https://www.poetris.com/
Sonetos : 

RANZINZA

 
Tags:  SONETOS 2022  
 
RANZINZA

Eu fico a reclamar de tudo e nada
Como se irritação quase constante
Se tornasse um estado delirante,
Atravessando toda a madrugada.

Lavo-me para a próxima jornada
D'olhos fundos em face a um sol gigante...
Cidade afora, sigo meio errante
E imerso n'uma sombra enevoada.

Por vezes, eu... -- em ápice de fúria --
Tomo qualquer censura como injúria
E reajo com violência desmedida.

Tudo sem externar o que na mente
Me faz passar oculto em meio à gente
Outra estranha fantasia de homicida.

Betim - 27 07 2022


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
122
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.