Poemas, frases e mensagens de cido

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de cido

INSIGNIFICÂNCIA

 
 
INSIGNIFICÂNCIA

Uma vez me fiz uma pergunta
Qual o significado da existência
O sentido de tudo isso
Quando terei a resposta?
Estando a esperar há muito tempo

Sim, sim estou a esperar.
Sim, sim estou a procurar.

O significado da alegria
Nesse mundo triste
As cores que enfeitam, colorem.
Uma vida de preto e branco
Só ouvindo o silencio predominante,
Confundindo os pensamentos

Caminhando na chuva e tentando ver o sentido
De estar molhado
A verdade e que o vazio às vezes e uma saída
E a solidão é a melhor companhia
Mas o tempo parece não passar

Sentindo o cheiro mais não consigo
Desvendar o perfume
Talvez seja da simplicidade do arbusto
Ou da exuberância matinal
Escondendo entre a neblina

Quando os olhos se abrem
Tudo já ficou para trás
E mais no vazio sou arremessado
Perdendo as respostas com mais perguntas
E a felicidade acaba censurada

De tudo que tenho não sou dono
Que me pertence somente o dia
E o escurecer das noites
A vida é só um acaso passageiro
Que acaba depois de amanhã
Dando menos sentido ainda

Tudo isso é um risco no chão
Esperando o vento apagar
A verdade não existe
Somente um mundo de mentiras...

Aparecido luís Ferreira
 
 INSIGNIFICÂNCIA

YARA

 
 
YARA

Yara por mais que o tempo passe rápido,
A vida sempre segue rumos naturais
Respeitando seus próprios momentos.
Assim como tudo em seu devido lugar
Criando um degrau a cada dia
Refletindo a verdadeira face no espelho
Inconfundível que sãos as virtudes
Sinceras de o próprio ser
Tanto com tão pouco se faz o muito
Integridade que move a minoria
Na certeza de fazer a coisa certa
A fim de mudar a mentalidade
Fortemente conquistada ao longo do tempo
Erroneamente com suas certezas,
Remova tudo que foi dito
Reflita em suas próprias verdades
Entender não é saber, cogite suas incertezas.
Imensurável a ofuscação de seu brilho
Raridade que a torna única
A fim de caminhar para o ambicioso amanhã...

Aparecido Luis Ferreira
 
YARA

MOMENTOS

 
Sou o tempo que ainda não chegou
Invadindo seus sentimentos tão solitários
Loucuras em meio ao silencioso entardecer,
Vazio em que predomina os momentos
Invadindo pelo incessante reluzir das estrelas,
Agoniando por olhos que as encantem
Um sussurrar de uma leve brisa
Marcando com arrepiar de seus braços
Movendo-se em contornos expressivos
Onde os pensamentos se misturam em sonhos
Meramente provocativos,
Em uma realidade, tão alucinante.
Tempo que se mistura em suaves caricia,
Olhares que falem sem palavras
Assim a existência faz algum sentido
Perdendo-se nos momentos de prazer
Escondido no ecoar das vozes a misturas com,
Numerosos soluçar em um estremecer
Agoniante acabando em um silêncio profundo
Sem que o tempo o cale não,
Alterando o agora tão generoso
Pertencente apenas a nós
Assim tudo se completa em meio ao
Respirar ofegante aflorando-se no
Entrelaçar dos corpos calando minha boca
Com seus lábios enegrecido de batom
Imperando meu ser tão fragilizado
De sua sede de amar incessantemente
Onde tudo se faz mais um capítulo em nossa historia...

