https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

HUMILDADE

 
Senhor, fazei com que eu aceite
minha pobreza tal como sempre foi.

Que não sinta o que não tenho.
Não lamente o que podia ter
e se perdeu por caminhos errados
e nunca mais voltou.

Dai, Senhor, que minha humildade
seja como a chuva desejada
caindo mansa,
longa noite escura
numa terra sedenta
e num telhado velho.

Que eu possa agradecer a Vós,
minha cama estreita,
minhas coisinhas pobres,
minha casa de chão,
pedras e tábuas remontadas.
E ter sempre um feixe de lenha
debaixo do meu fogão de taipa,
e acender, eu mesma,
o fogo alegre da minha casa
na manhã de um novo dia que começa .


Cora Coralina
( 20/08/1889 — 10/04/1985)
Autores Clássicos no Luso-Poemas
(pseudônimo de Ana Lins do Guimarães Peixoto Bretas)

 
Autor
Cora Coralina
 
Texto
Data
Leituras
4819
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
EDCOE
Publicado: 14/06/2009 01:09  Atualizado: 14/06/2009 01:09
Muito Participativo
Usuário desde: 24/04/2009
Localidade:
Mensagens: 79
 Re: HUMILDADE
CORA CORALINA!...
ORGULHO NACIONAL!...
Mulher de rara sensibilidade, revelada em tudo aquilo que deixou escrito!
Humilde, ineteligente, lutadora, que mais?
Tudo que uma grande mulher pode ter e ser!
E além de tudo e sobre tudo, grande poetisa!
Quanta ternura e fé, no poema acima! Uma oração, uma prece de agradecimento a Deus pelo DOM DA VIDA!
MARAVILHA!

Enviado por Tópico
Henrique Pedro
Publicado: 14/06/2009 07:56  Atualizado: 14/06/2009 07:56
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2007
Localidade:
Mensagens: 3821
 Re: HUMILDADE
Esplendor de poesia.
Aplaudo