https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Última Flôr Do Roseiral!

 
Colhi a última flor do meu roseiral.
Findou-se meu canteiro e meu jardim.
Não raia mais o sol no meu quintal.
Nem o sol que tenho dentro de mim.

Tudo aqui é triste, anódino e incolor.
O céu cinzento, de estrelas, isento.
Como está agora aquela última flor
Que meus olhos vêem se indo ao vento.

Com ela se vai o perfume macio da rosa.
Em soluços chorosos fica o meu coração.
A vida se torna insípida, fria e inodora.
O dia diamante se torna plena escuridão.


Colhi a última flor do meu roseiral.
Findou-se meu canteiro e meu jardim.
Sobre meu canteiro, uma pá de cal.
Outra na cova que fizeram em mim.





















Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
751
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
12
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 14/01/2010 00:07  Atualizado: 14/01/2010 00:07
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: Última Flôr Roseiral!
Esse perfume não tem fim, basta fechar os olhos.
Poema triste mas belo. Beijos mineiros pra ti.


Enviado por Tópico
Moura365
Publicado: 14/01/2010 00:18  Atualizado: 14/01/2010 00:18
Colaborador
Usuário desde: 23/10/2009
Localidade: Rio tinto-Porto
Mensagens: 2284
 Re: Última Flôr Roseiral!
A flor pode ter desaparecido do teu roseiral, mas o seu perfume jamais desaparecerá.

Lindo poema!

Abraço!

Gil


Enviado por Tópico
Siljo Paipe
Publicado: 14/01/2010 00:27  Atualizado: 14/01/2010 00:27
Da casa!
Usuário desde: 12/09/2007
Localidade:
Mensagens: 206
 Re: Última Flôr Roseiral!
cantas a tristeza com belas pétalas de rosa, que são teus versos. cheira-me bem.

abraço


Enviado por Tópico
RoqueSilveira
Publicado: 14/01/2010 00:34  Atualizado: 14/01/2010 00:34
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 8205
 Re: Última Flôr Do Roseiral!
Triste, doce, belo e muito sensível.
Beijo


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/01/2010 11:53  Atualizado: 14/01/2010 11:53
 Re: COMBOIO
Poema
O comboio

O comboio vai parar
Para eu o apanhar
Só espero ele
Não se atrasar
No comboio gosto de viajar.

A viajar gosto de estar
Sempre algo novo
Hei de ver
Sempre algo novo hade
Acontecer.

Este comboio não quero perder
Pois o mundo inteiro
Eu quero ver
Sempre da para os meus males esquecer.

O comboio já chegou
Vou nele embarcar
E todos os meus sentidos
Hoje vão viajar.

No caminho levei
Um livro para ler
Pois não tinha mais
Nada para fazer.

Vou neste comboio percorrer
Caminhos de Portugal
Vou atento estar
Para novos caminhos encontrar.

Com os meus amigos
Vou conversar vou de novas
Aventuras falar para o tempo
Voar.

Oiço os motores a trabalhar
O comboio esta quase a arrancar
Vou nele viajar vou com os meus amigos
Viajar vou com eles viajar.


Ao comboio vai arrancar lá
Vem aquela senhora a correr
Pois este comboio ela também não ira
Perder.

Lá para o comboio
Consegui entrar
Lá consegui no comboio ficar.

Mais a frente esta um casal sentado
Aos beijos logo deduzi que estavam
Apaixonados e jamais podiam ser separados.

Uma velhinha fala-me de tempos
Passados e de como era bonito
Este trajecto mas agora este tudo estragado
Desarranjado.

Mais a frente reparei
Que não estava ninguém
Logo para ai me mudei.

Ao fim da linha cheguei
Sai do comboio fui ter com a minha namorada
E a beijei e toda esta viagem contei.

Cheguei ao fim da linha neste comboio
Mas a linha da minha vida continua
E nela te vejo como minha mulher
E que sabe o que quer.

Ass: Ricardo Neves


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/01/2010 19:53  Atualizado: 14/01/2010 19:53
 Re: Última Flôr Do Roseiral!
Nossa Gyl esse me lembrou shakespeare...dramático e belo...abraços
mary