Aparecido Luis Ferreira
 
MOMENTOS

O MAIOR INIMIGO

 
 
O MAIOR INIMIGO

Do tempo, para o tempo, com o tempo.
Ontem que será do hoje chegante,
O invisível l marcador solitário
Que nega a morrer
Caminhante na escuridão.
Tormento do vazio silencioso
Do voar solitário, ó coruja noturna,
Sanguinário assassino que nata à noite
Devolvendo a vida tão cedo.
Da voz que ecoa no conflito
Amargo da verdade perturbadora
Pouca dita, nunca ouvida
Apenas falada aos sussurros.
Refugio das sombras
Em que o tempo passará mesmo assim
Como tudo, chegara o fim.
Indo para o mesmo lugar,
De onde surgem os sonhos e a veracidade
Onde se escondem os medos
Lugar não existente somente utópico
Uma fração de lugar nenhum
Insignificante, mais existente.
Simplesmente fragmentos
Feitos de tempo e poeira
Estando a flutuar no vazio tenebroso
Refletido na visão passageira do sentido
Riscado em meio à indecisão
Imparcial, do não saber e a agonia.
Remoendo das respostas faltantes
Assim o tempo impera sobre tudo e todos
Destruindo a si próprio
Sem que de conta
Enfraquecendo mais a cada dia
Tendo si próprio como seu maior inimigo...

Aparecido Luis Ferreira
 
O MAIOR INIMIGO

MINHA MÃE

 
Das vezes que caminhei
Imensa era a distancia que via
Acima o céu azul escondendo o tempo.
Da primavera o cheiro que predomina
As mãos firmes que me seguravam
Sempre que precisava
Mãe como é sufocante sua falta
Assim como seu cheiro
Escondido, confundido com as flores
Semeada com o vento que sopra
Mãe como o tempo passou depressa
Arrancando as lembranças,
Restando somente a saudade
Imagens que se tornaram sombras
Agarradas nos galhos da arvore do infinito
Plantada em minha memória
Alvejada pelo tempo caminhante
Uma lembrança sentida
Levada a dor da perda
Indo embora todos os dias
No vazio do mundo sem você
Onde os dias se perdem pelas mãos do tempo....

APARECIDO LUIS FERREIRA
 
MINHA MÃE

PARA SEMPRE

 
 
PARA SEMPRE

Sempre que o tempo continuar existindo
Isso significa que continuo vivo
Lembrando o significado do sentimento,
Verdadeiro de estar o seu lado
Inspirado nos momentos contidos na felicidade
Assim continuando a viver constantemente a cada dia...
 
PARA SEMPRE

DELIRIOS

 
 
Delírio de uma viagem imaginaria
Em mundos que a mente desconhece
Voando entre o silêncio.
Assim caminhando na eternidade,
Nebulosa da sabedoria
Em que esconde a verdadeira
Imaginação da veracidade da imagem
Oposta refletida no espelho ilusório
Sereno tão calmo de olhos enegrecidos
Pertencentes ao outro amanhã
Escondido no reflexo contrariando as
Notas de um acorde tão longínquo
Separando o enlouquecido momento
Ate a margem do infinito rio
Majestoso de águas caudalosas
Eterno navegante solitário
No momento derradeiro escapando,
Torcido entre cordas que se prendem ao olhar
Onde tudo não importa mais
Suspiros de uma emoção passageira
Perturbador desconhecido assuntando com a,
Revoada de pássaros perdidos ao entardecer
Oferecido pela grandiosa noite enigmática
Fugitiva do dia incandescente
Único inimigo que se encontra todas as tardes
Nunca dividindo seus estatos silenciosos,
Destinos que se cruzam todos os dias
Onde existem vozes sussurrantes que completam
Sistematicamente o caminhar desconhecido do tempo...
 
DELIRIOS

VOZES A CAMINHAR

 
 
Para onde as vozes estão a caminhar
Perdida no espaço a distanciar,
O azul se mistura com o longínquo
Parecendo que tudo esta
Se perdendo com os dias a passar
Mais nunca percebo quando parar
Continuo ouvindo as vozes
É assim fica tudo tão tranquilo

Faz tempo que espero
Que você me aqueça desse frio
E caminhe nos momentos difíceis
Para encontrarmos o amanhã tão esperado
O agora é tão imprevisível
Mais a esperança prevalece
Assim como a beleza de um novo amanhecer
Que se liberta da noite devoradora

Um instante é tudo que peso
Não quero ficar só, como um pássaro solitário,
Voando sem destino a sumir no horizonte
Sabe que a vida se escreve uma linha a cada dia

Para onde as vozes estão a caminhar
Perdida no espaço a distanciar,
O azul se mistura com o longínquo
Parecendo que tudo esta
Se perdendo com os dias a passar
Mais nunca percebo quando parar
Continuo ouvindo as vozes
É assim fica tudo tão tranquilo

Saudades me consomem turvando a visão
E agora sem tempo caminho descalço,
Para o lugar onde tudo começou,
Ao encontro das vozes
Que nunca me deixarão
Mas tudo passou depressa
E o silencio tornou se parte de tudo
Cessando as vozes...
 
