https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

À noite

 
Tags:  sol    calma    som  
 
Open in new window


À noite

A noite chega com o seu mistério
E vem negra como a minha solidão
Vem silente parecendo um cemitério
E vem triste atormentar meu coração

Traz consigo um clima quase funéreo
Que às vezes destrói a minha calma
Ligo o meu aparelho de som estéreo
Para a música dar paz à minha alma

Levanto e vou até a minha estante
Tomo um comprimido como calmante
Para que eu possa dormir tranqüilo

Quando o sol desperta tão radiante
Tudo melhora muito neste instante
E as tristezas da noite eu aniquilo.

jmd/Maringá, 31.01.11



verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
863
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
belarose
Publicado: 31/01/2011 18:29  Atualizado: 31/01/2011 18:29
Colaborador
Usuário desde: 28/10/2010
Localidade:
Mensagens: 9026
 Re: À noite
Boa tarde! Uma poesia meio depressiva mas com um final deslumbrante,um final cheio de esperança,gostei de ler João bjs