https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Os Sonhos de Vera

 
No mundo dos sonhos Vera penetra
Nua passeia em jardins e relvados
Cabelos caídos no colo nevado

Seus pés roçagando a pelúcia da erva...
No peito tem mil cavalos calados
Revelando mil fraquezas, quimeras...

E os anos se passava em primaveras
O vento suspira um gélido gemido
Nunca se sabe quando é sonho deveras
Ou quando, deveras, Vera está dormindo...

E os anos passando, passando as eras
Como que se passa somente um segundo
Ela via Homens amando, se matando feito feras
Ela via como tudo é efêmero, fugaz e absurdo...

Pelos menos ali a vontade de Vera impera
É o único canto do mundo onde lhe é permitido
Sonhar sem preocupar com os filhos ou o marido
Ali prevalece o cenário que dentro dela se encerra...

Ali as palavras ganham cores e ganham mais sentido
As plantas tomam dimensões que cobrem toda Terra
As canções ficam mais belas, os versos mais bonitos...


Ali os perfumes invasores adocicam a atmosfera
Não existe mais dor... Não há mais nenhum inimigo
Nunca se sabe quando deveras está dormindo Vera
Ou a quantidade deveras que só vê o próprio umbigo...

E os anos passando, verões, outonos, primaveras...
O vento balouçando as pétalas com um gélido gemido
Nunca se saberá quando é que são sonhos deveras
Ou a quantidade de Veras que continuam dormindo...


Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
402
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.