https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

ESPERANÇA

 
Tags:  sonetos    Marcos Loures  
 


Não tenho e nem tivesse o que se queira
Vencendo a sorte atroz e malfadada,
A luta quando traça a desgraçada
Vontade que sonegue a companheira,

Versando sem saber qualquer bandeira
A morte no vazio, desolada,
O canto se aproxima desta estrada
Declínio se anuncia em tal ladeira,

O preço se resume no que possa
Viver sabendo já da rude troça
Que endossa a solidão de quem procura

Vencer a tempestade mais cruel
Ousando derramar no fogaréu
O tanto que tivera em amargura.
 
Autor
MARCOSLOURES
 
Texto
Data
Leituras
3168
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.