https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Só eu sei ver o Sol nascer

 
Tags:  sol    ver    nascer  
 
Só eu sei ver o Sol nascer
 
I

Desfaz-se o tempo em rotinas e vontades,
Em projectos e verdades,
Em desgostos que se alastram,
Em vestígios distorcidos,
De nascentes que encontramos.

E é sempre quando seca que
Tudo se tem que se agarrar,
Tudo o que faz fugir ,
E a verdade passa a estar
No fundo dum copo cheio do que se quer ser,
E a beata no chão que faz os olhos arder.

É a nova moda das crianças que ainda estão a aprender,
Como têm que estar e andar e beber,
E dançar e comer e falar e ouvir,
E sentar e sorrir para saber existir.

Só eu sei ver o sol nascer
Só eu sei ver o sol nascer

II

Desfaço-me em pedaços, em retratos em…
Mentiras que trocámos e abraçámos, sim,
Fugimos mas voltámos
E o que presta,
O que resta em nós…
Num fim de festa onde…
Todos sabemos quem somos
Ou quem não se quer lembrar,
Ou quem precisa de estar
Perdido noutro sonho.

A mesma noite, o mesmo copo,
O mesmo corpo, a mesma sede que não sabe secar,
Onde se encontra sem se procurar,
Onde se dança o que estiver a tocar.

Muito fumo, muito fogo, muito escuro
Quando somos o que queremos,
Quase somos o que queremos,
Quase fomos o que queremos,
Aaaaahhhhhhhh…

Só eu sei ver o sol nascer
Só eu sei ver o sol nascer...
Quase fomos o que queremos
Quase somos o que queremos
Quase...


A Poesia nao é de quem a escreve, mas sim de quem a usa" - Pablo Neruda

 
Autor
Zorlack
Autor
 
Texto
Data
Leituras
2272
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 22/02/2009 03:52  Atualizado: 22/02/2009 03:52
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14964
 Re: Só eu sei ver o Sol nascer p/ Zorlack
Caro amigo Felipe

Ahhh! Se não fosse o quase
faríamos tantas coisas
seríamos tanto dentro de nós
seríamos o quase... Tudo dentro
deste mundo de quase nada

Amei seu poema

Beijinho doce n'alma