de ver onde a última bomba está sendo a máfia das próteses, fazendo esquecer o drama da Petrobrás que está afundando no próprio petróleo.
Como é escândalo encima de escândalo, a gente perde até as contas, mas quem é pago e quem deve vigiar essa celeuma, muitas vezes está envolvido.
Assim o drama desce de escalão com os traficantes dominando várias cidades pelo país e para sustentar esse vício, a criminalidade também aumenta, chegando até o ladrão descalço que arrebata seu celular quando você vai tirar aquela linda foto.
O nosso país é cheio de maravilhas naturais, é uma nação muito rica e por isso não percebemos quanto dinheiro escoa pelo ralo e principalmente para as contas de terceiros.
A presidenta Dilma ficou chocada com a Pena Mortal, onde já tem até outro brasileiro na fila, que recheou a prancha de surf de cocaína, ele queria surfar bem alto, terminando também no mesmo corredor da morte, contudo nós também pedimos clemência presidenta, para que vossa excelência veja o drama do nosso país onde a Pena Mortal vigora todos os dias da semana, mas não é só para os bandidos, é principalmente para os cidadãos de bem, aquele trabalhador que acorda no escuro do horário de verão com medo de sair na esquina, onde tem um carrasco esperando para fazer a sua primeira féria do dia.

Marcelo de Oliveira Souza, IWA
 
Pena Mortal!

XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

 
XII CONCURSO LITERÁRIO POESIAS SEM FRONTEIRAS

(inscrições de 01 de abril 2016 até quando a cota do livro for preenchida)



Realização dos sites www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net ; http://marceloescritor2.blogspot.com e faceboook.com/psfronteiras
Apoio: Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências /RJ; Academia de Letras de Teófilo Otoni /MG; Clube dos Escritores Piracicaba/SP.
Com o objetivo de estimular poetas de todo o Brasil e de outros países, o concurso premia os melhores trabalhos, comprovando o sucesso com sua 12a edição. Em parceria com o Celeiro dos Escritores, para a publicação da Antologia "POESIAS SEM FRONTEIRAS", onde TODAS as poesias participantes do evento estarão publicadas.
Todos os poetas receberão um exemplar da obra, na residência, sem nenhum ônus além da taxa de inscrição (via correios, registrado).
Os poetas tem que ter idade a partir dos 16 anos e devem enviar uma poesia (máximo 35 linhas ou 1200 caracteres com espaço), tema LIVRE, através da Ficha de Inscrição do site - http://www.celeirodeescritores.org/inscricao.asp opção Concurso Poesias sem Fronteiras

Taxa de inscrição: R$ 45,00 - que corresponde a 01 exemplar da Antologia. (A ser paga através de boleto bancário, que será enviado ao participante pelo Celeiro, para a caixa de e-mail inscrita.)
É permitido participar com mais poesias, observando: Uma poesia para cada inscrição. Exemplificando: 02 poesias = 02 exemplares = R$ 90,00
Escritores residentes, fora do país : 35 dólares/ euros por inscrição/um exemplar.
A Antologia "POESIAS SEM FRONTEIRAS"" será publicada no mês: JULHO/2016
Obs: Inscrições de outros países serão aceitas desde que estejam na língua oficial do concurso é Língua Portuguesa.
Os autores residentes fora do Brasil, devem enviar o valor da taxa de inscrição, via Western Union, se tiverem dificuldade entrar em contato com: Marcelo de Oliveira Souza - através do e-mail marceloosouzasom@hotmail.com .
RESULTADO: No site oficial do concurso: www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net ; http://marceloescritor2.blogspot.com ; faceboook.com/psfronteiras

Premiação:
1°lugar: Troféu personalizado com o nome do autor e colocação + 1 camiseta oficial do concurso-tam G + certificado + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso
2° lugar: Certificado + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso + Dicionário de Autores Contemporâneos da BA
3° lugar: Certificado + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso. + Revista Literária
• Menção Honrosa Internacional: Daremos uma Menção Honrosa Internacional para o melhor autor estrangeiro que não estiver entre os três primeiros lugares, cuja premiação será: certificado + Livro de Crônicas Sobrevivendo + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso.
Obs: O Livro Sobrevivendo é de autoria do Organizador do Concurso, que versa sobre as dificuldades de vida das pessoas nos tempos atuais, entre outros; A Revista Literária é do Clube dos Escritores de Piracicaba/SP; O Dicionário foi organizado pelo escritor Carlos Souza.
Marcelo de Oliveira Souza, IWA
Organizador do Concurso Literário Poesias sem Fronteiras
Contatos: : marceloosouzasom@hotmail.com e celular 71-992510196
 
XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

Dia dos Professores

 
Dia dos Professores

Sempre comentamos com as pessoas que o professor de hoje é um verdadeiro super-herói, tentamos passar adiante o que os profissionais da educação fazem em prol da sociedade, a sua importância no nosso meio.
Em tempos de violência, as pessoas esquecem que a grande base da pirâmide social é a família e igreja, depois dela a escola desponta como alicerce, onde a criança passa a maior parte do seu tempo.
Essa instituição pública é o desembocadouro de todo tipo de pessoas, índoles, religião e tudo que possa miscigenar, cabendo ao professor conciliar todos os problemas que certamente surgirão.
A sociedade está cada vez mais violenta, a falta de respeito e amor ao próximo virou uma constante, muitos sociólogos estudam essa problemática, porém a resposta para essa situação está estampada em nossa frente: Educação.
Em tempos de governantes estrelados, percebemos que a violência aumentou, a droga se disseminou, a educação se dilui, a falta de oportunidades segue atrás.
As promessas dos nossos mandatários é de fortalecer a segurança, mas a falta de oportunidades na educação, vai gerar ciclicamente violência.
Administrar a Educação não é colocar escolas e por seguinte dar nomes bonitos a elas, não é criar projetos pífios que não vão a lugar nenhum, administrar educação não é obrigar professor fazer prova de certificação; gerir educação é nortear alunos e professores para o desenvolvimento de ambos, com propostas que possam tirar o alunado do obscuro, criando mais oportunidades para eles.
Não adianta alardear nos segmentos da valorosa imprensa que a educação vai bem, se ela fosse bem, não existia essa convulsão social onde a falta de oportunidades transformou regiões de favelas em verdadeiros guetos cujo poder paralelo se consolidou.
Nesse dia dos professores vamos glorificá-los, pois a situação não está pior ainda porque os nossos heróis da caneta ainda norteiam muita gente que quer crescer, senão a anarquia geral e irrestrita já estaria dominando a “terra brasilis”.
Grandes profissionais do magistério sigam em frente, sem olhar para trás, pois não existe mal que dure para sempre, pois a vitória de quem pratica o bem é certa!

Marcelo de Oliveira Souza

Dia dos Professores

Sempre comentamos com as pessoas que o professor de hoje é um verdadeiro super-herói, tentamos passar adiante o que os profissionais da educação fazem em prol da sociedade, a sua importância no nosso meio.
Em tempos de violência, as pessoas esquecem que a grande base da pirâmide social é a família e igreja, depois dela a escola desponta como alicerce, onde a criança passa a maior parte do seu tempo.
Essa instituição pública é o desembocadouro de todo tipo de pessoas, índoles, religião e tudo que possa miscigenar, cabendo ao professor conciliar todos os problemas que certamente surgirão.
A sociedade está cada vez mais violenta, a falta de respeito e amor ao próximo virou uma constante, muitos sociólogos estudam essa problemática, porém a resposta para essa situação está estampada em nossa frente: Educação.
Em tempos de governantes estrelados, percebemos que a violência aumentou, a droga se disseminou, a educação se dilui, a falta de oportunidades segue atrás.
As promessas dos nossos mandatários é de fortalecer a segurança, mas a falta de oportunidades na educação, vai gerar ciclicamente violência.
Administrar a Educação não é colocar escolas e por seguinte dar nomes bonitos a elas, não é criar projetos pífios que não vão a lugar nenhum, administrar educação não é obrigar professor fazer prova de certificação; gerir educação é nortear alunos e professores para o desenvolvimento de ambos, com propostas que possam tirar o alunado do obscuro, criando mais oportunidades para eles.
Não adianta alardear nos segmentos da valorosa imprensa que a educação vai bem, se ela fosse bem, não existia essa convulsão social onde a falta de oportunidades transformou regiões de favelas em verdadeiros guetos cujo poder paralelo se consolidou.
Nesse dia dos professores vamos glorificá-los, pois a situação não está pior ainda porque os nossos heróis da caneta ainda norteiam muita gente que quer crescer, senão a anarquia geral e irrestrita já estaria dominando a “terra brasilis”.
Grandes profissionais do magistério sigam em frente, sem olhar para trás, pois não existe mal que dure para sempre, pois a vitória de quem pratica o bem é certa!

