https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de lfracalossi

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de lfracalossi

Um verso do Poema

 
Assim a vida me incita,
por autoridade superior,
a prosseguir,
saltar os tropeços,
e, em caindo, alçar voo
e a abrir os meus braços o quanto posso,
para, num abraço aconchegante,
misturar-me ao poema
que me brindam as manhãs,
ao despertar dos meus olhos...

Lourdes Braga Fracalossi
 
Um verso do Poema

"Viagem ..."

 
"Viagem ..."
 
”Viagem ...”

Fechei todas as janelas,
porque naquele momento,
desesperadamente,
precisava da solidão...

Talvez em busca de mim mesma,
saí à procura de meus passos,
que outrora, dados com segurança,
tão distantes ficaram de mim.

Tentei ouvir-lhes o som,
perdi-me em lembranças...
E sons de risos ecoavam por todo canto,
e de músicas de ritmos alegres,
fazendo com que me perdesse ainda mais.

Indecisa, andei no escuro
e tateando fui juntando os pedaços desse caminho.
Um a um, os coloquei sobre a mesa do tempo...
Do meu tempo.
Estava completo!
Refeito!
Estava pronto!

Abri, então, em paz,
as janelas de minh'alma
e meus olhos se depararam
com o mais luminoso sol
que o Universo já me havia ofertado!

Lourdes Braga Fracalossi
 
"Viagem ..."

Eterno aprendizado

 
A maioria de nós só aprende as duras lições da vida quando elas nos batem de frente.Hoje já consigo diferenciar o que realmente são problemas para mim e o que são restos. Apenas restos, contratempos, que amanhã certamente serão substituídos por outros mais novos...

Lourdes Braga Fracalossi
 
Eterno aprendizado

OS PASSOS SEGUINTES...

 
OS PASSOS SEGUINTES...
 
Tempo,
que se confunde com as horas de entardeceres mornos
e se envolve ao som de seus silêncios,
em acordes longínquos,
doces e solitários
trazidos por ventos leves.
Perde-se!
Encontra-se!
Domina o escuro feito nesga de lua em águas mansas.
Viaja e se dilui
por entre sons e cores,
encontros e despedidas,
suavizando dores como um beijo de mãe,
mudando a música das nossas manhãs,
e colocando flores em nossos caminhos
nos induzindo crescer, amadurecer, esquecer... e seguir.

Lourdes Braga Fracalossi
 
OS PASSOS SEGUINTES...

Instantes de paz

 
Instantes de paz
 
Bendita noite
que me abraça e acalma
com acalantos suaves de ventos e de luares.
Deixa-me a sós com Deus,
com meu silêncio
e com minha alma.
Devagar adormeço em braços de nuvens...


Lourdes Braga Fracalossi
 
Instantes de paz

Morte de mim...

 
Morte de mim...
 
Não te vás amado...
Não sabes então, que partindo me matas?
Que se fores
já terei morrido antes?
É que o meu amor quase insano,
é tanto e tão imenso,
assim como o infinito num olhar sonhador...
É que todos os pássaros cantam em melodia doce,
porque és em mim.
E se assim não for,
então, não mais poderei ouvi-los,
sem que meu coração se parta em mil pedaços pequeninos,
porque o amor partiu também...
Terei morrido,
na escuridão completa dos meus dias e noites,
de amor e de dor.
Terei morrido de frio,
num corpo solitário sem abraço e sem calor.
Terei morrido
porque a razão de existir se foi...
Não te vás amado!

Lourdes braga Fracalossi
 
Morte de mim...

Um Novo Amanhecer...

 
Um Novo Amanhecer...
 
Pensei partir,
a alma já distante,
tão dolorida, um tanto confusa
e muito perdida,
mas olho-te e não consigo...

Não dou um passo sequer.
Meus pés se prendem ao chão.
Não sei sair sozinha
se ainda assim te amo,
se está em ti a minha vida.
Que vou fazer com este amor que é só teu?
Estás esculpido em meu ser.
Não sou só, és em mim.

Vem comigo...
Dê-me tua a mão!
Vamos caminhar,
ver o pôr-do-sol e o anoitecer
apagando nossas mágoas,
deixando partir a angústia,
dando nova chance ao amor.

Vamos adormecer juntinhos.
Apenas adormecer.
O novo amanhecer será, com certeza,
tão esplêndido como outrora.

