https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Sorriso de Monalisa

 
Tags:  amor    ódio    desamor    monalisa    Sorisso  
 

Eu te odeio
Do fundo do meu coração eu te odeio.
Com todas forças do mal, eu te odeio.
Te odeio como o ódio dos meus rivais.
Te odeio como todos sentimentos brutais

EU TE ODEIO
Eu te odeio mais do que demais,
Eu te odeio com as tropas dos espíritos dos meus ancestrais,
Eu te odeio em todas as línguas possíveis,
Eu te odeio em francês,latim,alemão,português...
Eu te odeio com todos os porques,
Te odeio de todas as formas terríveis.




Eu te odeio, te odeio, te odeio, te ODEIO!!!
Eu grito mais alto do que nem sei.
Gritos mudos dentro da prisão,
Minha alma alva encontra a escuridão,
É a catástrofe do meu coração;
De bonzinho ao vilão mais vil.
Assim te odeio e te mando pra...ponte que partiu.

Mas pra ser sincero, eu realmente te odeio!!!
Mas na essência, te odiar faz-se necessária a sua presença.
Pois se você não existir, a quem mais vou odiar?
Amo a todos (mentira). Com exceção de você (verdade). Você é o que me equilibra
Você faz parte da minha vida. Sem você, sou eu pela metade. Justamente esse fato que eu Odeio em você.
Porquê ser tão cheia de amores, cheia de angustias, ser assim tão cativante, e linda como Diamante?
Se me queres até mesmo como amante, digo-lhe te odeio, mas te quero a todo instante.
Não adianta. Não vou me contradizer. Acordado e consciente eu repito: Odeio você!

Eu te odeio te odeio, e cada vez mais te odeio ainda mais...
Eu te odeio com todos os numerais. ( Infinitos ímpares e negativos. )
Eu te odeio com a força das vogais. ( EO, O-E-I-O, OE )
Odeio o amor que consome o ser desumano. Frio e desagradável é um belo de um tirano.

Estranho lamento do dia que te chamei,
Com tua voz suave eu quase pequei.
Passando-se alguns dias, a ti, meu amor entreguei
Dizendo-lhe quão afável meu coração ficou.
Você?
Acolheu-me piedosa, sacou o revolver, e disparou.

Assim recolho-me aos meus aposentos. Lá, apenas lamentos. Que perante o fim dos dias
O sangue foge-me, buscando o desfiladeiro.
Como, à lástima foge a chama,
É cruel saber que enquanto morro, te odeio
E voce sorrindo ainda me ama.


No quiero ser normal.

Adicionado no blog www.marceloinverso.blogspot.com.br na data de 28/08/2008.
 
Autor
marceloinverso
 
Texto
Data
Leituras
1294
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.