Poemas, frases e mensagens de JosephCM

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de JosephCM

Verás e sentirás

 
Verás e sentirás
 
Se abrires os olhos;

Verás...

O sol que nasce no horizonte;

A lua que rasga o céu;

As nuvens ou sua ausência;

Estrelas e os seus brilhos;

Verás...

Se abrires o coração;

Sentirás...

Que alguém quer te buscar;

Que alguém quer te cuidar;

Que alguém quer te tocar;

Que alguém quer te amar;

Sentirás... Mas só se você deixar;
 
Verás e sentirás

A ROSA NÃO ETERNA

 
A ROSA NÃO ETERNA
 
Odeio o desejo e a carne, porque? Não há fidelidade e nem amor, nisso!
Eles traem e só querem se satisfazerem, e não ligam para o outro alguém,
Usam até quando podem e machucam e finge que sente algo,
Mas não passa de teatro e mentira,
No entanto que nunca viu uma rosa?!
Ela é bela, seu aroma é perfeito e o sol a alimenta como seu raios,
Terra, chuva e vida...
Porem quando chega o inverno ela seca com gélida estação,
E quando chega o verão absoluto, pétalas secam e tudo que era bela e “perfeito” passa,
O desejo e a carne o que há de diferente?
Em quando houver beleza e juventude, ambos serão perfeitos,
Porém assim como rosa vão passar... E o que vai restar?!
 
A ROSA NÃO ETERNA

O vento e o frio

 
O vento e  o frio
 
Algo movia as folhas das árvores;
O frio surgia com pôr do sol;
A noite nascerá com lua;
A distância nascerá com o adeus!

O frio desfilava entre as folhas,
Vago, triste e frio o entorpecer;
Mas eu via somente teu olhar,
A diferença entre do anoitecer e o entardecer;

Era vento que tocava as folhas,
E você meus sentimentos,
Fazendo pulsar algo no peito,
Do medo ao anoitecer;
Do fim ao amanhecer;

Não sei e não defino o que sinto;
Talvez seja com vento passageiro,
Ou eterno como aquele olhar;
Mas não posso esquecer;
Não posso me calar;
Será o amar?
Ou vento?
Não sei e não defino
 
O vento e  o frio

Nascer da escrita

 
Nascer da escrita
 
Na primeira primavera escrevi um uma palavra;
Sem grande significa e sem grande importância;
Mas era minha...
No verão uma frase não tão bonita;
Mas ela me fez ver que eu poderia ser melhor;
Então no outono um verso completo;
Na noite sem luar e declamei ao vento;
O que havia escrito...
Pois só vento me ouve e ausência do luar me compreende;
Naquele inverno a poesia nasceu meio torta, meio sem sentido;
Mas ela me fez feliz, pois ela vinha ti;
Minha escrita não é perfeita e não sou melhor;
Porém o que sou te busco.
 
Nascer da escrita

Meu ser

 
Meu ser
 
Preciso me conhecer, para depois me dizer;
Hoje sou confuso e amanhã o sol vai nascer;
Cada dia vou crescer... Cada dia entender;
O que não era para ser.

Um homem, um poeta e meu ser;
Isto me constitui e isto faz o que sou;
Mas um dia olharei em teus olhos e vou dizer que mudei;i
Não por você, pois uma mulher não tem tal poder;
Mas por Deus, pois Ele fez tal ser.

Tuas mãos voltarei a tocar;
Em teu ouvido sussurrar;
Estarei a cuidar, estarei me entregar;
Sem medo, sem receio, pois confiarei em ti e você em mim.

Serei cego para outras mulheres;
Pois será a mais bela para mim;
Amei-te primeiro...
Senti-te primeiro...

Então te peço, me espere.
 
Meu ser

A moda é...

 
É segunda vezes que te escrevo e então sinto medo;
Você que está distante e me tomou;
Com certeza não há tempo para pensar;
Então o verão se tornou em inverno a um piscar de olhos;
Simples, o frio está...
Não ouço tua voz e não sinto nada que vem de ti;
Você! Uma eremita de alma pura e jovem;
Se isola dentro de si e deixa saudades aqui;
Porém três décadas passei nessa terra e pergunto, será que nada aprendi?!
Mas o medo continua aqui e confusos pensamentos nascem e manifesta em papel molhado;
Então a tinta marca e mancha, tornando difícil a leitura, mas aqui dentro não está tão diferente;
Estou cansado de me decepcionar e cansado de esperar, meu coração puro e fiel procura alguém para amar e valorizar;
Mas não foi o que pensei...
Medo de escrever, pois ele manifesta o que sinto, mas a moda é, não senti!
Então me esconderei e não te buscarei mais....
 
A moda é...