VOZES A CAMINHAR

TEMPO

 
TEMPO

Caminhando para o infinito
Alem da imaginação racional
Muito mais do que alcance tentado
Indo para o começo de um tempo
Não vivido mortalmente
Haverá um tempo esquecido esperando
Os olhos abrirem na manhã seguinte
Surgindo de um tempo ainda não compreendido
De fantasias ainda não usadas
Olhos que vêem as cores diferentes em
Telhados manchados de tempos e
Esquecimento silencia anônimo.
Muros que cercam a invisibilidade
Passante e as sombras deixando caminhantes
Onde o tempo se encontra com o esquecimento
Aridez que descansa o corpo vivido
Permanecendo entre as lembranças oriundas
A mercê da decomposição lenta e
Radical do tempo caminhante
Escondido entre o compasso do relógio
Caminhando ao lado sempre distante
Influenciado pela determinação restante
Deixando o começo para viver o final
Onde serão ditas as respostas faltantes

Aparecido Luis Ferreira

TEMPO

Caminhando para o infinito
Alem da imaginação racional
Muito mais do que alcance tentado
Indo para o começo de um tempo
Não vivido mortalmente
Haverá um tempo esquecido esperando
Os olhos abrirem na manhã seguinte
Surgindo de um tempo ainda não compreendido
De fantasias ainda não usadas
Olhos que vêem as cores diferentes em
Telhados manchados de tempos e
Esquecimento silencia anônimo.
Muros que cercam a invisibilidade
Passante e as sombras deixando caminhantes
Onde o tempo se encontra com o esquecimento
Aridez que descansa o corpo vivido
Permanecendo entre as lembranças oriundas
A mercê da decomposição lenta e
Radical do tempo caminhante
Escondido entre o compasso do relógio
Caminhando ao lado sempre distante
Influenciado pela determinação restante
Deixo o começo para viver o final
Onde serão ditas as respostas faltantes

Aparecido Luis Ferreira
 
TEMPO

odicerapA e aivliS

 
 
odicerapA e aivliS

Sempre a vejo mais bonita
Imaginando o tempo voltar
Levemente levantando-me
Vivendo outra vez, o seu lado.
Imagens presas nas noites
Assim ouvindo o som do silêncio
Rompendo o pensamento distante
Entre o grito estridente do não saber
Grande é o vazio sufocante
Inalterado sua imagem
Não importando o passar do tempo
Assim ligeiramente o faz inimigo
Derradeiro, aliado dos momentos,
Alvejando de sentimentos singulares
Sem se preocupar que o dia termine amanhã
Invisível ao toque, mas presente.
Leve a brisa passante e o sossego do,
Voar das mariposas
Atraídas pela tímida luz do candeeiro
As vozes sussurrantes quebrando o
Pulsar silencioso do relógio
Acordando-me em seus braços
Resultante de valores imprescindíveis
Em que sacia a sede de seus beijos
Como a fome de seu corpo
Imagem expressaste de seu olhar
Deixando ofegante
Oriunda de uma noite de romântica...

Aparecido Luís Ferreira
 
odicerapA e aivliS

PARA SEMPRE

 
 
Agora consegui minhas forças,
Para caminhar entre o fogo e o gelo
Assim estarei á seu encontro
Restando o dia incendiar
E a noite enegrecer.
Como o hoje passageiro
Indo embora assim tão repentino,
Devaneio em meus pensamentos
O louco mundo paralelo que vivemos
Lembro-me de uma voz lá no fundo
Unida de dor e sofrimento
Indo cada vez mais para o fundo
Sem olhar para traz
Fracassando com meus pés já cansados
Enfrentando a dura caminhada
Retornando assim com minha dor,
Refugio da vida solitária
Em nenhum momento parando para pensar
Imagem que estampa os dias .
Restando somente o frio das noites,
Assistida pela vida levando mais um pouco de mim...

