https://www.poetris.com/
Poemas : 

Medo!

 
M e d o !
Que a terra deixe de de ser Redonda
Mar e meres acabe As ondas
O sol não abra
Mais o dourado Sorriso ao tempo
Ah!. Jesus
E de faltar o ar
A chuva
E o vento
Será que Gaia
Vai deixe de ser
Nosso paraíso
Credo em Cruz
Faz medo
Do buraco do
Asfalto
Muito pior
O da camada do Ozônio
Da pistola do Assalto
Que as senhas
E cartões Desapareçam..
Que o universo mude de cabeça a baixo vc
Ingredientes há de sobra
Quebra de braço
Homem versus natureza
Não falta..
Calotas polares desmanchando
Matas se acabando
Animais desaparecendo
Secas e desertos aumentando
Pobrezas infinitas
Poços
Lagos
Lagoas
Açudes
Aguadas
Nascentes
Rios e riachos secando
E toda Biodiversidade
Sendo exterminada
Terra febril
Homens e mulheres
Vivendo
E morrendo
Na extrema importância
No mais absoluto
Estágio de pobreza
Não raro
A fome reina
Em extensas plantações
Enquanto uma parte infima
Na grande riqueza
A todos explora
A tudo ignora
E o medo de viver
Vida em abundância
Vai ficando num raro
Direito de poucos
Só mesmo
Deus na causa
Para tudo por em ordem
Na casa de noca..

Por poeta e ecologista
Lizaldo Vieira
O mundo passando


Q U E S E D A N E C U S T O d e V I D A - Lizaldo Vieira
Meu deus
Tá danado
É todo santo dia
O mesmo recado
La vem o noticiário
Com a
estória das bolsas
Do que sobe e desce no mercado
De Tóquio
Nasdaq
São paulo
É dólar que aume...

Mundo girando..
 
Autor
Lizaaldo
 
Texto
Data
Leituras
65
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.