https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Futilidade

 
Nada mais fútil e efêmero
Do que um universo pequeno
De estrelas fajutas e pequenas
Que brilham um minuto apenas...

Nada mais impalpável e pobre
Do que a ostentação das bandeiras
Que surgem às sombras de outras nobres
E, assim, sobrevivem às suas maneiras...

Nada mais bobo, banal e obsoleto
Que as vidas que não vivem suas vidas
Que utilizam de outras vidas como espelhos
Para fazerem das suas vidas um padrão-modelo.

A riqueza da existência não se mede em dinheiro
Ser feliz é apenas uma questão de ser ou estar
Lembra-te daquele velho e aposentado marinheiro
Sentado na cadeira, com um cachimbo, olhando para o mar?



Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
818
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
34 pontos
6
6
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
MarySSantos
Publicado: 29/05/2015 14:34  Atualizado: 29/05/2015 14:34
Luso de Ouro
Usuário desde: 06/06/2012
Localidade: Macapá/Amapá - Brasil
Mensagens: 5284
 Re: Futilidade
um poema bem construído, Gyl. Percebe-se a força (fúria ou indignação?) que o sujeito poético entregou às palavras... mas os quatro últimos versos alinhavaram o poema, sábia e pacificamente.

gostei muito.

bjos


Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 29/05/2015 20:08  Atualizado: 29/05/2015 20:08
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16303
 Re: Futilidade
Gyl

A riqueza da existência não se mede em dinheiro
Ser feliz é apenas uma questão de ser ou estar


Concordo plenamente!

Perfeito amigo! Fútil é não reconhecer a grandeza do Universo, a beleza das estrelas, não ter amor pelas suas origens, não reconhecer que o exemplo vale tanto ou mais que um conselho!

Existe marinheiro aposentado? Se existe, estaria ele satisfeito sentado na cadeira, olhando para o mar? Rsrs

Levei o poema e o questionamento!
Beijos!
Janna


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/05/2015 02:49  Atualizado: 30/05/2015 02:49
 Re: Futilidade
Bravo!
Gostei muito!

Abraços de sua fã

Leonor