Poemas : 

Porque te Canto - Acto 119

 
Como me choro se te canto
E se te tenho só aqui assim
Entre as duas mãos abertas
Como te abraço num pranto
Neste mar que não tem fim
Navegado de palavras certas

Quisera a Lua ter tal beleza
Desses tão lindos olhos teus
Deitados sós por aqui, por aí
Quisera eu não ter a tristeza
Dos sonhos serem só meus
Por sentir que louco te traí


A Poesia é o Bálsamo Harmonioso da Alma

 
Autor
Alemtagus
Autor
 
Texto
Data
Leituras
130
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
24 pontos
4
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Aline Lima
Publicado: 20/02/2024 01:51  Atualizado: 20/02/2024 01:51
Usuário desde: 02/04/2012
Localidade: Brasília- Brasil
Mensagens: 596
 Re: Porque te Canto - Acto 119 para Alemtagus.
Caro Alemtagus.

A profundidade do seu poema é admirável. A entrega apaixonada entre o choro e o canto cria uma atmosfera emotiva, enquanto a expressão dos sonhos como algo pessoal adiciona uma camada de melancolia. Escolhi este poema no Cantigas de Amigo por sua capacidade de capturar sentimentos intensos e genuínos.
Meus cumprimentos pela inspiração.
Abraços.
Aline.


Enviado por Tópico
Egéria
Publicado: 20/02/2024 13:39  Atualizado: 20/02/2024 13:39
Usuário desde: 28/09/2009
Localidade:
Mensagens: 889
 Re: Porque te Canto - Acto 119
Olá,
belo!!
Abraço