https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

Nada acontece duas vezes (Wislawa Szymborska)

 
Tags:  acaso  
 
Nada acontece duas vezes (Nic dwa razy)

Nada acontece duas vezes
e nem acontecerá. Por este motivo
nasceremos sem prática
e morreremos sem rotina.

Mesmo que fossemos os mais estúpidos
alunos do mundo na escola,
não vamos repetir
nenhum inverno, nenhum verão.

Nenhum dia se repete,
não há duas noites iguais,
dois beijos do mesmo jeito,
duas mesmas trocas de olhar.

Ontem, que alguém pronunciou
teu nome alto perto de mim,
foi como se uma rosa me tivessem
atirado por uma janela aberta.

Hoje, que estamos juntos,
virei o rosto para a parede.
Rosa? Como é uma rosa?
É uma flor? Talvez uma pedra?

Por que tu, hora ruim,
te confundes com um medo desnecessário?
Se és – então tens de passar.
Se passarás – então será bela.

Sorridentes, abraçados,
tentaremos buscar um acordo,
mesmo que sejamos diferentes
como dois pingos de água limpa.




Livre-pensadora, livre-sonhadora

Autor: Wisława Szymborska
Trad. Tiago Halewicz
 
Autor
Manu_C.
Autor
 
Texto
Data
Leituras
6743
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Henrique Pedro
Publicado: 31/12/2011 14:50  Atualizado: 31/12/2011 14:57
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2007
Localidade:
Mensagens: 3821
 Re: Nada acontece duas vezes
Diria que a tradução deste poema de Wisława Szymborska é perfeita. Parabéns, portanto, ao tradutor e, por acréscimo, a Manu_C, cujo amor à poesia e refinada sensibilidade poética estão patentes neste seu empenho de, neste espaço, nos dar a conhecer este poetisa polaca, prémio Nobel da Literatura(1966). Se traduzir prosa não é fácil mais difícil será traduzir poesia porque, a musicalidade e harmonia de fonemas e rimas, por regra, ficam diminuídas. Neste caso, porém, direi que tal não acontece severamente, sendo que a beleza das ideias, está intocável.
Cabe ainda aqui dizer que Manu_C, que se autoproclama de "aprendiz" de português já escreve melhor na Língua de Camões que muitos por aqui andam, tendo o português como língua materna.
O meu aplauso, portanto, para Manu_C com votos de um NOVO ano pleno de alegrias.

Abraço.

PS.: Tomo a liberdade, com a devida vénia para a dona deste espaço, de deixar aqui uma breve nota biográfica de Wisława Szymborska.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Wisława Szymborska

Nascimento

2 de Julho de 1923 (88 anos)
Kórnik

Nacionalidade
Polonesa
Ocupação
Escritora
Prêmios
Nobel de Literatura (1996)


Wisława Szymborska (Kórnik, 2 de Julho de 1923) é uma escritora polonesa.

Destacou-se como poetisa com uma obra que tem como tema as vicissitudes da Polônia moderna. Emprega uma linguagem simples e coloquial, herança do realismo social que dominou a Europa oriental, mas sua modernidade se revela no tom irônico e na complexidade formal de muitas de suas poesias.

Recebeu o Nobel de Literatura de 1996.