https://www.poetris.com/
 
Textos : 

Carta 01

 

Rio de Janeiro – RJ, 10 de Junho de 2018

À quem se interesse em ler

Misantropia para suportar esses tempos insuportáveis, os médicos suspeitam de fobia social ou psicopatia, mas eu vejo como algo natural não conseguir conviver com pessoas vazias e superficiais, não ter desejo de suportar o tempo da urgência social, de não querer correr mais rápido e desengonçadamente possível para um profundo abismo.
Eu já tentei encontrar esse prazer que consome o mundo, e estive com Hades, Baco, Eros, já desci ao mais profundo submundo.
Olho o mundo como se estivesse de fora, separada por uma lente que ora me aproxima e ora me afasta, essa lente me mostra com muita facilidade a mediocridade das intenções que povoam as mentes rasas de seus habitantes.
Não sou desse tempo e lugar, de que me serve essa condição? Eu deveria repassar a alguém essa capacidade inútil ou tentar fazer me compreender? Encontro me no mundo sem alguma finalidade real para exercer, as pessoas passam por mim com suas prioridades inúteis e eu as vezes acho admirável manter-se neste estado mental de sono profundo.
Pessoas consomem-se e se entreterem com obstáculos mentais, sobrenaturais, invejas, competições, ansiedades, e satisfação de suas necessidades básicas fundamentais, elas giram num círculo que se alterna até o fim das vidas, pensamentos repetitivos e os mesmos assuntos ora por ausência e ora por seus excessos num ciclo quase infinto de demência se não fosse interrompido pela morte.
Não tenho ódio, meus sentimentos alternam irritação e apatia, irritação por nunca encontrar patrícios numa terra desconhecida e apatia por me conformar com todo esse circo que passa por mim, sobre meus sentimentos, eu também já gostei de alguém uma vez, alguém muito parecido, mas acho que faltou expressar sentimentos ou ter a certeza que realmente esses sentimentos existiram, e passou.
A vida não é assim tão ruim as vezes, eu gosto de refletir sobre os comportamentos, e ajudar as vezes como puder, tenho interesses que me ajuda a passar o tempo e um trabalho que me ajuda a manter meus estudos, não é um relato pessimista, nem um pedido de socorro, não há depressão, tudo na vida a gente se habitua mesmo que não possa compreender.


 
Autor
Creep
Autor
 
Texto
Data
Leituras
468
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
7 pontos
5
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 12/06/2018 10:26  Atualizado: 12/06/2018 10:26
 Re: Carta 01
"as pessoas passam por mim com suas prioridades inúteis e eu as vezes acho admirável manter-se neste estado mental de sono profundo."

Muito bem observada essa realidade que insiste em "bater na cara" da gente. Quantas são as "prioridades inúteis" as quais nos agarramos todos os dias e que fazem de nós escravos das mesmas e incapazes de perceber um mundo pulsante acontecendo ao redor de nós... escravos de nossas neuras mergulhados em um sono, uma letargia maluca.

Gostei da "densidade e intensidade" da carta.

Abraço


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 27/06/2018 00:07  Atualizado: 27/06/2018 00:07
 Re: Carta 01
Parece-me realmente um olhar atento para a estrutura que tem a sociedade (ainda que não integralmente).