https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Prostituta

 
* O meu primeiro indriso

Prostituta

De seus corpos, recebes o chamado
Assobio de carnes apressadas
Viajantes no país do cio.

Lânguidos os suores, o gesto ousado
Reclamas os favores deste desvario
Sem direito a prazer, nem protesto.

És pária nesta viagem carnal.

Imaginas-te feliz, sem o ser de facto.


 
Autor
lucibei
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1273
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 04/01/2009 15:13  Atualizado: 04/01/2009 15:13
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: Prostituta
Que belíssimo poema, lucibei !
De facto assim é... e no entanto,
deduzo, que as prostitutas terão uma alma tão sensíveis como os outros, sentimentos,
e quem sabe?
Dores infinitas...
Vóny Ferreira

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 04/01/2009 18:44  Atualizado: 04/01/2009 18:44
 Re: Prostituta
Teu primeiro indriso está excelente!Escolheste bem o tema e compuseste o texto com maestria.Apreciei em especial o primeiro monóstico.
Bjins, Betha.