Aparecido Luís Ferreira....
 
PARA SEMPRE

FICANDO SÓ

 
 
ESTANDO SÓ

Ei você ainda esta ai?
Vou falar um pouco mais hoje,
De como foi difícil meu dia
Tento dizer um pouco mais de mim
Antes que fico louco e engasgue com as palavras
Falar de como a vida é insignificante,
E a verdade é dolorida, esmagadora.
O tempo fugas e a esperança distante
Que fez o dia nascer do mesmo jeito,
E me esquecer de outra vez estar solitário.

Realmente o sofrimento existe
Agora estou sentido na pele
Sua falta, e como é difícil esse sentimento.
Sou tão homem de confirmar isso
Só espero que esteja ouvindo.
Tão longe que esta daqui
Ouso a chuva cair
E as vozes ao fundo a gargalhar
Do tempo que se foi,
E a vida passou tão depressa
Não sei por que quis isso
Fui tão tolo de perder você.

Alô isso é tão surreal
Estou tão tremulo
Ao falar no telefone, de ouvir sua voz
De não estar com você
Assim vivo ate esse momento
Remoendo tudo que não fizemos juntos
Penso nisso todas as manhãs
Sei que não da mais tempo
Mais tudo foi bom um dia

Espero que tenha existido
Algum momento que não tenha se arrependido
De termos nos conhecido,
Teve momentos bons
Isso você não poderá tirar de nós
Foi algo lindo que teve entre nós
Não pode ignorar isso
Quero ter mais uma chance vou te esperar
Nem que seja ate o ultimo dia de minha vida

Realmente o sofrimento existe
Agora estou sentido na pele
Sua falta, e como é difícil esse sentimento.
Sou tão homem de confirmar isso
Só espero que esteja ouvindo
Tão longe que esta daqui
Ouso a chuva cair
E as vozes ao fundo a gargalhar
Do tempo que se foi
E a vida passou tão depressa
Não sei por que quis isso
Fui tão tolo de perder você

Realmente o sofrimento existe
Agora estou sentido na pele
Sua falta, e como é difícil esse sentimento.
Sou tão homem de confirmar isso
Só espero que esteja ouvindo
Tão longe que esta daqui
Ouso a chuva cair
E as vozes ao fundo a gargalhar
Do tempo que se foi
E a vida passou tão depressa
Não sei por que quis isso
Fui tão tolo de perder você

Aparecido Luis Ferreira
 
FICANDO SÓ

ANOITECER SILENCIOSO

 
ÀS VEZES A VEJO ASSIM TÃO LINDA
PARTE DE MIM QUER VOLTAR
ASSIM SÃO OS MOMENTOS DE FRAQUEZA
REFUGIANDO DE SEUS CARINHOS MAL INTENCIONADOS
ESSES MOMENTOS QUE SOMEM
COM O PASSAR DE MAIS UM DIA
IMAGENS QUE CAMINHAM DEPRESSA,
DO LADO DE FORA PARECE TÃO NORMAL
ONDE TUDO CAMINHA PARA UM SENTIDO
LIGEIRAMENTE VOLTA A REALIDADE DE,
UM TEMPO SEM QUE ESTEJA
IMAGENS QUE ESCAPAM DOS SONHOS
SUFOCAM OS DIAS INTERMINÁVEIS
FICANDO UM VAZIO
REPLETO DE FRAGUIMENTOS,
RABISCOS DE UMA VIDA PASSAGEIRA
ESCONDIDA ENTRE CORREDORES ESTREITOS
IMAGENS QUE SE APAGAM AO VIRAR AS ESQUINAS
RESTANDO SOMENTE UM TRISTE ACASO
AO ATRAVESSAR A FRENTE COMO UM ESTRANHO
PERDIDO NO ESQUECIMENTO...
 
