https://www.poetris.com/
Poemas : 

Guardo o mar no meu dedal

 




Guardo o mar no meu dedal
onde também guardo o exílio do amor.
Guardo o mar no meu dedal
para ficar inundada de lugares.
No mar do meu dedal nasce o girassol
e a aliança de todos os caminhos.
No dedal cheio de mar
brotam pequenas pedras salgadas,
nas madrugadas cosidas
com o sal das lágrimas.
No dedal cheio de mar
vejo o âmbar do luar em fogo.
Com o dedal cheio de mar encontro o além,
na água marinha do destino.
No mar guardado no dedal,
sinto-me no útero da minha mãe.








Zita Viegas















 
Autor
atizviegas68
 
Texto
Data
Leituras
192
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
31 pontos
3
2
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 24/01/2020 15:30  Atualizado: 24/01/2020 17:36
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2132
 Guardo num dedal o meu mar










Perdi um dedal de razão pela hipófise
Supus verter o líquido do heroísmo
Mas o sinonimo da covardia
Que cegos dedos não vêm

Embora sangrem real sangue
Meu e sem nobreza