https://www.poetris.com/
Poemas : 

Poema Distorcido

 
Frio, sente no corpo o vento
Que o vergasta silencioso
E por aí sibila gentil
Suave se esquiva o momento
Que noutra hora ocioso
Esqueceu ser frágil

Fria se esgueira a serpente
Assim, louca de repente
Que te olha e mente
Nua e demente

Seco, sente no corpo o mar
Que se enrola e ondula
No esvoaçar da memória
Sonolento te envolve o olhar
A tua fome, a tua gula
A história e a glória

Seca flutua no peito o amor
Assim, ao de leve e sem sabor
Que nos rouba esse calor
Das tuas mãos, tanta dor


A Poesia é o Bálsamo Harmonioso da Alma

 
Autor
Alemtagus
Autor
 
Texto
Data
Leituras
160
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.