https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

ARREPENDIDO

 
Tags:  amor    soneto    arrependido  
 
ARREPENDIDO

Envenenado cedi às ilusões descabidas.
Oh! A deixei, sem porquês... Indiferente...
Não mais um coração, só marcas e feridas,
Quando súplice voltei, envergonhadamente:

“Perdoa-me, doce amada, as sinuosas curvas
Traçadas por mim em tua reta existência...”
E seus olhos como fonte de águas turvas
Gotejara em minh'alma a sua rica essência:

“Perdoei-te, querido, as bebidas, as mulheres...
Amo-te ainda, e ainda mais se quiseres!
Não cessa de pulsar um coração entristecido...”

Não pude encarar-lhe o semblante orvalhado!
Ferido de remorso, eu, um cego culpado,
Um trânsfuga do amor... Arrependido.

Álvaro Silva.©

 
Autor
Álvaro
Autor
 
Texto
Data
Leituras
613
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
25 pontos
1
4
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 12/01/2015 16:46  Atualizado: 12/01/2015 16:46
 Re: ARREPENDIDO
sendo somos 2