https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Decrepitar finito

 
Há algo relevante além de mim,
Fulcro perene do infinito?
Íntimo de si, somente de si, (em mim)
O ego afirma convicto:
- O despertar humano erigiu-te assim.

Predisposição insaciável ou rito
Acorrenta-me ao pelourinho do “eu”
Encarcerado no limbo do cotidiano conflito.
Iludo-me e acredito estar vivo
E vivo no espelho das memórias
Granjeando o fio condutor que já não fito

Quando o fim (do “eu”) irá libertar-me enfim
Desse perpétuo sêmen do viral congênito.
Linhito de sonhos e paixões,
Das fúteis convicções entalhadas em granito?
Há algo relevante vindo para mim
Decompondo-me, decrepitar finito!


 
Autor
Manito
Autor
 
Texto
Data
Leituras
554
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 27/08/2014 04:51  Atualizado: 27/08/2014 04:51
 Re: Decrepitar finito
título instigante e muito bom poema

Enviado por Tópico
saraabreu
Publicado: 27/08/2014 20:29  Atualizado: 27/08/2014 20:29
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2014
Localidade:
Mensagens: 2423
 Re: Decrepitar finito
Um ser que se diz velho, sem força, sem brilho...belo poema Manito ciente dum estado d'alma em baixo/abatido, perante se calhar os momentos menos bons da vida, virão dias melhores...

Grata pela sua passagem repleta de carinho na minha página poeta.
bj