Lourdes Braga Fracalossi
 
Um Novo Amanhecer...

A lua e eu...

 
A lua e eu...
 
A lua e eu...

Linda, majestosa,
no espaço a me olhar,
com a delicada expressão
de um sorriso azul...
Nada me diz.
Também não falo,
mas sabemos tudo uma da outra.
Nosso encontro é frequente,
silencioso.
Como sempre nos olhamos...
Eu viajo...
E ela, lá a guardar
todos os meus segredos.

Ah, amiga lua!
Nesses meus devaneios,
sua luz mágica sobre mim
faz-me sonhar
e... sonhando,
eu vivo amores intensos,
arrebatadores,
contos de fadas,
amores de princesa,
sou linda, tenho asas...
Sou feliz!

Mas quando amanhece e a lua se vai,
meus sonhos tornam-se pálidos,
quase inatingíveis.
Não sofro, porém,
porque que a noite é certa.
E com a noite,
a minha fiel companheira,
a me envolver em abraços enluarados
a devolver-me a esperança,
a acordar os meus sonhos.
Estou viva!

Lourdes Braga Fracalossi
 
A lua e eu...

"Pedaços..."

 
"Pedaços..."
 
"Pedaços..."

Há um pedaço
cheio de areia, cheio de sol,
de muitos ventos, todas as cores,
medos e risos,
contos de fada...

Há um pedaço
de areia branca, de muitos sons,
flor em botão à espera da madrugada,
o desabrochar sob o orvalho,
o desenhar do caminho,
a inquietude do olhar...

Há um pedaço
de doce brisa, de muitos sóis,
passos nas nuvens,
chuvas de verão, arco-íris,
músicas em todos os tons
no bailar da felicidade...

Mas há pedaços
de marcas profundas
cravadas em pedras,
nuvens escuras e ventos fortes,
tempestades avassaladoras...

E também há outro
de entardecer...
de aragem branda, músicas suaves,
sem marcas na areia,
praia deserta, mar solitário,
a quietude enfim...

Lourdes Braga Fracalossi
 
"Pedaços..."

PARTEM-SE VIDAS...

 
PARTEM-SE  VIDAS...
 
Noite alta...
Hora em que a solidão reina absoluta,
a voz do silêncio vem
e me diz que houve ruptura.
Daquelas que não têm conserto,
assim como numa delicada taça de cristal.

Está se desfazendo...
Eu observo.
Mero espectador
impossibilitado da ação.
Poeta sem inspiração
que olhando as nuvens,
não consegue imaginar o arco-íris
depois da chuva da tarde.

Latência!
Inércia total ante o gigante que se aproxima.
Dormência física e mental!
Evasão dos sentidos.
...
Parte-se o tempo

Partem-se vidas...

Lourdes Braga Fracalossi
 
PARTEM-SE  VIDAS...

Delineando...

 
 Delineando...
 
E sempre que olho
pela fresta da janela,
além de pedras rústicas e embrutecidas,
vejo flores.
Viçosas,
vistosas,
ou de frágeis hastes,
se esgueirando
entre as calcificações do tempo.
E, ainda assim,
salpicadas por gota de luz,
brilho de orvalho,
sombra de nuvem,
asa de borboleta...

Lourdes Braga Fracalossi

Imagem: GOOGLE
 
 Delineando...

"Inquietudes da Alma..."

 
 "Inquietudes da Alma..."
 
Na inquietude do olhar,
e no corpo, em toda a essência...
Infinita busca do além material
que transcende a minha vida
e move montanhas,
que derruba barreiras,
ultrapassa fronteiras
e voa, então...

E enquanto a brisa fresca
beija-me o rosto
numa tentativa vã de calmaria,
a alma em ebulição
mergulha em frenesi...

Incontida
sou mar,
sou maremoto,
sou ondas nas tormentas
sou nau à deriva...

Lourdes Braga fracalossi
 
 "Inquietudes da Alma..."

Quando o silêncio vier...

 
Quando o silêncio vier...
 
Sonhos contigo eu os tive tantos
e muitos e lindos.
Sonhei-te um anjo
(sonhava- me tua protegida).
Sonhei-te um deus
(sem erros nem defeitos).
Sonhei-te menino de alma leve
(a voar por entre os vaga-lumes e os ventos).
Sonhei-te!
Noites e dias...

