https://www.poetris.com/
Sonetos : 

UM VULCÃO ADORMECIDO

 

Um vulcão adormecido pode ser ponto turístico
De repente se transforma soltando lavas ativas
Vemos em muitos casos ceifarem as nossas vidas
Coisas da natureza precisam ser mais assistidas.

Temos casos mundo afora que a centenas de anos
O vulcão somente dorme e não entra em erupção
E transformou-se somente em parque de visitações
Com suas belezas intrínsecas exalam satisfações.

No Brasil não temos isto somos isentos de vulcões
Mas temos lindas cavernas com enormes extensões
Ao entramos dentro delas buscamos compreensões.

As dimensões do universo são vastas e inusitadas
Que nos inundam as vistas nos deixam maravilhados
Quem não prestar atenção vai perder estes legados.

acesso o meu link no Youtube e se inscreva por gentileza.
https://www.youtube.com/channel/UC9U3_ ... E7huBA?view_as=subscriber

Enviado por Miguel Jacó em 14/01/2020
Código do texto: T6841437
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Miguel Jacó

 
Autor
Migueljaco
 
Texto
Data
Leituras
102
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AntónioFonseca
Publicado: 15/01/2020 22:27  Atualizado: 15/01/2020 22:27
Colaborador
Usuário desde: 31/05/2013
Localidade: Portugal
Mensagens: 658
 Re: UM VULCÃO ADORMECIDO
Caro poeta Migueljaco, o seu poema é muito elucidativo, coerente, bem rimado, denotando um forte e agradável respeito pela beleza e variedade que a mãe natureza nos proporciona pelos quatro cantos do mundo.
As suas palavras e frases expressam sentimentos contendo emoções que podem despertar como o vulcão adormecido no coração de quem lê.
O universo tem uma variada imensidão que por vezes não lhe damos o devido valor.
Parabéns pelo seu poema na sua forma descritiva.

Abraço e cumprimentos

António Fonseca