ANOITECER SILENCIOSO

SÓ PENSAMENTOS

 
SÓ PENSAMENTOS

Vendo a vida como um livro
Misturado entre cores e linhas
Subindo as escadas vendo o mundo diferente
Mais lento que o normal um pouco embaralhado
Folhas se misturando com as aves rasantes
Um balé de meninas exuberantes
Sentindo fazer parte desse momento
Ficando observando entre as arvores
Sentindo a lua tão pequena
Pegando-me com um silencio tão musical
Cegaste céu azul infinito
Estando preso em uma gravura
O tempo que não passa
Vendo a sombra de balé indo embora
Prendendo a vida em meus braços parada ali
Andando ate o fim da margem
Pelo tempo se escorre
Anoitecendo o dia caminhante
Remando em meio à tranqüilidade
Esquecida do resto do mundo
Como um tempo retro cedente
Indo ate o começo de tudo
Devorando o instante chegado
Oriundo de lugar nenhum......

Aparecido L. Ferreira
 
SÓ PENSAMENTOS

CHUVA

 
 
CHUVA

Chuva que molha a terra nua
Horizonte que desafia os olhos
Umedecendo os olhos seco de pó
Varrendo a planície longínqua e costumeira
Alagando caudalosamente o leito escondido
Que o fara exposto e perigoso,
Utópico a visão esclarecedora.
Exuberante aos olhos já cansados
Expressivo com seu poder limitado
Sossegado em suas curvas
Começando o desespero mais adiante
Onde ficam as pedras
No fim se desaba em finas gotículas
De onde tudo começa novamente
Escondendo entre fendas
Assim guardando as sobras preciosas
Selada pelo tempo corrente
Límpida e paciente
Alagando o seleiro da vida
Generosamente a faz prisioneira
Respingando entre as cavernas entrevadas
Invadida pelo sol pálido de inverno
Manso regato que a trás novamente
Alagando o desespero da seca
Simplesmente fazendo um verde loco...

Aparecido Luis Ferreira
 
CHUVA

POR MAIS QUE CAMINHE

 
 
POR MAIS QUE CAMINHE

Por mais só que pareça
A vida se encarrega de existir,
Ruinas que desabam bagunça o silêncio
Alvejando o escuro tão comum
Invasor do vazio costumeiro,
Sem que o paraíso perdido se exponha
Onde o tudo se repousa,
Silencioso entardecer que traz o
Perturbador caminhar das estrelas
Em que o somo se torna sonhos
Refletindo na visão contraria,
Dissolvida por mistérios oriundos
Invasor de memorias perdidas
Dando origem as formas mais simples
Ancorada em trevas eternas,
Perturbador som do silêncio sendo
Atropelado pelo sussurrar do trovão repentino
Riscando a noite, dando origem a tempestade.
Esquecida entre as montanhas pontiagudas
Começo de lugar nenhum, preso em um tempo.
Imaginário que ainda não chegou
De um mundo que nunca existiu
Ou de um momento que já passou despercebido
Invisível, que se prende ao lento caminhar do tempo,
Maestro silencioso de acordes profundos
Anunciando a morte certeira
Guardada no baú destrancado as palavras
Imaginarias de um livro interrupto
Nunca discutido, de um passado.
Abandonado pelo poderoso e inexistente tempo
Relógio que nunca retrocede
Indo mais e mais para o infinito
Aonde tudo chegara e si perdera em um vazio sombrio...

Aparecido L Ferreira
 
POR MAIS QUE CAMINHE

PENSAMENTOS

 
 
Esse momento que enxergo agora é oposto
Sempre que abro a porta esta tudo diferente
Como é possível essa mudança repentina
Onde tudo caminha escondido entre dois mundos
Momentos se misturando com uma realidade
Beleza escondida por traz da escuridão
Remanescente da tempestade
Onde se perde o valor do ouro
Simplesmente ficando sem rumo
Tempo perdido no esquecimento
Entre dois mundos bizarros
Mundos que se alinham mais adiante,
Porque são tantos caminhos
Escondidos por traz da porta
Simples escolhas que caminha em lados opostos
Tudo esta diante de mim agora
Assim fico a pensar
Do verdadeiro sentido da escolha
Escondida na escuridão
Esperando chegar desavisado revelando
Segredos que se espreita nas fendas
Corrompidas pelo anoitecer eterno
Uma vida que se torna estranha
Riscando o passado vivido
Iniciando assim nova vida com outro sentido
Dando origens a mais portas e novas escolhas
Agoniando tudo que se passou em um
Ontem não tão diferente desse momento
Vivendo um paradigma orquestrado
Individualmente ficando a brigar eternamente
Dando mais duvidadas se esta desse ou daquele lado
Atormentando com o vazio que esta entre os dois lados
Simplesmente ficando com mais uma escolha...