Amei-te um anjo,
um deus, um menino...
Amei-te estranho
a céu aberto...
Amei-te!
Tanto e mais...

E quando o silêncio vier
e a solidão se avizinhar,
entre os perfumes da noite
encontrarás a minha essência,
nas minhas músicas preferidas
descobrirás as necessidades da minha alma,
no choro noturno de alguém solitário,
entenderás as minhas dores,
no calor do sol de um entardecer de outono
conhecerás as minhas verdades...

Compreenderás então
e finalmente,
que foste verdadeiramente amado!

Lourdes Braga Fracalossi
 
Quando o silêncio vier...

"EFÊMERA..."

 
"EFÊMERA..."
 
Rocha...
Invencível nas intempéries...
A Divina criação!
Esvai-se,
silenciosa como as águas
de um regato manso e sereno...
Fecha os olhos,
dorme.
É o apagar das luzes.
...
Efêmera é a vida.

Lourdes Braga Fracalossi
 
"EFÊMERA..."

ESSÊNCIA

 
ESSÊNCIA
 
E se vim de tão longe,
uma galáxia qualquer,
poeira cósmica,
fragmento do espaço
e em teu caminho aportei – e te encontrei,
cumprindo um ritual da natureza,
que transcende,
ultrapassa as fronteiras da racionalidade
e dá cor e forma à essa força inexplicável,
então não há limites que eu não supere,
não há barreiras que eu não transponha,
para ter-te sempre aqui comigo,
dentro de um coração que cabe o mundo
e não cabe mais ninguém...

E se não sou de lugar nenhum e sou de todos os lugares,
se não sou do ontem nem do amanhã,
então sou alma livre
que se envolve com a noite
e se mistura ao som de seu silêncio,
em acordes longínquos e solitários
trazidos por ventos leves.
Que se ilumina no escuro
como o brilho das águas numa nesga de lua,
que se dilui
por entre sons e cores,
encontros e despedidas.

E sou ainda tempo
de noites mal dormidas
e de me ver pelo avesso
quando suavemente me tocas,
de espera,
pelo som da tua voz
que me torna louca e lúcida,
pelo sorriso, ainda que guardado,
conheço os segredos...

Sou o avesso da pressa,
o anverso da medalha onde se estampa o amor.
Sou forte,
felina,
frágil...
Apenas humana.
Mulher.
Tua mulher.

Lourdes Braga Fracalossi
 
ESSÊNCIA

Quimeras...

 
Quimeras...
 
Quimeras ...

Amado meu, dono dos meus dias,
dos meus pensamentos,
da minha alma...
Por ti eu vivo,
canto,
sonho,
espero e me encanto.
És meu querer,
tens o que preciso...
Teu beijo... sopro de vida,
tua voz... o acalanto,
teus braços... o meu refúgio.
Encontro-te no sol
e nos dias de chuva.
Quero-te
nas noites quentes de verão,
nas frias, de inverno
e entre as flores de qualquer estação...
Sonho-te
e sei-te o gosto.
Sinto-te o calor,
acaricio teu rosto.
Sinto saudades...
À tua espera,
todo meu ser transborda em amor,
numa intensidade que não se explica.
Onde buscar-te adorado?
No horizonte?
Nas brumas das manhãs?
Por que te sinto
tão forte e tão perto
e assim te necessito,
se nunca te vi?
Tua presença ausente
me confunde entre o que sou
e o que preciso.
Sei apenas que és real
e real é meu sentimento...
Virás... Pressinto!
E te espero o tempo que for preciso.

Lourdes Braga Fracalossi
 
Quimeras...

Liberdade Por Inteiro

 
Liberdade Por Inteiro
 
Livre...
Dos preconceitos e amarguras,
que queimam como fogo
deixando cicatrizes profundas
e gosto amargo.
Que põem sombras em dias de sol,
aquelas sombras gigantes de nuvens escuras.

Amar!
Indistintamente, sem crença ou cor.
Amar as flores, as crianças e os idosos,
os bêbados e os sóbrios demais.

Não quero meio termo...
Não quero pedaços.
Quero além do horizonte!
Ter o sol e a chuva ao meu alcance,
bastando apenas fechar os olhos...
e estender as mãos.

Sorrir...
Rir muito, de tudo e de nada.
Ser linda, ser feia... Não importa!
Quero dançar a música do tempo
como borboletas sobre canteiros floridos
e em meus olhos, o brilho de mil sóis.

