https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Soneto dos topes da candura

 


Do que tudo isso implica o cotejo rude,
desfraldo lá nos idos topes de candura,
onde a maldade livremente escala talude
dos pórticos onde vai garimpar ventura.

No lodo podre farejo caireis da inocência,
qual dos pântanos de que vive cheio porém.
Do que tudo isso implica a par imprudência
desfraldada lá nos idos topes que provém.

A alma sabe ao granito nesse desassossego,
na direção que caminha... tanto circunspeto
de todas preocupações, do conflito achego.

De tal proceder oculta no âmago a postura,
em tudo isso que implica o cotejo ao dueto,
nos pórticos onde vai expurgar a vil tortura.


 
Autor
ReflexoContrito
 
Texto
Data
Leituras
246
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
2
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
erro
Publicado: 09/04/2016 04:11  Atualizado: 09/04/2016 04:11
Colaborador
Usuário desde: 04/03/2016
Localidade:
Mensagens: 845
 Re: Soneto dos topes da candura
Pode até ser mas acredito que quando acontece e se acontece não é por maldade, por isso é merecido que aconteça a recusa de um julgamento errôneo.

Enviado por Tópico
martims
Publicado: 09/04/2016 13:45  Atualizado: 09/04/2016 13:45
Colaborador
Usuário desde: 12/08/2013
Localidade:
Mensagens: 6796
 Re: Soneto dos topes da candura
No todo dos sentimentos as lágrimas se regam de os instantes onde os gritos se faceiam numa altitude que o planto vais pela direção dos antos sentidos