APARECIDO Luis Ferreira 23/11/2016
 
PENSAMENTOS

TER CONHECIDO

 
 
Tudo esta como deixou
Ainda debruço naquela janela
Abro a foto já apagada pelo tempo
Momentos que não saem da memoria
Não me resta mais nada
A não ser caminhar entre os escombros

Melhor terem existido esses momentos,
Assim a conheci
Hoje o mundo é de pessoas que não olham
Que não olham dos lados
Esta tudo tão diferente,
Mais a conheci
As pessoas não caminham mais ao entardecer

Tudo tão parado
Que nem os ventos são os mesmos
É tudo tão cinza e solitário
O vazio sempre predominante
Mais com tudo isso não desisti
De espera por você ao entardecer
Tudo esta como deixou
Ainda debruço naquela janela
Abro a foto já apagada pelo tempo
Momentos que não saem da memoria
Não me resta mais nada
A não ser caminhar entre os escombros

Todos desistiram dos momentos
E fico a observar o mundo sem sentido
Tudo esta parado
Como se nunca tivéssemos existido
Tudo isso me da um desespero
E saio correndo outra vez...

Assim voltando para
Meu mundo pintado de preto e branco
Onde faço parte do silencio
Predominante e solitário
Assistindo mais uma vez o por do sol...
 
TER CONHECIDO

sono gótico

 
 
SONO GOTICO

Enegrecida noite
Gritos desgarrados ecoam entre
Os famigerados pelo sono
A lamina brilhante, de uma faceta diamantada.
Segante e continua estando a cortar a neblina densa,
O bater ensurdecedor do martelo
Forjando a humanidade.
Enegrecida noite que rouba o dia
Que liberta o corvo dominante,
O som já gasto de vozes sussurrantes
Vestígios da dor cortado pelo açoite,
O cervo que se liberta e desarruma o caminho
Revelando o sétimo circulo onde os mortos vagam
Entonando o decimo terceiro canto
Escondido no sombrio lamentar,
Um tempo passando paralelo
Ao fim do mundo, congelando o momento.
Enegrecida noite que domina o tempo
Assombrando os viajantes desprevenidos
Esquecidos entre os degraus,
Que levam a lugar nenhum
Que se perdem no vazio da historia.
Enegrecida noite, ao fechar os olhos.
O sentimento congela, onde descanso.
Onde a eternidade me faz companhia
Engolindo os sonhos,

Aparecido luis Ferreira
 
sono gótico

EM MEU DIA DIVERTIDO

 
Assim é meu dia correndo e conversando,
Não para conversas fiadas
Irei ate ali mamãe não espere
Só estou avisando para não se preocupar
Para não se preocupar...

Não aguento mais meu pai no meu pé
Dizendo para ficar em casa
Enquanto minha vida fica presa,
Só estou avisando para não se preocupar
Para não se preocupar...

Sou dona de mim
Já estou um pouco crescida para tudo isso
Eu não aguento mais tanto esses cuidados comigo
Só vou ate ali
Não se preocupe...

Sabe que espero sair de casa qualquer dia desses
Esquecer-se de tudo e nem olhar para trás
Mais no fundo ainda tenho medo
E continuo avisando que estou ali
Só estou avisando para não se preocupar
Para não se preocupar...

Não tenho culpa de ser assim
Tão além de meu tempo
E busco algo mais que ainda não sei
E fico assim presa a vocês

Só estou avisando para não se preocupar
Para não se preocupar...

Só estou avisando para não se preocupar
Para não se preocupar...

E assim se passa mais um dia
Preso a vocês
E continuo avisando...

Só estou avisando para não se preocupar
Para não se preocupar...

E continuo avisando...
 
EM MEU DIA DIVERTIDO