https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Bebo...

 
Tags:  amor    paixão    vinho  
 
Bebo do teu corpo o vinho
Que me embriaga na loucura
Faço dele o meu caminho
Pisando a uva madura.

Embriagada e sem hora marcada
Cambaleio em ti na noite escura
Refaço-te na minha madrugada
Enquanto a paixão ainda dura.

Ébria, encontro o amanhecer
Nos teus braços apertados
Certeza que é aí que quero viver.

Brilha o sol já alto lá fora
Quando me sinto renascer
Da noite que passou a correr.

 
Autor
MariaSousa
 
Texto
Data
Leituras
996
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
19 pontos
13
3
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Paulo-Galvão
Publicado: 22/07/2015 20:37  Atualizado: 22/07/2015 20:37
Usuário desde: 12/12/2011
Localidade: Lagos
Mensagens: 1172
 Re: Bebo...
Versos de uma boa colheita.
Branco ou tinto não importa, boa saúde.


Enviado por Tópico
Upanhaca
Publicado: 23/07/2015 14:04  Atualizado: 23/07/2015 14:04
Usuário desde: 21/01/2015
Localidade: Lisboa/loures
Mensagens: 8232
 Re: Bebo...
"Da noite que passou a correr"´
É claro cara poetisa, quando se ama é escasso o tempo pra viver as delícias do amor.
Gostei do soneto.
Abraço!
upanhaca


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/07/2015 22:51  Atualizado: 23/07/2015 22:51
 Re: Bebo...
Parabéns poetisa!

Bonita poesia!

Um abraço,

Anggela


Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 04/08/2015 20:04  Atualizado: 04/08/2015 20:04
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 10200
 Re: Bebo...
Boa tarde Maria, depois de encontrarmos a pessoa que nos faz boa companhia em todos os sentidos do nosso viver, queremos ser parte integrante deste ser o mais que pudermos, parabéns pelo envolvente poema, um abraço, MJ.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 07/08/2015 09:07  Atualizado: 07/08/2015 09:07
 Re: Bebo...
Bom dia! Muito bom seu soneto!

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/08/2015 17:15  Atualizado: 10/08/2015 17:15
 Re: Bebo...
São aqueles momentos que os ventos trazem as verdadieras essência de um prazer que penetra nos sentidos, onde a paixão se bebe do mais fogoso prazer

Enviado por Tópico
Margô_T
Publicado: 04/09/2016 07:39  Atualizado: 04/09/2016 07:39
Da casa!
Usuário desde: 27/06/2016
Localidade: Lisboa
Mensagens: 308
 Re: Bebo...
Bebe-se no corpo o vinho ou esse vinho que o corpo tem, inebriando-nos em sentidos.
Faz-se uma ode a Baco e deixa-se que o devaneio/delírio surja, fazendo dele o nosso “caminho”…
“sem hora marcada” - já que também as horas se embriagam com o momento, e o tempo se torna mais difuso - cambaleia-se na “noite escura” até que seja “madrugada”
e, enquanto o devaneio durar, a paixão durará noite fora.
No aperto dos braços, surgem essas certezas, só assim tão certas, quando nos inebriamos… mas o “sol” brilha “já alto lá fora” e é tempo de esfregar os olhos, deslaçar os braços e “renascer”.
Com ou sem vinho, ocorre o delírio… e se bebe este teu poema.
Gosto.

Beijinhos


Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 04/09/2016 08:15  Atualizado: 04/09/2016 08:16
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1876
 Re: Bebo...
Como é belo este soneto.
Há um orgasmo subadjacente... a embriaguez, o cambalear, mas sobretudo esse desejo incontrolável de pertença a quem nos traz para esse nível de prazer, noite fora.
Vida dentro.

Lindo.

Bj