https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

Ao rés de mim

 
Tags:  escuro    final    presa    aranha  
 

AO RÈS DE MIM

Não sei se sou a presa
ou sou a aranha
No final de Vida que me apanha!
Seja a teia talvez o começo?!
Onde me enrolo e onde tropeço.

Eis quando me vejo
sem regresso!

Ao rés de mim, já tudo é escuro
Só ouço um grito
Serei a presa ou a teia habito?
É o final... afinal duro!

rosafogo


Na plenitude da felicidade, cada dia é uma vida inteira.
Johann Wolfgang Von Goethe



 
Autor
rosafogo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
868
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
6
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 13/08/2009 01:12  Atualizado: 13/08/2009 01:12
 Re: Ao rés de mim
Rosa,
Parabéns, muito »impressionista» este poema.
Seja a teia talvez o começo?!
Onde me enrolo e onde tropeço.

Ou,
Do sonho que acordo,
Atordoado e confuso.

Este poema é um dos meus favoritos.

Beijinho,

Paulo Galvao


Enviado por Tópico
Alexis
Publicado: 13/08/2009 01:17  Atualizado: 13/08/2009 01:17
Colaborador
Usuário desde: 29/10/2008
Localidade: guimarães
Mensagens: 7254
 Re: Ao rés de mim
podia ser a continuação de um meu que fala da aranha e das moscas.mas este está melhor
beijo
alexandra


Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 13/08/2009 20:56  Atualizado: 13/08/2009 20:56
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 12102
 Re: Ao rés de mim
Um poema com metáforas muito bem conseguidas, gostei.

Beijos