https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

,ténues formas de ramos quebrados

 
.
.
.
.
.
.
.
*
da natureza em tons de verde desbotado,
um sol nublado, quão distante a nebulosa destapada,
reaviva-se a esfera, o cilindro, porque não o cone,

memória nessas formas fundamentais
que se sossegam, liberta-se a vénus da beleza endeusada,
inexistente.

dilacere-se a tela, que apodreça num deserto de sal
que se desfaça fúnebre,
purifique-se, putrefaça-se,

(I)

,ténues formas de ramos quebrados
que restaram em estilhas, estilhaçadas, vãs,
almejaram um dia serem floresta
por entre os traços fortes, impiedosos,

deste olhar silenciado
atravessando árvores adormecidas,


[calou-se o silêncio que atravessava algumas árvores moribundas]

perde-se toda a terra de outrem,

(II)

ninguém novamente.





"Forfante de incha e de maninconia,
gualdido parafusa testaçudo.
Mas trefo e sengo nos vindima tudo
focinho rechaçando e galasia.
Anadiómena Afrodite? Não:"

("Afrodite? Não" Jorge de Sena)







Textos de Francisco Duarte
 
Autor
F.Duarte
Autor
 
Texto
Data
Leituras
771
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/11/2012 09:52  Atualizado: 10/11/2012 09:52
 Re: ,ténues formas de ramos quebrados
Sua escrita é delicada, profunda e tocante. Gosto muito!
As florestas são como o viver, galhos quebram-se pelos ventos sem rumo ou direção ou são destruidas pela racionalidade. A vida segue a mesma logica ... o mesmo destino.

Agradeço a partilha e a oportunidade de divagar assim... Parabéns!

Um abraço


Enviado por Tópico
girassol
Publicado: 10/11/2012 13:07  Atualizado: 10/11/2012 13:07
Super Participativo
Usuário desde: 02/10/2011
Localidade: Lisboa mesmo ao lado...a levo de braço dado.
Mensagens: 194
 Re: ,ténues formas de ramos quebrados
Ler-te é como se estivesse observando a beleza da natureza,
tão belamente descrita, neste caso, até com uma certa melancolia.
É sentir paz, deixar aberto o coração e fruir a leitura.

abraço Poeta grata pela partilha