Marcelo de Oliveira Souza
 
Dia dos Professores

Raio de Sol

 
Raio de Sol

O Raio de Sol desponta
Na concepção...
Tudo fica diferente
Na vida mais emoção,
Menino ou menina
Uma grande dúvida.

Eu só queria meu
Coração...

Com onze dias
Aparece a lindeza
Que alegra a minha vida
Uma menina querida
Que nos transformou
Em pai, mãe e irmão.

O presente divino
Cada dia mais constante
Nos deixou menino
E o pai mais importante
Com esse grande elo vivo
de família e união.

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
 
Raio de Sol

Tríduo de aniversário

 
O Tríduo de Aniversário

Vidas distintas
Um homem e uma mulher
Ele morou fora
Ela nasceu dentro, outra hora.

Cada um no seu tempo
Ele foi pros mares
Ela fincou o pé na terra,
Uma vida atrás da serra.

Pessoas e mentes diferentes
Mas um dia surgiu uma vertente,
Dele saiu outro,
Dela saiu outra
Nesse mundo tem muita gente!

Os peixes do aquário
Sem multiplicaram
Cresceram e se encontraram
Polos opostos que se amam.

Para no dia dos seus nascimentos
Vir um presente de Deus
Conclamando o amor
Com uma cerimonia de casamento.

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
Tríduo de aniversário

A Selva da Incompreensão

 
A Selva da Incompreensão

Antigamente quando eu era criança, a gente aprendeu o que seria democracia, o poder emanando da gente e o nosso país crescendo, era o sonho dourado pós-ditadura.
Hoje esse sonho sequer realizou, o país empobrecendo, sendo pilhado por gente grande, mas não bastando isso tudo, lutamos contra o nosso próprio povo, a violência campeia a passos largos, da mesma forma que os nossos direitos, cada um luta de uma maneira para poder se desvencilhar do laço dos nossos caçadores.
As emendas à nossa constituição, são constantes, não existe praticamente nenhuma lei nova que possa beneficiar o trabalhador, é só direito sendo vilipendiado e obrigações sendo impostas.
Falando em imposição, o chamado “leão”, come praticamente a nossa mão, personificaram um bicho carnívoro e com muito apetite para poder “comer” nosso imposto de renda, cujo cálculo de devolução já está defasado há muito tempo.
O interessante que tem outro bicho terrível chamado “dragão”, que nos aterroriza até em nossos piores pesadelos; onde esses animais monitorados pelos caçadores controlam tudo que a gente possui, aumentando e diminuindo juros, enriquecendo mais ainda os banqueiros e nos pondo ao nível da pobreza, cujo cidadão de bem já parou de sonhar.
Aqui no Brasil é contado o número de pessoas que enriquecem trabalhando, somos assalariados sim, sonhamos com dias melhores, contudo sentimos que vêm dias piores, com o aumento do tempo de contribuição da aposentadoria, fim do décimo terceiro e salário-férias.
Diante dessa crise toda, nossos algozes implementaram a famosa “democradura” tornando a nossa vida que já não é fácil, mais dura ainda, onde remamos verdadeiramente contra a maré, procurando um horizonte com um porto seguro nessa “selva” brasileira, que de macacos, viramos ienas - rindo da nossa miséria – agora aos poucos, vamos acordando, passando a ser “formiguinhas” lutando contra os “rinocerontes” do poder.

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
A Selva da Incompreensão

Mosquitão!

