https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Porque tem a poesia palavras tão difíceis?

 
[pergunto-me]

Porque tem a poesia, por vezes, palavras tão difíceis de entender?
Será que os poetas as sentem,
Ou simplesmente as procuram em incógnitos dicionários de sinónimos?

As palavras, diz o povo, são como as cerejas,
Eu nunca senti em mim florescer qualquer flor
Nos meus lábios
Uso a palavra pelo prazer de a sentir
Sai de mim em voo na direcção das altas montanhas.
Tenho em mim as palavras das mulheres e dos homens da rua,
Palavras simples
Escondem as metáforas nos seus olhos vazios
Nas cavernas das rugas das suas faces.

[Ingénuo]

Pensei voar ao teu redor num tapete das mil e uma noites
Queria fazer despontar em ti uma flor
Por isso, quando olho as cerejeiras em flor
As invejo
As minhas palavras não foram um mar
Mas um poço - sem eco
Sem luz -
Sem a água das palavras

De que minas, de que campos, de que casas vêm as palavras dos pobres?

O poema antes de ser poema
É uma pedra de palavras.
No âmago da pedra já se encontra a essência do poema,
O poeta - um escultor de palavras -
Sente a angústia do cinzel e do martelo
Na descoberta do poema escondido.

[E retalhada a pedra o pó entra-lhe nas narinas]

O poema antes de ser poema
Congrega palavras num novelo de grãos de pólen dentro de um almofariz
Ansiosos por fecundarem os estames da poesia.

[Aparentemente o poema parece ser algo de simples – e é simples -
Então porque são as palavras complicadas?]

Eu sou um simples burilador de poemas,
Procuro em cada palavra o sentimento,
O cheiro, a cor,
E o som.

Gostava de me sentir dentro da poesia,
Numa caixa de vitral multicolor

[Desdobro os cantares alentejanos na taberna do carvoeiro – galego - fugido da guerra de Espanha]

Vou às raízes da minha rua,
Embalo-me no som das sirenes das fábricas do bairro onde cresci,
Em cada janela há um postal ilustrado
Há uma musica que me chega de tudo o que é buraco nessa rua,
Das bocas-de-fogo,
Das sargetas,
Das dos botões de campainha inexistentes.
Há o som de um piano por trás de uma cortina numa janela fechada.

[Foice]

Das planícies do trigo e das papoilas,
Mulheres, homens, crianças
Vieram vestidos de negro - O Tejo o seu mar
Das tormentas - capote de pastor,
Chapéu de maltes a sombrear os olhos
Tez casca de sobreiro
Pousaram como andorinhas tristes
Na quinta da Porcalhota
Onde patos bravos emprenharam a terra
De edifícios frios
Violadores da estética
E apedrejaram os pássaros dos campos de trigo
Que os emigrantes traziam no peito.
É aqui que encontro sons
A linha recta das palavras.
Por vezes, confesso, as palavras nem existem.
Só existe um som, uma cor, um sentimento
E ficam letras em forma de notas musicais na folha de papel,
Depois andam dias e dias a burilar
Em ricochete na minha cabeça
Até que um dia
(há sempre um dia, nem que seja para desistir)
Encontro a palavra que transporta em si o som desejado.
E assim nasce aquilo que ouso chamar de poema.

Paro de escrever!

[Agora pergunto a ti, poetisa, que deixaste de escrever]

Porque matas a poesia que há em ti?
Como consegues respirar sem o ar das palavras?

[Uma dúvida]

A liberdade é uma bandeira sem palavras?

[Ponto final]

Não faz sentido aqui o parágrafo



Open in new window


 
Autor
Sedov
Autor
 
Texto
Data
Leituras
710
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
6
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 12/09/2012 20:33  Atualizado: 12/09/2012 20:33
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2092
 Re: Porque tem a poesia palavras tão difíceis?
Nestes anos todos de escrita, muitas palavras surgiram em minha mente, sem conhecê-las. Não sei como isto acontece, mas, creio que, a partir disto, conheci muitas palavras novas. Continuo escrevendo e elas não param de chegar, fico feliz por isto acontecer.
Buscar o significado das palavras abre um céu de novas possibilidades.

Gostei de ler.

Helen.


Enviado por Tópico
ipalha
Publicado: 12/09/2012 22:32  Atualizado: 12/09/2012 22:32
Participativo
Usuário desde: 06/09/2012
Localidade: Coimbra
Mensagens: 28
 Re: Porque tem a poesia palavras tão difíceis?
Dá-me poeta palavras.
Nem fáceis , nem duras, nem doces, só palavras cheias!
Cheias de afectos, de sonhos, de sons, de cheiros... dos teus sons
escreve poeta
Escreve e dá-me palavras que me transportem a mundos
ao teu Mundo

Enviado por Tópico
Runa
Publicado: 12/09/2012 22:42  Atualizado: 12/09/2012 22:42
Colaborador
Usuário desde: 24/04/2010
Localidade: Santo Antonio Cavaleiros
Mensagens: 1177
 Re: Porque tem a poesia palavras tão difíceis?
Citando:
Há o som de um piano por trás de uma cortina numa janela fechada.


Eis aqui um bom exemplo de como a poesia pode ser bem escrita sem precisar de usar palavras difíceis de entender. Gostei muito do poema

Abraço

Runa


Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 13/09/2012 00:20  Atualizado: 13/09/2012 00:20
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16270
 Re: Porque tem a poesia palavras tão difíceis?
Belo texto, gostei do questionamento!
Acho que cada um tem seu estilo, uns com palavras mais rebuscadas, acabam trazendo palavras novas e enriquecendo nosso vocabulário! Pesquisar, estudar é legal demais, pois construimos e reconstruimos, enfim...conhecimento é isso né?
Bjos!
Open in new window