https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Despedaçado

 
Open in new window

















Despedaçado

À guisa de inefável desencanto
Fostes vós -fina flor do holocausto,
A ruína vagarosa do meu fausto
Indiferente ante o eco do meu canto.

Acaso sabeis do coração exausto,
Desta dor pungente que a senti tanto?
Foi longa a trilha percorrida em pranto,
De peito arfante e constrangido hausto.

Se te afigurei demasiado insano,
E como um louco apenas relegado
Na triste vala daquele triste ano,

Ah! Não entendestes o significado...
Morri pouquinho a cada desengano
E renasci, porém, despedaçado.



Álvaro Silva©



 
Autor
Álvaro
Autor
 
Texto
Data
Leituras
275
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
10
3
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 24/07/2018 02:03  Atualizado: 24/07/2018 13:03
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15181
 Re: Despedaçado
Ficou clássico, Álvaro! Morrer a cada desengano e renascer despedaçado é de um sensibilidade poética que apraz. Gostei muito. Um forte abraço e tudo de bom!


Enviado por Tópico
Juanito
Publicado: 24/07/2018 08:50  Atualizado: 24/07/2018 08:50
Colaborador
Usuário desde: 26/12/2016
Localidade: España
Mensagens: 2662
 Re: Despedaçado
Belo soneto, estimado Álvaro!

Meus parabéns e um abraço!


Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 24/07/2018 13:33  Atualizado: 24/07/2018 13:33
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade: Algures em Portugal
Mensagens: 2750
 Re: Despedaçado
🍁
Soneto feito de melancólica morte
morremos como uma bela flor
vivemos nem sempre como queremos
despedaçados esquecidos
como pétalas soltas ao vento

um abraço Álvaro


Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 05/08/2018 14:14  Atualizado: 05/08/2018 14:14
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9314
 Re: Despedaçado
Bom dia Alvaro, teus versos enredam um personagem que em dado momento sente-se devastado pelos desencontros que a vida lhe patrocina, mas logo em seguida, percebe que não é bom assim, porque existe sempre um atalho a ser perseguido diante de uma dificuldade qualquer. parabéns pelo vosso incisivo soneto eu te desejo um excelente domingo, MJ.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/08/2018 02:23  Atualizado: 10/08/2018 02:23
 Re: Despedaçado
Álvaro!
Tão bonito seu poema que me emocionou. Este é o dom do bom escritor, provocar no leitor sensações as quais não apenas ele se identifica, mas criá-las dentro de si. Senti... Degustei e deixo o silêncio falar... A emoção voar nas vossas palavras. Prendo o momento e vou como sempre desejando voltar.
Desejo-te uma bela noite!
Abraço.