 
Mosquitão

Num desses subúrbios de Salvador, existe uma família muito especial, lá na Rua dos Prazeres, numa casinha verde e amarela, D. Silvia vivia com duas filhas - Brenda e Carla - em plena adolescência ela precisava muito trabalhar, pois o seu esposo . Cláudio, teve um grave problema de saúde por causa do grande vilão de hoje em dia, o Aedes Aegypti, estando internado com dengue hemorrágica.
Justamente ela, que trabalha como agente de saúde, teve gente de dentro do seio da sua família infectado com essa doença.
Mas o grande malfeitor dessa história não foi nem esse inseto asqueroso, foi o seu vizinho Mário, que teima em deixar água empoçada nos vasos de planta, ele e sua família costumam dizer que isso é propaganda do governo para vender remédio, mesmo com sua irmã Dulce acamada com a tal da Zica dos infernos!
Aquela rua dos Prazeres já estava se transformando na rua do Aedes, enquanto uns tratavam o seu terreno adequadamente, tinham outros que seguiam a cartilha de Mário, inventavam um monte de desculpa para jogar lixo pela janela, a gente só via garrafinhas pet, tampinhas, copinhos de sorvete, tudo que não podia, sair pelas suas respectivas janelas, ganhando o mundo.
Maria e Chupeta eram as duas filhas de Mário, elas engrossavam a fila da falta de educação, como filho de peixe, peixinho é...
Só que na escola que eles estudavam, já estava fazendo campanha há muito tempo sobre essa problemática, a professora de ciências deles, Márcia fez um projeto muito legal e trouxe um monte de depoimento de pessoas que pegaram Zica, Chickngunya, Dengue e até trouxe uma criancinha com microcefalia, juntando a comunidade local para assistir tudo.
A nossa amiga agente de saúde deu um depoimento emocionante, falando da dificuldade de trabalhar com esses vizinhos que veem na Tv, que não pode jogar lixo pela janela, que deve-se cuidar do seu terreno, tirar água dos vasos, mas nem por isso eles fazem, disse que tem gente que pegou dengue três vezes, mas continua a deixar água empoçada, ainda por cima não deixa nenhum agente de saúde entrar em sua residência, fazendo pois, tudo errado.
Sua filha Brenda, que também estuda nessa escola, disse que seus colegas pensam da mesma forma e é muito difícil fazer a conscientização, porque no Brasil quem faz o certo é taxado como abestalhado, ou até de maluco.
A professora Márcia intercedeu e dizendo que não podemos deixar esse tipo de desânimo aplacar o desejo de reagir diante dessa epidemia.
Mário estava lá e foi logo levado à berlinda, sendo perguntado por que ele fazia tudo errado, pondo em perigo toda a saúde da comunidade, ele desconversou, dizendo que eram as meninas que faziam isso, Maria e Chupeta logo reagiram e ainda disseram que ele deveria ter vergonha que esse ato deplorável era exemplo dele e aí a confusão se instalou, precisou a diretora da escola interferir,
Diante de tantas imagens tristes: hospitais superlotados, criancinhas com microcefalia, frascos de insetos gigantes zunindo, até as pernas começaram a coçar.
As acusações mútuas se sucederam até que Carla, que não era de falar muito deu um grito:
- Cala a Boca mosquitão!
A baderna voltou, Mário saiu de mansinho, mas o apelido pegou e quando ele ia jogar algo pela janela tinha um zunindo, zunindo..
Ele já dormia pensando nesses mosquitos, era cada mosquitão maior do que o outro, chegava até sonhar que estava deitado, abraçado com um desses monstros...
Até que ele se tocou e terminou se consertando, até mesmo ajudando os vizinhos a cuidar de seus próprios terrenos, criando até um pomar num lugar onde só havia lixo e chorume, sendo um grande exemplo para todos os moradores daqui dessa cidade e de outras também, porque não basta união e esclarecimento, basta ter força de vontade e acreditar que juntos podemos melhorar.

Marcelo de Oliveira Souza,IWA

Uma campanha contra o mosquitos Aedes Aegypti
 
Mosquitão!

Feiceboqueanos

 
Feiceboqueanos

Aportuguesado
Pelos brasileiros, amado
O mundo todo num quadrado
Curtição, viagem, comunicado
Todo mundo ligado!
Amigos de sempre, acompanhado
A solidão extinta num achado!

Às vezes dá medo do desconhecido
Um amigo, fã ou até louco desvairado...
Para menores proibido,
Nem por isso deixa de ser frequentado,
A caixinha de jogos, aplicativo instalado.

Motivo de briga de apaixonado
Escorregou fica desconectado
O bem e o mal polarizado
Todo mundo com muito cuidado
Mas o que é bom e apreciado,
Bem que pode ser eternizado!

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
 
Feiceboqueanos

Amor & Amar - Feliz Aniversário

 
Amor & Amar

Deitado no final do dia
Dá aquela nostalgia!
Muito tempo se passou
Quanta gente nos ama
Quanta gente nos amou!

