https://www.poetris.com/
Sonetos : 

Terra Plana

 
Tags:  terra    amanhã    nação    fome.    submarino    imposto  
 
Open in new window
Terra plana

Não me acostumo com a terra plana
Pois o custo de vida não me satisfaz
Hoje há fome e amanhã haverá mais
E atinge o povo de forma desumana

Não adianta fabricar os submarinos
Pois não fazem a nosso dinheiro girar
Pois a guerra pode muita gente matar
Mas a fome vai dizimar os pequeninos

Toda ajuda que for dada ao cidadão
Volta na forma de imposto à Nação
E muitos empregos irão proporcionar

O dinheiro parado não dá empregos
Só satisfaz os ricos, com seus egos
Mas a miséria vai sempre a aumentar.

jmd/Maringá, 19-04-21




verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
115
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/04/2021 22:04  Atualizado: 19/04/2021 22:04
 Re: Terra Plana
começo por sublinhar que, para ser sincero não percebo nada disto mas, hoje apetece-me fazer parte e dar o meu contributo. "terra plana" faz-me lembrar um falcão a trezentos e vinte à hora com aquele olhar milimétrico posto na presa, ou então, gaivotas a voar com muito vento, abrem aqueles bumerangues e... há quem diga que a terra é às ondas. é o mais certo. eu fico-me pela atitude da existência com olhos postos na liberdade. dizem muitas coisas sobre as gaivotas, até que elas não saem do sítio e... não me admiraria que os falcões sejam cegos! não são pois não! nem sequer predadores, são somente uns amores. ainda por cima são pequeninos! ok. e quem gostaria de arremessar um objeto e levar com ele num sítio... talvez as galinhas ou... coisas assim. a politica existe! e os ladrões também! enfim. uma boa noite meu caro