Sonhos...
Que eu os tenha muitos.
E que sejam leves,
para que possam ser transportados
pelo voo livre da minha alma,
num céu azul infinito...

E que eu tenha amigos.
Seletos, verdadeiros,
alegres, loucos,
mas reais e presentes.

Que eu seja intensa
e inteira em cada momento,
para ter a certeza
da essência e do sabor da vida
e não apenas, de ter por ela passado !

Lourdes Braga Fracalossi
 
Liberdade Por Inteiro

Apenas te perdeste...

 
Apenas te perdeste...
 
Apenas te perdeste...

Forte e tão frágil!
Tão longe e ao alcance dos dedos...
Ao tempo em que te tornas
intocável, inatingível...

Lindo rosto de flor aberta à manhã,
coberto de melancolia velada.
Nau à deriva, velas rasgadas
impedindo os ventos de levá-la ao cais.

O olhar ausente da procura
revela tua ânsia de aportar.
Faltam-te as forças!
O rumo... Bem o sabes!

Em assim sendo, chama-me!
Aqui estou à espera de um gesto teu...

Bem mais que amigo, serei teu porto
e a bússola para teu norte
e a brisa a soprar-te o rosto
com o frescor e o cheiro das águas
de chuva fininha.

Cantarei docemente
para que durmas nos braços da paz
e encontre o presente de um novo dia!
Compreenderás então, que nunca estive ausente,
que te perdeste no caminho...

Apenas te perdeste!

Lourdes Braga Fracalossi
 
Apenas te perdeste...

"Obesidade - uma batalha a cada dia..."

 
A obesidade infantil é fator alarmante nas estatísticas sobre saúde. Não obstante, a sociedade não se deu conta deste fato e não está envolvida no combate ao problema, mesmo sabendo que dele se origina um grande número de doenças de risco com conseqüências gravíssimas, como as cardiovasculares (todas as doenças relacionadas ao coração e artérias), que estão entre as doenças que mais matam no mundo, hipertensão arterial, diabetes, câncer e muitas outras que, em longo prazo, causam degenerações (artroses) de articulações da coluna, quadris, joelhos e tornozelos.

E como se não bastassem esses riscos, a criança obesa ainda é vítima de todos os tipos de discriminação igualmente graves e maléficos, vez que ferem como lâminas finíssimas e afiadas. Entre eles citarei alguns que vivenciei e que conheço bem as terríveis consequências:
- a perda da identidade entre os amigos, na escola e até mesmo dentro da própria família – o nome é normalmente substituído por apelidos que marcam e doem como ferro incandescente: “o fofinho, o gordinho, a baleia, o meteoro, o saco de areia, rolha de poço” e por aí afora;
- a dificuldade de relacionamento – ela tem pouquíssimos amigos e por não ter a mesma agilidade que as outras (as não obesas), geralmente é excluída das brincadeiras diárias, fato que a faz isolar-se e fingir desinteresse pelas mesmas;
- o medo da solidão – motivo pelo qual tantas vezes age como que indiferente às gozações dos colegas, por temer perdê-los, chegando ao ponto de rir junto como se nada lhe doesse.

Depoimento

Há dez anos e meio, minha filha caçula então com dezesseis anos, nos deu um presente maravilhoso, trazido em asas de anjos (com laço de fita e tudo) – nasceu a Gabriella – nossa menininha.

A mudança em nossa vida e em nossa casa foi integral, e para que nosso pequeno anjo crescesse em segurança, a delicadeza dos objetos e enfeites fora substituída pela alegria do seu riso e das músicas que sempre cantou ainda antes de saber falar.

Aos quatro anos, por ocasião da mudança de seu pai para Portugal, as coisas tomaram rumo diferente. Ela começou a ganhar peso muito além do permitido para a sua idade e tamanho – foi diagnosticada a obesidade. Tinha início então uma difícil maratona: acompanhamento por nutricionista (três anos) e por psicólogo (um ano), ambos sem sucesso.

Estávamos tomados pela preocupação e desespero ao acompanhar o crescente excesso de peso em seu pequeno corpo e a terrível discriminação a que era submetida diariamente, a mesma anteriormente citada e com todos os requintes de crueldade. Não tínhamos como controlar a atitude das pessoas. Era-nos impossível defendê-la.