Alegria, tristeza, decepções
Tudo vem a seu momento
Ocupando nossos corações
Mas amanhã será diferente.

Gritos, palmas e emoções
Vem tudo juntinho
Na surpresa que não é surpresa
Invadindo de multidão!.

Nessa existência
Isso é que importa
Amor & amar...
Não tem remédio nem ciência
Nesse seu aniversário...
Ele é único, só seu ...
Onde nós cantamos sempre
Feliz Aniversário
Parabéns para você!


Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
Amor & Amar  - Feliz Aniversário

O Último Pilar

 
O Último Pilar

Festa, música, foliões
Comemoremos seu nascimento
Cheio de emoções,
Um carnaval diferente
Vem mais um membro da gente!

Charles vem unindo multidões
A vida se enche
Todo mundo contente,
A família completa
Em cinco corações.

Em cinco verões
Tudo isso mudou
O carnaval ficou diferente
“Mudaram” até as canções;
Agora com a morte
do nosso ente,
O 24 ficou inconsistente
Numa festa seca
Com ricos, pobres indigentes...

Todos sem noções
Na comemoração momesca
Com tua ausência,
Pobres foliões!

Ruiu o último pilar
Foi a primeira peça
Para tudo implodir
E nada mais restar!

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
O Último Pilar

O Amigo Ladrão!

 
O amigo Ladrão

Essa brincadeira
Dá a maior confusão,
O presentinho cabe na palma da mão.
Tem o esperto e o bobalhão
Que vai correndo com a numeração
Atrás da compensação.
Todo mundo com a sua tranqueira
E uns poucos com a desejada premiação.

Tem apalpos e urros nessa mobilização
Ainda tem o teimoso que não larga a mão
Da melhor escolha do rateio da reunião.

Dá de tudo nessa convenção
Até a dona da festa larga o pote de vidro
no chão.
O estouro causa comoção,
Os cacos são recolhidos
E o evento continua com atração,
No final todos saem com sua “bandeira”
Com risos e gozação
Um presente pior que o outro
Mas muito amor no coração.

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
 
O Amigo Ladrão!

Escritor carioca radicado na Bahia, ganha mais um prêmio!

 
Escritor carioca radicado na Bahia, ganha mais um prêmio.

O escritor carioca radicado na Bahia, Marcelo de Oliveira Souza, organizador do Concurso Literário Poesias sem Fronteiras e Prêmio Literário escritor Marcelo de Oliveira Souza,iwa; autor dos livros Conto & Reconto; A Sala de Aula; Confissões Poéticas e Sobrevivendo; do Blog maarceloescritor2 e site poesiassemfronteiras; acaba de entrar no Núcleo Acadêmico de Letras e Artes de Lisboa, recebendo uma linda comenda e diploma, onde agradece seus amigos e colaboradores pela honraria.

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
Escritor carioca radicado na Bahia, ganha mais um prêmio!

Homenagem ao dia do Trabalho

 
O Rei do Sertão

Não tem Virgulino
Corisco, nem Lampíão!
Segurando a lamparina
Tranquilo, está
o Rei do Sertão!

A seca aumenta
O juízo esquenta
O Rei do Sertão!
Com a enxada na mão!

Derruba uma , duas, três...
Quem disse que não é de uma só vez?
Cada espaço com o seu feijão,
Ninguém o supera...
A chuva esparsa só cai ali
Naquele espaço!

O rei do sertão
Com sua superstição...
Vislumbra a "barra" do vento
Ao relento, ele manda.

O Reinatão ninguém supera
Com a clava forte "debulha",
seca e ensaca,
O Valente Renatão
Das tarefas de Terra
Do milho que encerra
a safra e que conquista
Tudo naquela serra.

