https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Soneto do exordio da grei

 




Deixe-me só, e se verter lágrimas não terei vergonha,
acostumei a chorar em silencio, com soluços abafados...
Nem acredito mais que amor terreno exista para mim,
depois do abandono, ter os meus sonhos amaldiçoados.

Nem creio que possa sair dessa angustia que desfigura,
quanto verter lágrimas diante de um tumulo visitado,
quedar-me silencioso, respeito diante àquela caricatura,
sem pena... apenas imaginar quem estaria ali sepultado.

Assim, há tempos não mais acredito no amor paternal,
talvez possa sorrir ou chorar, com alegria até alarmante,
assustando as pessoas ao deredor o proceder anormal.

Por certo, amaldiçoaria as lágrimas que por ele derramei;
já não reconheço ancestrais, nesta terra sou ambulante.
Só no mundo... em meio às angústias, o exordio da grei .

 
Autor
ReflexoContrito
 
Texto
Data
Leituras
405
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
JCJ
Publicado: 24/11/2015 22:01  Atualizado: 24/11/2015 22:01
Da casa!
Usuário desde: 15/10/2015
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 368
 Re: Soneto do exordio da grei
Obrigado pela leitura.
Gostei muito.
Abraços.
JCJ

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/11/2015 09:29  Atualizado: 25/11/2015 09:29
 Re: Soneto do exordio da grei
Gostei do soneto!

Um abraço,

Anggela