https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de mocho

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de mocho

terra

 
Larguei a mão,
a tua mão,
Deixei-te.
mas fui eu quem ficou só,
fui eu que baixei o olhar.
Desta vez, não me sentei no muro.
Mal toquei no teu corpo.
Mal senti a tua presença.
Estou longe...
Falta-me a tua sombra.
Garganta seca
e lábios gretados.
Tenho sede de ti.
 
terra

promessa

 
Toca-me.
Na ligeira pressão
dos teus dedos,
um livro de memórias.
No aproximar
dos teus lábios,
pequenas faíscas.
No roçar
da tua pele,
uma promessa de vida
...eterna.
Assim [meu amor]
não digas nada...
...simplesmente...
Toca-me.
 
promessa

dançamos?...

 
Dá-me a mão. Não?... Então eu dou-te a minha.
Vamos rodopiar pela pista. Vamos encostarmo-nos um ao outro.
A tua mão na minha cintura. A minha mão no teu pescoço.
Aí, onde eu gosto tanto de te tocar.
A minha face junto à tua, enquanto me sussurras ao ouvido.
Seguimos o ritmo desta música que só nós ouvimos.
Onde os outros correm, nós vamos dançar.
Sincronizamos os nossos passos.
Eu não te deixo tropeçar.
Tu seguras-me se eu cair.
Vem...
 
dançamos?...

Viagem

 
Viagem,
o caminho perdido
já esquecido
Uma busca.
Uma falta.
Uma aposta
bem alta
entre o anjo
e o demónio,
entre o vento
e uma casa
[Lança a(s) asa(s)]
de ferro.
 
Viagem

E aqui...estamos nós

 
E aqui estamos nós,
numa esquina desta estrada,
numa curva desta rua.
Num canto escuro,
cantado por mim...
Estranha forma de vida
que procuro e possuo
que anseio e imploro,
mas odeio
com um amor louco,
de quem não sabe
para onde vai.
Mas que teima em correr
sem nunca sair do lugar.
Qual Rainha de Copas.
Coração independente...
[Eu não te acompanho mais]
 
E aqui...estamos nós

Bailarina

 
Levanta o pé
e dobra a perna.
Uma pirueta.
Um arco perfeito.
A cada tecla.
A cada compasso.
A cada puxar das cordas.
Ensaia o sonho.
O tecido leve
que acaricia o olhar.
O som branco e preto.
O toque das sapatilhas
cor-de-rosa,
no chão de madeira.
O cabelo apanhado.
Rígido. Preso. Contido.
Um movimento dos braços.
Suave, dança, tão bela...
Acorda! Foca o olhar...
Sente! Ri! Chora!
Rompe os fios.
És bailarina
de luz e poesia,
e não uma marioneta.
 
Bailarina

melancolia

 
melancolia
 
Melancólica
Como álcool que circula
Procurando os caminhos do meu corpo
Da minha alma, velha, conservada em formol
Enquanto entorno esperanças num papel

Melancólica
Absorvo sensações
Destilo palavras
Directamente do coração
Encho uma garrafa de suspiros
E sirvo um copo de saudade

(um poema escrito há muito tempo...)

img: Gonçalo Lobo Pinheiro- "O Dia em que Salazar foi à praia"
 
melancolia

ao som de Moonlight Sonata

 
moonlight sonata.
perdendo os sentidos sobre a mesa
sob o efeito narcótico das notas,
acho que vou cair neste chão de madeira.
lentamente evaporar-me.
ou, quiçá, desfragmentar-me
em pó,
lentamente levado pela brisa,
pela dança,
das palavras
que emanam destes livros,
dos clássicos e dos teóricos
lentamente
ao som da musica.
que ecoa em mim,
e canta-me de novo à vida,
como quem me conta um conto.
De sonho, som e lua.

Escrito no Intensidez, Évora. Ainda há pouco.
 
ao som de Moonlight Sonata

Simplesmente felicidade

 
um sorriso sentido
um sussurro ao ouvido
percorrer os teus traços
tocar o céu ao esticar os braços
prender a lua entre os meus dedos
e contar-lhe os meus segredos
dançar na rua
sentir-me sua
cantar bem alto
correr de salto em salto
um capuz na chuva
o vento na próxima curva
uma árvore bem antiga
uma velha amiga
não é somente simplicidade
é simplesmente felicidade
 
Simplesmente felicidade

sono

 
um bocejo...
...dois...
Tu-tum-tum
O tamborilar dos dedos
na secretária de cerejeira.
...três...
...quatro...
Tanto sono.
Vou descansar os olhos
só um bocadinho.
...cinco...
...seis...
As cores do monitor
em fogo de artificio.
O som parou.
...sete..
oito...
Só um bocadinho.
A música embala-me.
Vou já. Eu vou já.
...nove...
...dez.
 
sono

Romance

 
Esperei por ti
inerte, atenta
procurando a tua imagem
no virar da curva
lancei os olhos ao céu
com as primeiras gotas
das lágrimas,
da chuva,
pedi às estrelas
implorei ao vento
Espero por ti
enlaçei-te em pensamento
gritei o teu nome
com cada batida do meu coração
sonho contigo
com um beijo
um simples beijo
o eterno romance
 
Romance

nada

 
Não serei um boneco
nas tuas mãos
Nem um penso
na tua ferida
Não serei um escape
na tua tristeza
Nem uma pausa
no teu pensamento
Não serei uma moeda
no teu caminho
Nem um aquecedor
no teu Inverno
Não serei uma coisa
melhor que nada

Antigo, antigo...qualquer dia tenho de escrever algo de novo... Entretanto aqui fica outra coisa com anos de existência.
 
nada

À espera

 
À espera
 
Absurdo peso que carrego
Esta necessidade,
esta maldição,
de me querer fazer entender,
compreender.
A certeza de que só estarei completa
quando me esvaziar
e derramar
o que sou e o que sinto
sobre os Outros.
Os que ouvem
e os que tapam os olhos.
Assim murmuro
e grito
e esbracejo
e envio sinais de fumo
e de sonho.
Numa noite escura,
num amanhecer
num final de dia e principio
de Tudo.
Espero eternamente
que respondam uma verdade:
"Eu sinto-te..."

img: Elena tsami- Moonshadow
 
À espera

vento

 
Vento...
Leva as palavras que grito em surdina
Leva o encatamento que murmuro
Leva as memórias que quero esquecer
Leva o sorriso triste
Leva os ecos daquele sonho
Leva estas asas já gastas
Leva o sono leve
Leva um beijo para ele

Vento...
Leva-me a mim.

A primeira coisa que escrevo em anos...nada de especial, contudo.
 
vento