Marcelo de Oliveira Souza.IWA
 
Homenagem ao dia do Trabalho

Resultado do XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

 
Resultado do XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

É com muita satisfação que informo os resultados do XII concurso Literário Poesias sem Fronteiras
Tivemos escritores de quase todos os estados do país, inclusive de Portugal e dos Estados Unidos da América, como sempre de todas as idades e segmentos sociais.
Agradecemos a participação de todos e todas e contamos com a participação do nosso próximo evento, agradecemos também as entidades e pessoas que apoiaram e divulgaram o nosso evento, o Clube dos Escritores de Piracicaba, Academia de Letras de Teófilo Otoni e Academia de Ciências e Artes de Arraial do Cabo, bem como a Sociedade Ibero-americana de Escritores.
O Clube dos Escritores de Piracicaba está aceitando novos escritores, seria uma honra dividir o nosso espaço com os participantes desse Evento, ao qual participo do Conselho Acadeâmico, segue e-mail de contato clube.escritores@uol.com.br. Sob minha indicação.
Temos também alguns exemplares do livro de Antologia do XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras, que podemos vender ao preço de R$ 48,00 a unidade, sob encomenda registrada para nossa segurança. Registro por nossa conta!
Aproveito para pedir aos vencedores que ao receberem a premiação, que enviem uma foto sua com o prêmio, junto com ela um depoimento sobre o nosso evento para a divulgação na mídia possível.
Faremos também um painel para colocar no Face e no site oficial do concurso, com todos os vencedores de todos os anos, dos nossos eventos: Poesias sem Fronteiras e Prêmio Escritor Marcelo de Oliveira Souza.

.

Menção Honrosa Internacional:
Silvio Parise – EUA

Terceiro Lugar:
Glaucia Regiane Nunes Polini – São Francisco do Sul – SC

Segundo Lugar:
Gedalva Neres da Paz - Salvador – BA

Primeiro Lugar:
Valéria Pisauro – Campinas - SP

Quem desejar ser avisado do nosso próximo evento, é só enviar uma mensagem para marceloosouzasom@hotmail.com

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Escritor e Organizador do Evento
 
Resultado do XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

Sofrimento sem Água

 
Sofrimento sem Água

Seca, secura
do mal, uma amargura
Corpos Esquálidos
Caídos, Fedidos.

O sertão perdido
Parecendo punido
Da dor, um prurido...
Desejado, belo,
Vira bicho fedido.

Na gosma, vem o alarido
Com o corpo repartido
Vem o alimento da ave carniceira
Onde de repente
O céu se fecha...
Cuja água aplaca o sofrimento
Por um momento...
Para depois tudo recomeçar.

Marcelo de Oliveira Souza,iwa
 
Sofrimento sem Água

Salva-vidas das Cidades

 
Salva-vidas das Cidades

Esse ano será de muitas dificuldades para as pessoas, mas também será de vicissitudes para as prefeituras, cada uma procura um jeito de saldar as suas dívidas, tentando administrar o seu município e principalmente os cargos que seus companheiros ocupam.
Muitas cidades que produzem pouco ou até quem uma folha grande de empregados tem feito uma enorme “plantação” de radares de velocidade, eles não sofrem com a chuva, tampouco com a seca, só requer um pouquinho de manutenção, não precisa nem de um guarda para anotar placas de veículos, hoje é tudo informatizado! Tem máquinas que tiram fotos!
Na usura da nova “plantação”, eles multam indiscriminadamente, mas muitas vezes sequer enviam a notificação, com a bomba, para o sofrido condutor.
Quando vamos recorrer na Transalvador, esperamos mais de um ano e só recebemos a resposta que está sendo avaliado...
A multa já foi paga, pois sem ela ter sido quitada, não podemos renovar o IPVA, que por sinal não dá muito retorno.
Recentemente fomos a Ilhéus e a queixa continua igual, só muda de cenário, os administradores estão ávidos de dinheiro, lá surgiu até um slogan que o turista visita, curte mas sempre volta com a sua multa de lembrança, tem lugares lá no centro que é muito mal sinalizado, tornando a cidade da Gabriela um perfeito labirinto; em pontal, na rua principal que segue para Olivença, tem uma grande armadilha, onde só aprece uma espécie de divisória bem minúscula, que o desavisado turista sequer sabe para que serve, os administradores dizem que é uma faixa especial de táxi, foi o que chegou até nós, mas essa faixa é a recordista em multas, pois ninguém de fora poderá adivinhar que naquele lugar é uma verdadeira plantação de multas, da terra do cacau.
O ministério público precisa ser acionado para verificar essas contas e principalmente essa grande indústria da multa, cuja plantação tá sendo muito lucrativa, porém para o condutor o prejuízo é certo.

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
 
Salva-vidas das Cidades

O Livro dos Espíritos

 
Livro dos Espíritos

Na dúvida do dia a dia
Cada um escolhe a sua agonia
Sem crença e sabedoria,
Um cai na letargia.