Recorremos à escola e não obtivemos nenhum tipo de ajuda na valorização da educação alimentar e no combate à discriminação. A mudança (de escola) foi inevitável e fomos bem sucedidos na escolha, mas a obesidade continuava sem controle.

Em 01/11/2007, já com oito anos, 1,40m e 57 quilos, conhecemos o Programa TOI – Tratamento da Obesidade Interdisciplinar – já veiculado no Globo Repórter (Rede Globo) e em outros canais de televisão pelo enorme sucesso e benefício. Este Programa, coordenado pelo Médico Nutrólogo Dr. Sandro Trindade Benites, é desenvolvido no Hospital Rosa Pedrossian (SUS), no Hospital Geral (Hospital Militar) e em sua Clinica Particular – Clínica TOI, todos em Campo Grande/MS.
Era a luz que procurávamos no fim do túnel.

Iniciamos o tratamento, o qual exige a participação, envolvimento e integração de toda família na mudança de hábitos da casa, a começar pela reeducação alimentar e obrigatoriedade de exercícios físicos diários. A criança obesa precisa da colaboração, do amor e da força de vontade de todos a ela diretamente ligados, sem críticas e cobranças individuais, para a obtenção do sucesso.

Reside na família a responsabilidade pelo tratamento, seja ele da forma que for e dure o tempo que durar, levando em consideração todos os riscos à saúde causados pela obesidade.
Trata-se, e precisamos estar cientes disso, de um TRATAMENTO DIFICÍLIMO; uma guerra a ser enfrentada todos os dias e que, em muitos momentos, ter-se-á a sensação de derrota. É preciso muita força e nem a mais tênue sombra do desânimo para vencer. Não podemos perder de vista que lidamos com mudança de hábitos, alimentos e crianças. Submetê-las às atividades físicas obrigatórias e tirar-lhes as guloseimas é como se tirássemos o sol de seus dias.

Hoje, após ter emagrecido 12 quilos, a Gabriella é uma pré-adolescente linda, feliz e com a certeza de que estamos juntos nessa guerra e não vamos perdê-la jamais!

Apelo

Como educadora, e por vivenciar o problema, faço um apelo às instituições de ensino para que cumpram o seu papel, posto que têm a obrigação de cuidar de seus alunos no tempo em que estes estão sob sua responsabilidade (a este cuidado incluem-se a integridade física, moral e a saúde), sejam eles obesos ou não. Enquanto as cantinas escolares lhes oferecerem doces, frituras, salgados e refrigerantes, oferecem também a oportunidade de se tornarem obesos, esquecendo-se ainda que nossas crianças em tratamento continuam sendo vítimas da discriminação, ridicularizadas por levarem suas frutas ou seus lanches balanceados.

Trabalhemos a educação para uma vida saudável de forma a envolver toda comunidade escolar e todas as disciplinas. Não podemos nos iludir acreditando que ao falarmos deste assunto em aulas estanques (Ciências e Educação Física) vamos obter sucesso absoluto. Ele é resultado do conjunto de esforços.
Famílias e escolas precisam se dar as mãos em prol da saúde dos nossos filhos!
Socorro às nossas crianças obesas!!

Aplausos à nossa Gabriella pelo esforço enorme em ajudar e colaborar ainda que muito lhe custe!

Agradecimentos ao Dr. Sandro Trindade Benites, pelo acompanhamento, orientações contínuas, pela força nos momentos de crise e pelo bem enorme que tem feito a Gabriella.

Quero encerrar com uma frase que aprendi com ele e que pratico constantemente para me dar forças:

__ “Por amor ao seu filho diga não... (não ao excesso de alimentação errada, de tempo frente à TV, ao computador... não aos excessos)”.

Por amor ao seu filho, diga não, ainda que isso muito lhe doa...
Por amor...
 
"Obesidade - uma batalha a cada dia..."

Falando por mim...

 
Falando por mim...
 
Certa vez tive vontade de recuar, entretanto decidi seguir em frente. E, observando, lendo nas entrelinhas, nos olhos das pessoas, ouvindo o silêncio, entendi que coragem não é ausência de medo, mas força suficiente para enfrentá-lo. E nesse caminhar aprendi a desenhar o meu destino e estabelecer os meus limites.

Lourdes Braga Fracalossi
 
Falando por mim...