https://www.poetris.com/
 
 
Morte
 
Ah se a falta de benevolência não nos inundasse
A alma de um mundo incoerente
Ah se a privação nos conduzisse ao fortalecimento do espírito
E a carência nos submergisse de dignidade
Já o óbito teria outro sentido num cérebro desinquieto
A defunção transformar-se-ia em renascimento
O lado negro em luz
O gelo em fogo
O passamento seria uma viagem serena para a eternidade
O aniquilamento uma jornada em direcção ao infinito
Abolição seria sinónimo de vida e não de anulação
O cessar não entraria na história humana como extinção
Falecimento seria apenas voar ao sabor do vento!
A severa liquidação não significaria acabamento
E as cumplicidades seriam perenes
E os quereres não teriam nome
E os sentires seriam indizíveis
E nunca obliteraríamos as amizades
Nunca suprimiríamos os abraços
Porque as carícias não acabariam
Não existiriam desfechos
Nem conclusões opinadas em forma de inquisição
Os capítulos de um livro ficariam sempre por encerrar
Um poema não teria termo
Não embarcaríamos na barcaça do decesso
Flutuaríamos apenas em redor das estrelas
Ou enleados nos calor dos nossos corpos
Saudade não apareceria no dicionário
Porque o nosso ânimo dançaria ao ritmo da afeição
E o amor não teria fim
Mas por certo engano-me na sorte
Será ilusão o amor
Tal como a própria morte?...


 
Autor
AnaMariaOliveira
 
Texto
Data
Leituras
716
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
antóniobotelho
Publicado: 24/09/2010 16:52  Atualizado: 24/09/2010 16:52
Da casa!
Usuário desde: 13/04/2010
Localidade: Aguiar da Beira - Guarda
Mensagens: 312
 Re: Morte
Caríssima Ana Maria Oliveira,
Eu não temo em afirmar convictamente que o amor não é ilusão tal como a própria morte! Aliás, a própria morte não é uma ilusão, mas sim, uma realidade tão real quanto a existência do amor! E digo isto, mesmo tendo acabado de sair de uma relação repleta de muito amor! No entanto, esta é uma questão que permanece que, apesar de sabermos que acaba por ser retórica, continuamos a colocá-la a nós mesmos várias vezes no decorrer da nossa vida!
Muito bom!
Cumprimentos poéticos,

António Botelho

Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 02/10/2010 09:33  Atualizado: 02/10/2010 09:33
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11186
 Re: Morte
Ana Maria,
Se a benevolência nos fosse inata o mundo giraria de uma outra forma e o amor não seria utopia.
Beijinhos
Nanda

Enviado por Tópico
FalcãoSR
Publicado: 02/05/2011 08:17  Atualizado: 02/05/2011 08:17
Colaborador
Usuário desde: 30/06/2006
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 2785
 Re: Morte
Ana,

Os mistérios são o vapor que movem as caldeiras de nossas vidas.

Não vimos Deus, mas o amamos tanto, acho que esse é o maior valor de nossa fé, quanto ao amor, esse quando verdadeiro é imortal.

Beijo