Outro espírito ilumina
Quem ao bem destina
Abrindo o livro que nos guia.
Em mais de mil dúvidas
Com respostas de uma legião...
Todas elas aliviam nossa expiação.

No escurecer do dia
Leva-nos ao passeio noturno
Para interagir com os nossos amigos,
Ensinamos e aprendemos,
Evoluindo, crescemos...
As letras que atravessaram a inquisição
Nos guia e resolvem
Muitos problemas
Que atormentam nosso coração.

Lavando nossas antigas vestes
Construímos outras vertentes,
Palavras que desfilam em nossos olhos
Que clamam pela sabedoria
De uma jornada Kardequiana,
Onde o livro se renova na sua atualidade
Do passado, ele faz verdade
Em que o futuro da doutrina
Ficou para a eternidade.

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Do site http://marceloescritor2.blogspot.com
 
O Livro dos Espíritos

Berço Enferrujado

 
Berço enferrujado

Nessa semana passada houve uma comoção muito grande sobre o caso de um estupro coletivo, onde pelo menos trinta pessoas violentaram uma adolescente de dezessete anos.
Muitos segmentos da sociedade falaram sobre o tema, bem como muitas pessoas ficaram indignadas sobre o que vem acontecendo contra a mulher hoje em dia.
Não é de hoje que percebemos a desvalorização da mulher diante da nossa sociedade, as mulheres de hoje em dia já são tão produtivas quanto os homens, tão capazes quanto eles, seja na área que for, mas com o advento da tecnologia – que é uma coisa salutar – percebemos que as pessoas estão mais expostas a todos os tipos de pessoas, como nesse mundo de Deus tem todo tipo de gente, as pessoas estão se relacionando mais facilmente com outras tantas.
Os namoros não existem praticamente, agora é “ficar” e aproveitar o memento, fazendo tudo que deseja com o outro de pronto, a permissividade dos pais é um ingrediente fundamental, onde adolescentes e crianças conhecem todos os que desejam, logo ali, dentro do quarto.
Muitas musicas, que enalteciam a mulher, hoje sumiram e deram lugares a verdadeiros Hinos da Perversão, desvalorizando as mulheres, onde muitas ainda levam na brincadeira e dançam qualquer tipo de coreografia que exaltem a libido masculina.
Os programas jornalísticos mostram rotineiramente casos de feminicídio sobre os mais diversos motivos, as mulheres nesse tempo de violência, estão voltando a ser objetos na cabeças de muitos loucos.
Todos esses problemas são frutos da educação que “a gente” tem dentro de casa, como educamos os nossos filhos, qual o parâmetro que as mulheres e filhos tem da imagem masculina dentro do nosso lar ?
Para ser homem não precisa gritar, xingar e beber, não precisa maltratar e humilhar as pessoas - muito menos as mulheres - que muitas vezes aceitam esse tipo de tratamento, em pleno século XXI.
Homens, mulheres e adolescentes têm que perceber que a educação vem da família, pois quando o “berço é enferrujado” vai produzir pessoas com mentes de trogloditas, que mesmo assim, são muito desejados por muitas mulheres, até sentir na pele o gosto da sua má escolha.

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
 
Berço Enferrujado

Dia dos Namorados

 
Dia dos Namorados

Nestes dia difíceis, atrapalhados
de extorsões, dores, endividados,
Não conseguimos os nossos caminhos sonhados.

Como seremos felizes em tempos tumultuados?
Só existem poucas coisas, que não somos usurpados
Sem elas estamos completamente desamparados.

Cairemos numa só tristeza, desesperados...
Temos que aliviar a mente de sonhos pesados,
Lembrem-se do lindo sonho por tantos almejados.

Um amor pra sempre e dois corpos apaixonados,
A vida é linda com casais abençoados
Por isso sou muito feliz, somos amados !

Agora procure sua metade, por todos os lados
Não perca tempo, não fiquem atordoados!
Tenha fé, livre-se dos caminhos complicados
E um feliz dia dos namorados.

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
 
Dia dos Namorados

Marcelo de Oliveira Souza,IWA: Natural do Rio de Janeiro, formado na Universidade Católica do Salvador. Pós-graduado pela Faculdade Visconde de Cairu com convênio com a APLB/UNEB; Embaixador da Poesia, nomeado pela Academia Virtual de Letras Artes e Cult