https://www.poetris.com/
Poemas : 

Que pouco fosse, mas que para sempre me fizesse menina

 



Se fosse calor, vestir-me-ia de estação.
Se fosse videira, comeria a terra.
Se fosse trago, beberia a uva.
Se fosse contigo...
colheria flores.
Sempre que o Outono fosse vinda.
Sempre que o Verão fosse haste de bonomia.
Com braços inclinados ao chão,
para a vida,
tomaria o corpo do vinho.
Que pouco fosse, mas que para sempre me fizesse menina.











Zita Viegas















 
Autor
atizviegas68
 
Texto
Data
Leituras
143
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 22/09/2019 01:29  Atualizado: 22/09/2019 01:29
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16203
 Re: que fosse pouco, mas para sempre fosse menina
Zita
Parabéns! Belo e sentido!
Adorei!
Beijos!
Janna

Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 23/09/2019 15:37  Atualizado: 23/09/2019 15:37
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 981
 Pra sempre menina









Fernando Pessoa

adulta menina,


Vinha elegante, depressa,
Sem pressa e com um sorriso.
E eu, que sinto co'a cabeça,
Fiz logo o poema preciso.

No poema não falo dela
Nem como, adulta menina,
Virava a esquina daquela
Rua que é a eterna esquina...

No poema falo do mar,
Descrevo a onda e a mágoa.
Relê-lo faz-me lembrar
Da esquina dura — ou da água.