https://www.poetris.com/
Poemas -> Desilusão : 

COITA D’AMOR, TAMBÉM EU

 
Tags:  CANCIONEIRO DABADIA  
 
COITA D’AMOR, TAMBÉM EU

Coita d’amor, também eu
Tenho vivido a morrer...
Na angústia de não saber
Por quem, sozinha no breu,
Tendes mais pálido o ser.

Vós, Senhora, um bem-querer
Deixastes p’lo peito meu.
Mas que de vós se perdeu,
Quando ao vosso bel-prazer
Outro ardor vos aqueceu.

Desde então, ai! Que faço eu,
Senão penar meu sofrer?
Aonde eu irei sem ver
Vossa face, se no breu
Tendes mais pálido o ser?

Que faço senão sofrer?
Que faço do peito meu
Que por vós já se perdeu?
Se, por mau ou bom prazer,
Outro ardor vos aqueceu?…

…………………………...


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
129
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.