https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Pelas orquídeas sossegadas num vão de escada em caracol

 
.
.
.
.
.
.
.............................
*****************************

Despeja-me a morte em catadupas
Como uma queda de água
Nos confins do mundo
Sem remissão, paragem
Um sorriso sequer. Jaz o corpo
Num amontoado de lixo podre
Vomito bilioso
Fétido sem janelas viradas
Para o sol de Inverno escondido
Talvez confesse que vivi
Ou que queria viver mais
Para tocar as linhas dos horizontes
Longínquos. Ignotas Latitudes

Nunca passaram de sonhos ou fugas
Pela noite estremecendo. Talvez me sossegue
Sim, do papel em branco, do risco
Interminável de areais sem areia
Do mar sem sal rio que seja com margens
Distantes. Nem nada ou os silêncios

Incrustados por paredes escuras desfeitas
Em vão pela manhã sem procelas
Recordações. O amar cansa
O navegar implode-nos a cada marear
Repetido quando a rota se passeia

Pelas orquídeas sossegadas num vão de escada em caracol Desabrigos pelos cantos em ruína de uma casa de madeira destelhada esperando apodrecer apenas isolada ou coberta pelas ondas indomáveis arrasadoras numa noite calada Deixa-me adormecer assim pensando que não irei acordar jamais com o cheiro da canela Sentir-te-ei perto pelo respirar

No cais do regresso
Algum dia pelos reflexos do mar
Sossegado.

Sossegando-me em ti.



(Ricardo Pocinho)


"Floriram por engano as rosas bravas
No inverno:veio o vento desfolha las..."
(Camilo Pessanha)

http://ricardopocinho.blogspot.com/

 
Autor
Transversal
 
Texto
Data
Leituras
1451
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
35 pontos
11
0
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 28/02/2014 23:17  Atualizado: 28/02/2014 23:17
 Re: Pelas orquídeas sossegadas num vão de escada em caracol
Belíssimo e emocionante!




M...


Enviado por Tópico
gil de olive
Publicado: 28/02/2014 23:18  Atualizado: 28/02/2014 23:18
Colaborador
Usuário desde: 03/11/2007
Localidade: Campos do Jordão SP BR
Mensagens: 5046
 Re: Pelas orquídeas sossegadas num vão de escada em caracol
mais uma vez aplausos para o grande poeta!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/03/2014 00:44  Atualizado: 02/03/2014 02:53
 Re: Pelas orquídeas sossegadas num vão de escada em caracol
*

Perfeito.
Bjo

K*


Enviado por Tópico
sommerville
Publicado: 01/03/2014 22:32  Atualizado: 01/03/2014 22:32
Colaborador
Usuário desde: 21/08/2011
Localidade: Porto, Portugal
Mensagens: 1003
 Re: Pelas orquídeas sossegadas num vão de escada em caracol
Ricardo:

"Devasta-me a vida em fogos
Como uma guerra imprevista
No extremo das estrelas
em missão, e suspensão
Um sorriso a arder onde o corpo
vira lápide sem nome
quase fenda comum
não terei tempo
para confessar que vivi
nem tão pouco
para reler Neruda
apenas me sobra
o segundo inconfesso
porque demasiado breve
em que reconheci
que confessar
seria...
um murmúrio
da terra queimada
onde se consomem
as
minhas
cinzas..."



Obrigado poeta, pela viagem.Guardo.Abraço.


Enviado por Tópico
RayNascimento
Publicado: 02/03/2014 00:08  Atualizado: 02/03/2014 02:57
Membro de honra
Usuário desde: 13/03/2012
Localidade: Monte Roraima - Brasil
Mensagens: 6400
 Re: Pelas orquídeas sossegadas num vão de escada em caracol
No amalgama que faz a lápide da vida
Dantes suprida pelo amor,
Hoje, corroída pela dor-saudade...
Desenfreada força que rompe o peito
Promulga a demência da mente
Num nômade caminhar errante...
Nos ais dos lençóis amarrotados de nós
Lareira dantes de amantes supridos,
Hoje, suprimidos pela dor esmaída
Fenerge o coração no momento
Chamado-vida onde a esfinge
Grita o silêncio incontido,
Quantos gritos cabem no silêncio???
No deserto de nada-existir
Num nada que me leva a lugar algum...
Ainda que no âmago de mim
Habite o teu abecedário
Jazindo numa galáxia surreal
Numa voz que se cala
E faz eco em meu existir
Nas caravanas do tempo
Na noite mais negra da vida.

Ray Nascimento

Open in new window


Enviado por Tópico
martims
Publicado: 17/03/2014 22:28  Atualizado: 17/03/2014 22:28
Colaborador
Usuário desde: 12/08/2013
Localidade:
Mensagens: 6796
 Re: Pelas orquídeas sossegadas num vão de escada em caracol
Nos cantos das casas o verde que se se estende a adormece junto aos sonhos que fogem. O cheiro do silêncio das orquidesa se envanescem. Despecha sobre um algo um toodo