https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

O espinho

 
<object width="0" height="0"><param name="movie" value="http://www.youtube.com/v/bjjc59FgUpg& ... t;</param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="http://www.youtube.com/v/bjjc59FgUpg& ... br&fs=1&&autoplay=1" type="application/x-shockwave-flash" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true" width="0" height="0"></embed></object>
Sem que ninguém o prevesse, surgiu de mansinho pela calada da madrugada, sob a forma de um esticão abrupto trazido na ponta de um raio inesperado, deixando no ar um estranho silêncio impregnado de mágoa e de culpa...
E assim, do nada, surgiu o espinho indesejado que se cravou fundo na carne.
Não se explicam palavras que nos saem inconscientemente sem aviso prévio, que as pudessem travar antes que o seu eco se ouvisse como pedras arremessadas a uma parede erguida numa fracção de segundo, esfacelando o que levou anos a construir.
Resta-nos o silêncio que ficou e nos mergulhou no desconforto da dor causada. Talvez o tempo dê razão ao conhecimento, que, agora, possuído pela estupidez do orgulho ferido, o impede de ver a verdade... e a leveza da mão que poise na consciência, chegue para nos aliviar do peso que nos esmaga e estraçalha a alma!


*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca

 
Autor
cleo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
631
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
8
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Moreno
Publicado: 08/10/2009 14:41  Atualizado: 08/10/2009 14:41
Colaborador
Usuário desde: 09/01/2009
Localidade:
Mensagens: 3486
 Re: O espinho
Quando menos esperamos acontece algo que surge como uma bomba que explode. Os estilhaços cravam o corpo e a alma. Quem sabe o tempo não só cure as feridas agora abertas, como também fortaleça o lar outrora edificado.

beijo

Enviado por Tópico
anjinho_perdido
Publicado: 08/10/2009 15:14  Atualizado: 08/10/2009 15:14
Muito Participativo
Usuário desde: 21/05/2007
Localidade: Açores
Mensagens: 53
 Re: O espinho
Lindo! Sentido!

Parabéns!

Vânia Brasil

Enviado por Tópico
joseluislopes
Publicado: 08/10/2009 15:37  Atualizado: 08/10/2009 15:37
Colaborador
Usuário desde: 22/03/2009
Localidade:
Mensagens: 3351
 Re: O espinho
Olá Cleo!

Muitas vezes falamos para nós, rasgamos a dor e deixamos o tempo comer o nosso rancor.
Deste modo, damos mais uma oportunidade à vida e a quem nos magoa.
Assim se vive por aqui também tantas vezes.
Um beijo
JLL

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 08/10/2009 16:08  Atualizado: 08/10/2009 16:08
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: O espinho
A imprevisibilidade das emoções provocam
muita vez as tais palavras
ditas a quente. arremessadas como balas
que nos ferem.
Gostei muito deste texto.Uma vez mais escreves
com alma, Cleo. Como eu tanto aprecio...

Vóny Ferreira

Enviado por Tópico
(re)velata
Publicado: 08/10/2009 19:55  Atualizado: 08/10/2009 19:55
Colaborador
Usuário desde: 23/02/2009
Localidade: Lagos
Mensagens: 2181
 Re: O espinho
Às vezes é preciso romper o silêncio para arrancar o espinho.

Gostei do teu texto!

Beijinho

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/10/2009 20:15  Atualizado: 08/10/2009 20:15
 Re: O espinho
Por vezes "citamos palavras insuficientes, que não são mais do que feridas abertas, fechadas pelas aspas"

Abraço emocionado

Marialuz

Enviado por Tópico
cleo
Publicado: 08/10/2009 23:11  Atualizado: 08/10/2009 23:11
Luso de Ouro
Usuário desde: 02/03/2007
Localidade: Queluz
Mensagens: 3857
 Re: O espinho
Muito agradecida pelas vossas leituras e comentários aqui deixados a este meu texto.

Obrigado a todos!

Beijos

Enviado por Tópico
poesiadeneno
Publicado: 09/10/2009 00:30  Atualizado: 09/10/2009 00:30
Colaborador
Usuário desde: 27/06/2009
Localidade:
Mensagens: 1407
 Re: O espinho
Cleo,

A imprevisibilidade faz parte da vida,mesmo que, por vezes, provoque sofrimento.
Bonito texto.



Beijo