https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Epifania

 
Tags:  utopia    aconchego    EPIFANIA  
 
Rincões e tumbas armazenam aqui e alhures
Tredos espinhos, ramas murchas, seca estia
Sementes restam, a germinar, quiçá, algures
Num promitente ressurgir da flor tardia

Se no findar da primavera, te amargures,
Fria tormenta te camufle a utopia,
Rever quiseras (se segui-la ainda jures),
O azul da estrela que brilhou na epifania

Na imensidão, já desatento, o olhar espreita
O aterrissar de frouxas horas de euforias
Em tremulantes folhas prenhes de poesias

Porem se atento o olhar se volta à porta estreita
Se lhe sujeita todo fardo em desapego
A estrela azul, no mar de angústia é aconchego

 
Autor
Manito
Autor
 
Texto
Data
Leituras
209
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.