https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Surrealistas : 

Um dia normal do trolha Aristides Pinheiro

 
Tags:  beijo    surrealista    ponto    emprego    trolha    camarão  
 
Acorda, Aristides.

Aristides Pinheiro,
Trolha honesto e aplicado,
Foi picar o ponto
Depois de dormir um bocado.

Ainda antes de poder lá chegar,
Acercou-se de um companheiro.
Ele trazia uma amiga,
Companhia de tiro certeiro.

Tu é que és o Aristides?
E antes que ele pudesse responder,
Enfiou-lhe um beijo na boca
E um abraço que o sufocava.

Parecia daqueles abraços
Entre parentes ou irmãos,
Mas mesmo tão bom
Que nem sabia a incesto.

Ela tinha os dentes estranhos.
Mas ele não se importou,
Pensando que finalmente
Alguém valorizava o rapaz.

Ele sabia do que era capaz,
Mestre do heroísmo aleatório...
Afinal era só chegar ao emprego
E levar um beijo obrigatório.

Uns minutos a seguir,
Agarrou a rapariga e deu-lhe outro,
Desta vez mais intencional
E cada vez menos racional.

Lá picou o dito cujo ponto,
Pronto para ir trabalhar,
Quando na fila de produção,
Aparece a patroa.

Nesse dia, Aristides não foi trabalhar.
Só se via uma tabuleta que dizia
"Candeias - 17km"
E uma estrada a subir em direcção ao céu.

Até lhe doíam os ouvidos
De tanta inclinação.
Ele nem desconfiava
Que ia haver mais acção no guião.

Quando chegou à vivenda
Senhorial de patrões de gente,
Correram para a cozinha
Assim num repente.

A patroa serviu-lhe camarão.
Estava bom.
Não sei o que aconteceu a seguir,
Mas o marisco foi de borla.

 
Autor
AntonioCarvalho
 
Texto
Data
Leituras
797
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
5
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
António MR Martins
Publicado: 24/06/2009 23:02  Atualizado: 24/06/2009 23:02
Colaborador
Usuário desde: 22/09/2008
Localidade: Ansião
Mensagens: 5064
 Re: Um dia normal do trolha Aristides Pinheiro
António,

Nos desígnios da vida e nos paradigmas da existência deambulam os "Aristides" deste mundo, ou seja muitos e muitos de nós...
Sarcástico e revelador. Gostei...

Abraço


Enviado por Tópico
Caopoeta
Publicado: 24/06/2009 23:15  Atualizado: 24/06/2009 23:15
Colaborador
Usuário desde: 12/07/2007
Localidade:
Mensagens: 2027
 Re: Um dia normal do trolha Aristides Pinheiro
"Não sei o que aconteceu a seguir,
Mas o marisco foi de borla."

...esta frase está genial!
abraço


Enviado por Tópico
boxer
Publicado: 25/06/2009 14:17  Atualizado: 25/06/2009 14:17
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2009
Localidade:
Mensagens: 726
 Re: Um dia normal do trolha Aristides Pinheiro
Aproveita, amigo Aristides, que não há muitas coisas à borla...