Poemas : 

A triste história do Homem que vendeu um filho para matar a fome a oito

 
Diz-me o teu preço
que te direi o meu.
Diz-me por qual milagre te ajoelhas,
esse
que te é tão caro
e que te retira todo o valor.

Eu, logo eu,
que penso que não tenho,
que não me vendo, que ninguém por nada me compra…

Dou-me
ao desengano
e me ofereço.

Diz-me o teu preço
(todos temos um preço)
que te direi o meu.


Sou fiel ao ardor,
amo esta espécie de verão
que de longe me vem morrer às mãos
e juro que ao fazer da palavra
morada do silêncio
não há outra razão.

Eugénio de Andrade

Saibam que agradeço todos os comentários.
Por regra, não respondo.

 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
503
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
11 pontos
1
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.