https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

E a palavra longe de aberta

 
Roubei o reino
Não roubei o verbo
Que a órbita oscila
Sem ferros voz
Somente ofega
Murmúrios meros
Mãos de manhã secreta
Veio de água convulsa
E a palavra longe de aberta
Na arca dos olhos agita
Luzindo a fome, aperta
Sôfrega habita
Num intenso desperto
Quando tudo corpo dita
Nela se completa

Roubei o reino
Não roubei o verbo


«Antes teor que teorema, vê lá se além de poeta és tu poema»

Agostinho da Silva

 
Autor
bruno.filipe
 
Texto
Data
Leituras
547
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.